Depois de ter dado ao público a chance de se despedir de Carl (Chandler Riggs), “The Walking Dead” continua a contar a história da guerra entre Os Salvadores e os moradores de Alexandria, Hilltop e do Reino. Ao dividir o episódio para melhor compreensão das visões de seus personagens sobre o acontecido, a série luta incansavelmente para atingir números mais agradáveis de audiência que, em comparação com as outras temporadas, caiu consideravelmente.

Atenção: a matéria possui spoilers do décimo episódio da oitava temporada de “The Walking Dead”. Leia os outros reviews aqui

O episódio começa com Michonne (Danai Gurira) e Rick (Andrew Lincoln) se recuperando emocionalmente da morte de Carl e se despedindo e Alexandria, sua casa nas últimas temporadas. O último pedido do filho do xerife atinge emocionalmente seu pai, que se questiona sobre o desejo do mesmo de que a guerra não acontecesse mais, devido as consequências que a mesma estava causando. No episódio anterior, o jovem deixou cartas para todos, e aqui descobrimos que até Negan (Jeffrey Dean Morgan) é um remetente. Essa descoberta leva a dupla a procurar novamente uma grande aliada: Jadis (Polliana McIntosh) e os moradores do lixão.

O vilão Negan, no Santuário, conversa com Simon (Steven Ogg) sobre planos para impedir o ataque dos grupos aliados. É nítido que a prepotência do mesmo começa a desaparecer e, se a série seguir o caminho das HQs, é o princípio da queda do vilão. Ao serem surpreendidos por um presentinho de Hilltop, que está sobre a liderança de Maggie (Lauren Cohan), é que o antagonista começa a perceber que ali, na guerra, não tem ninguém de brincadeira. Sob ordens de Negan, Simon também ganha seu destaque no episódio, e vai até Jadis confrontá-la sobre o acordo que a mesma fez com Rick. Ele oferece a proteção dos Salvadores, uma mentira, e recolhe a arma do pessoal do lixão. Essa atitude, completamente arriscada por parte de Jadis, leva a um trágico final: a execução de todos do lixão.

Enid (Katelyn Nacon) e Aaron (Ross Marquand) estão na mira das mulheres de Oceanside, que estão para decidir se os matam ou não. Um discurso da garota, que não soa nem um pouco convincente, consegue garantir a libertação dos dois em troca da proteção das moças contra as maldades de Negan. A dupla se separa, mas o ritmo lento da cena não esconde a aproximação paternal entre os personagens.

Jadis, que agora se vê sem rumo, deseja se unir a Rick e seu grupo, mas sem joguinhos, como aponta o xerife. Sem acreditar na líder do lixão, Rick e Michonne vão embora e a loira assiste sua casa e seus amigos desmoronarem. O episódio termina com Rick comunicando a Negan do falecimento de Carl e da carta que o filho deixou a ele, que pede, tanto para o vilão como para o pai, que parem com a guerra. Mas, Negan abusa de explorar o ponto mais sensível de Rick e certamente, pela postura dos personagens, essa rivalidade não está nem perto de acabar.

 


Apoia-se

Show Full Content

About Author View Posts

Avatar
Júlia Cruz

Acredita ser uma criação do Projeto Leda enquanto espera o Doutor com a sua Tardis. É apaixonada por cachorros, gosta de acender incensos, observar estátuas e tomar café. Descobriu que tudo é passível de crítica e desconstrói os enredos das mais de cem séries que já viu, para os leitores da Woo Magazine.

Previous Review: Dynasty (S01 Ep14: “The Gospel According to Blake Carrington”)
Next Crítica: Romeu e Julieta

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
Close