Conheci há alguns meses o trabalho do rapper Fabio Brazza. Através de um amigo que compartilhou seu novo álbum no facebook. Na publicação ele dizia: se eu conseguir fazer pelo menos uma pessoa escutar esse CD, vou ficar muito feliz. Eu comentei: escutei. De fato escutei o que Brazza tem pra dizer. O nome do CD é “Tupi or not Tupi”. Daí eu já nutro expectativas de algo bom. Acertei. Num apanhado do álbum, o músico representou de maneira muito poética o Brasil e o comportamento do brasileiro. Em todas as faixas do CD, Fabio mostra o quanto faz parte de nós a mistura, a miscigenação. Isso é muito natural, porém algumas pessoas ainda na ignorância, não sabem respeitar sua própria origem.

O álbum passeia por vários ritmos. Tem rap, tem música nordestina, tem samba, tem funk, tem os ritmos do Brasil. Exceto pelo rap. Brazza nos fala em uma música que essa é a parte dele. Contribuir através do rap. Mas soube da importância de mesclar ritmos tipicamente nacionais ou não. O que importa na verdade é o todo.

De São Paulo veio esse músico e poeta. Teve um contato concreto com a música aos 19. Já morou nos Estados Unidos, isso ajuda a compreender porquê o rap é tão presente da vida de Fabio.

Brazza tem outros CD’s além de “Tupi or not Tupi”. Encontramos também o legítimo “Filho da Pátria” em sua discografia.

Ao ouvir pela primeira vez o CD lançado neste ano, eu fiquei estatelada. Surpresa com a possibilidade de alguém expressar de maneira tão excelente muitas ideologias que partilho. Muita criatividade na criação de cada melodia. Nos dá a certeza que o álbum foi preparado com dedicação e emprenho, desejo de que aquelas mensagens possam alcançar pessoas. E ele conseguiu cumprir essa missão muito bem. Por isso me alio a idéia de passar adiante esse som tão alegre, contagiante, festivo e que também deixa aprendizados.

Foto disponível na página oficial de Fabio Brazza no facebook.

Foto: FanPage oficial de Fabio Brazza

Na segunda faixa do álbum, “Hip-hopnotizado”, Brazza mostra nas rimas nosso coração universal. Ressalta que não importa a condição geográfica mas sim o coração que pode estar aqui, ali, no Japão, em Amsterdã. Coração pertencente a todos os lugares. Como se coubesse o mundo. Universalismo que vale pra música. “Só no rap, axé, forró… a cabeça até da nó!”. Todas as vertentes tem seu espaço respeitado. Nessa música a melodia varia entra rap e samba de uma maneira bem alto astral, que é a energia do CD todo.

“Hey João” é um alerta. Um chamado de atenção. Nessa letra, Fabio tem algo a dizer que João deve absorver. João como uma representatividade de todos nós. Muitos vivem alheios ao fato de que teremos o fim e no fim nada estará conosco. Na direção contrária a sociedade dita as normas de maneira agressiva e tóxica. Apreciando o acúmulo de posses e congratulando o poder. “Ostentação material é ilusória.” Fabio diz. Nos convida a retornar ao objetivo principal, não estamos numa competição. Isso é um grande engano. Não disputa-se quem vai crescer mais na empresa, ou aparecer mais na mídia, ter mais ‘likes’ ou mais amigos. Ainda cita como a divisão é injusta, alguns nascem com tudo nas mãos. Com muitas regalias. E muitos que não nascem com nenhuma. Num outro momento da música, lidamos com um retrato vergonhoso da justiça que somos submetidos pelo governo. Pela falta de educação, muitos lotam a febem. A falta de saída, não saber em quem votar. É um grande poema pra refletir e logo após, agir.

Finalizando com bom humor. Complementando toda pegada leve do CD, que mesmo com mensagens importantes, passa com leveza. “A Gente Gosta de Inventar”. E o brasileiro gosta muito disso mesmo, não é? Como popularizou na internet: o melhor do Brasil é o brasileiro. Sempre de maneira descontraída, estamos criando memes, tirando sorriso até de situações desfavoráveis, sempre que houver respeito é válido. Nessa faixa, Fabio cita de maneira brincalhona nomes de alguns artistase como são conhecidos. Música feita com Cajú e Castanha.

Acredito que até aqui podemos crias boas expectativas em cima de Tupi or not Tupi. Lembrar das nossas origens, valorizarmos a união. Com ritmos e melodias muito bem trabalhadas, Fabio Brazza também tem um timbre de voz que muito harmoniza com toda mensagem, deixando o álbum ainda mais prazeroso de ser ouvido.

Você pode ouvi-lo no Spotify, Youtube e também no SoundCloud.

Por Letycia Miranda