9 de dezembro de 2019

Gabriel Elias é uma das grandes revelações do pop nacional e será o headliner do Palco Supernova do Rock in Rio 2019 no dia 29 de setembro. Impulsionado com o auxílio das mídias digitais, Gabriel vem brilhando desde 2014 com canções que falam de amor, positividade e sua grande paixão: o mar. No meio disso tudo, Gabriel reservou um espaço na sua agenda para conversar conosco por telefone, com muita simpatia. Confira a seguir:

Amanda Moura – Seu projeto “Casa de Praia” já tem mais de 35 milhões de visualizações no YouTube. Você considera que as mídias sociais são fundamentais para a carreira do artista de hoje?

Gabriel Elias – Para mim, as plataformas digitais, as mídias sociais em geral são fundamentais sim, sabe. Eu acho que elas democratizaram mais a música, abriram portas. Porque antes a música era o que tocava nas rádios, na TV e se limitava à isso. Então, isso criava o que seria a onda do momento. E como as mídias sociais chegaram tão fortes, democratizou as coisas, as formas do artista se lançar, para que gêneros que talvez não fossem os do momento conquistassem seu espaço, tornando a coisa muito mais ampla. Talvez seja muito mais difícil adquirir o sucesso porque também é tanta informação…. Porém, ao mesmo, se democratizou muito, é muito mais fácil de entrar na música e descobrir coisas novas. Então, acho que pesando prós e contras, acho que dá 99% de prós e 1% contra.

A.M – Amanhã (20/09) será lançado o single e clipe “Solstício de Verão” com a participação da banda Maneva. Conta um pouco para nós sobre essa parceria.

G.E – Para mim essa parceria é uma parada muito extra palco. Além da nossa amizade no palco, na carreira, eu também escrevi algumas músicas para o Maneva, junto com o Tales, o Deco que é outro parceiro nosso. Mas, acima de tudo a gente é muito amigo fora do palco e acho que a gente ter essa energia, essa amizade real mesmo, acho que isso passa para o som. Acho que até na produção existe muita sinceridade, não existe esse negócio de meias palavras com a gente. É muita sinceridade ali nesse lance da amizade e isso traz uma química para a parada. Então acho que isso tudo soma muito para o som, somou muito. E é uma honra ter os caras nessa faixa comigo.

A.M – Corre Pro Meu Mar” é uma das músicas mais tocadas do país e além disso você foi selecionado por um programa global da Deezer como uma das três maiores apostas da música nacional para 2019. É o reconhecimento para o seu trabalho que você desejava?

G.E –Poxa, é demais isso. Acho que o reconhecimento é muito legal. Nosso primeiro reconhecimento foi na internet, depois a gente foi conquistando alguma coisinha de TV e aí começaram a rolar outras coisas. A gente conquistou a rádio, principalmente com a “Fiz Esse Som Pra Você“, nossa música de trabalho que foi número um. “Anjo Protetor” começou a ser de trabalho e abriu essa porteira. Aí veio “Fiz Esse Som Pra Você“, e aí depois veio a “Corre pro Meu Mar” junto com Maneva que acho que chancela isso tudo. Isso foi muito legal, aí agora tem a “Pequena Flor” que já é um sucesso nosso, já está na internet e é a nossa música mais ouvida e também já começou nas rádios. Sobre o Deezer foi uma grande honra ter esse convite, que são as apostas dele para o ano de 2019 e ter eles como parceiros. Uma grande honra o convite, de ser lembrado nisso e além disso todo o apoio deles.

A.M – Em 2018, você lançou quatro EPs que acompanhavam as estações do ano e que foram reunidos no álbum “4 Estações” lançado esse ano. Como foi construída essa ideia tão inovadora para lançar seu trabalho?

G.E –Essa ideia dos quatro EPs que viraram um disco veio muito desse novo consumo da música, que tudo vem muito rápido mas às vezes acaba também passando muito rápido. Algumas canções entram no disco e acabam passando batidas. Então a gente fez isso para valorizar ao máximo todas as canções, sabe. Então a gente construiu como a gente vai fazer isso? Como a gente vai valorizar todos os sons, mas ao mesmo tempo lançar um disco, sabe. Então a gente foi quebrando a cabeça e chegamos nesse conceito: vamos lançar um projeto chamado 4 estações, a gente lança um EP a cada estação e no final isso vira um disco e a gente consegue ter mais alcance nas músicas, ter conteúdo o ano inteiro e valorizar tudo, todo trabalho.

Imagem: Divulgação/Gabriel Elias

A.M – Sendo um mineiro, como começou essa sua ligação com o mar?

G.E –Sabe aquela história do jardim do vizinho? Então, acho que é como isso, a gente não tem em Minas, mas acho que se for fazer uma pesquisa, o mineiro se bobear é um dos povos que mais vai à praia. Tenho amigos cariocas, por exemplo, tenho amigos que até vão muito na praia, mas tem vários que só vão à praia uma vez ao ano. Os amigos em Santos que mal vão à praia. Agora o mineiro, todo feriado que tem, toda brecha que tem, dezembro, janeiro, os caras invadem as praias do país inteiro, sabe. Então o mineiro tem essa paixão muito grande pela praia e acho foi cultivado muito em mim durante a minha vida. Então eu sou apaixonado mesmo pela parada como bom mineiro. Minas não tem praia mas tem muita sereia.

A.M – Qual importância a de ser headliner do Palco Supernova do Rock in Rio 2019? O que podemos aguardar desse show?

G.E –É muito emblemático. É um palco sobre novos artistas, não só do Brasil, como do mundo inteiro, então você estar ali como uma das pessoas que mais representa isso, é de suma importância porque mostra que você é um dos que está ali na cabeça de um movimento que vem rolando. Então é muito importante para a gente esse reconhecimento, essa atenção, esse carinho. O que pode ser aguardado desse show é o the best of the best, show de festival é isso. Não tem meia conversa é só papo reto, só os maiores sons, os maiores hits, então não tem lado B, que eu também adoro, mas o show de festival tem essa, um papo muito direto.

Curtiu essa entrevista? Então fica com a Woo! Magazine antes e durante o Rock in Rio 2019!

Show Full Content

About Author View Posts

Avatar
Amanda Moura

Bibliotecária, doutoranda em História das Ciências, e das Técnicas e Epistemologia. Apaixonada por cinema, séries e cultura em geral. Sem Os Goonies talvez não estivesse por aqui.

Previous Quem é Alok, o DJ que abrirá os trabalhos no Palco Mundo do Rock in Rio 2019?
Next Rock in Rio 2019: Muse encerrará o evento em show épico

1 thought on “Rock in Rio 2019: entrevistamos Gabriel Elias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close

NEXT STORY

Close

6 aplicativos bem legais para quem gosta de maquiagem

11 de julho de 2017
Close