Connect with us

Hi, what are you looking for?

Geek

São Paulo dos Mortos

A resenha desta semana vai para mais uma grata surpresa que conhecemos na UgraFest, realizada em julho deste ano. Trata-se de São Paulo dos Mortos, um projeto de Daniel Esteves que conseguiu um ótimo financiamento coletivo no Catarse em meados de 2013. A ideia central de Daniel foi pegar a temática das estórias de zumbis (tema em alta por conta da série e dos quadrinhos de Walking Dead) e ambientá-las na cidade de São Paulo. Nós particularmente gostamos desse tipo de contextualização regional, pois passa um realismo e uma empatia muito mais intensa para o leitor. Claro que essa sinergia será maior para leitores paulistanos graças às locações escolhidas e os “sotaques” retratados nos diálogos.

Este primeiro volume conta com cinco histórias fechadas e ilustradas por diferentes artistas. Temos aqui duas decisões interessantes, sobretudo se levarmos em consideração se tratar de uma nova revista a ser colocada no mercado. Trazer HQ curtas e fechadas permite testar estilos narrativos bem como abordagens mais sérias ou cômicas, como foi de fato feito. Da mesma forma, convidar artistas diversos confere uma riqueza visual que tem potencial para agradar a diferentes gostos pessoais.

Advertisement. Scroll to continue reading.

“Próxima Estação” ´- Na primeira HQ do álbum uma mulher se esconde entre as estações de metrô, para fugir dos zumbis que infestaram a região. Ela nos conta toda sua história, através de narrações em primeira pessoa. Além disso, a própria narrativa visual nos leva para “dentro” da personagem, através de câmeras subjetivas. A personagem está faminta, porém o medo de comer algo infectado é maior. O principal destaque dessa HQ é a narrativa em primeira pessoa que consegue criar um ótimo clima de tensão.

“Com Você no Fim do Mundo” – Um homem alimenta e cuida de uma mulher transformada em zumbi. Ele enfrenta o fim do mundo para conseguir comida para sua paixão. Pega restos de corpos, arriscando-se em meio ao apocalipse zumbi. Quando fica mais difícil sair às ruas ele tem que buscar alternativas para sustentá-la. Essa é a história mais trash, porém mescla elementos de humor sarcástico bem colocados.

“Vício” – Um casal classe média foge dos zumbis em seu luxuoso carro, cruzando a região da Luz, próximo da cracolândia. Após uma abordagem policial desastrosa, a esposa contará com uma ajuda inesperada para fugir dos zumbis. Achamos essa história a mais fraca, pois o roteiro parece superficial e com alguns furos.

Advertisement. Scroll to continue reading.

“Itaquerão” – Três garotos sobrevivem ao fim do mundo em Itaquera, periferia de São Paulo. Em meio às conversas sobre desejos loucos, eles resolvem invadir o Itaquerão, estádio do Corinthians, a fim de jogar futebol no tão sonhado templo sagrado. Sonham encontrar com os jogadores do clube de coração deles, pois dizem que eles ficaram refugiados lá dentro do estádio, sobrevivendo ao apocalipse zumbi. Essa HQ remete muito à infância e adolescência de quem já passou dos 30, mas pode cansar um pouco por conta do excesso de alusões futebolísticas.

“Carona para o Governador” –  Gisele trabalhava no Palácio dos Bandeirantes. Em meio à confusão causada pelo apocalipse zumbi, ela ficou presa no local. Com o agravamento da situação o governador tem que fugir com uma equipe de seguranças e policiais enfrentando os zumbis nas ruas. Em meio a um conflito com zumbis, Gisele é escalada para dirigir o carro que vai salvar o governador. Ótimos toques de crítica social misturados à ação intensa fazem dessa HQ uma história bem concisa.

São Paulo dos Mortos – já teve mais volumes editados seguindo a mesma premissa, histórias de zumbis ambientadas em São Paulo. A força desta primeira edição é notável pela diversidade já citada. Os demais volumes possuem histórias mais longas, portanto uma pegada diferente. Para ambos os formatos vale muito a pena conhecer e apreciar.

Advertisement. Scroll to continue reading.

ROTEIRO e EDIÇÃO: Daniel Esteves

ARTES: Al Stefano, Alex Rodrigues, Jozz, Ibraim Roberson, Lucas Perdomo, Laudo Ferreira, Omar Viñole, Samuel Bono, Wagner de Souza.

CAPA: Wanderson de Souza e Al Stefano.

Advertisement. Scroll to continue reading.

FORMATO: 16×25 cm, 96 páginas, miolo P&B, capa colorida.

DATA DA EDIÇÃO: novembro de 2013

Advertisement. Scroll to continue reading.
Written By

Tercio Strutzel ama ler, escrever e desenhar histórias em quadrinhos. Foi editor do fanzine Paralelo, mas hoje quase não consegue tempo pra desenhar. Se especializou em Presença Digital, mas tem diversos projetos fervilhando na mente. Está sempre em busca de atividades culturais por São Paulo. Também é serial reader de Ficção, Fantasia e Terror e viciado em séries.

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você também pode ler...

Filmes

Após ver o trailer de “Crimes of the Future”, é possível apostar que David Cronenberg voltou com tudo depois de um longo hiato em...

Filmes

Gostosuras ou travessuras assustadoras na Netflix Para encarar o Halloween, nada melhor do que maratonar uns bons filmes de terror debaixo das cobertas e...

Crítica

Pouco antes de um grande jogo, a estrela do time de futebol americano do colégio local é brutalmente assassinada dentro de casa. Logo após...

Crítica

Todo fã de George Romero e de “The Walking Dead” sabe que filmes e séries de Zumbis não são exatamente sobre zumbis. Os zumbis...

Advertisement