O anúncio do retorno do Rock in Rio ao Brasil em 2011, fez arder uma chama nos apaixonados e fanáticos por incríveis festivais de música. A expectativa foi crescendo ao longo da divulgação das atrações para compor a lineup da quarta edição do evento. Um misto de emoções tomava conta de todos os que aguardavam ansiosamente, para a tão esperada festa. O Rock in Rio de 2011 rolou nos dias 23, 24, 25, 29 e 30 de setembro e nos dias 1 e 2 de outubro.

Poucos meses após a vinda ao país com a Viva la Vida Tour, em 2010, uma das melhores bandas do universo viria a ser anunciada. Com mais de 50 milhões de discos vendidos no mundo, até então, no dia 30 de novembro de 2010, a banda britânica Coldplay foi anunciada como headliner da penúltima noite do festival. A partir daí, começava uma contagem regressiva, para o que viria a ser um dos melhores e maiores shows de todas as edições do Rock in Rio e da história dos rapazes.

O #TBT Rock in Rio está aqui para relembrá-los dos maiores e incríveis shows que marcaram as 3 últimas edições do festival no país. E, dando continuidade aos nossos trabalhos, relembraremos o show do Coldplay e a declaração de amor do Chris Martin pelo Rio de Janeiro.

100 mil pessoas lotaram a Cidade do Rock no dia 01 de outubro. Uma noite mais que especial e agradável para todos que preenchiam cada pedacinho do gramado sintético preparado para o festival. A ansiedade era absurda. Sabíamos que seria tudo muito especial, já que a carreira de Chris, Jonny, Will e Guy é marcada por vários hits, composições fortes, emocionantes e que arrepiam a cada segundo. O público entoava o “Oh, Oh, Ohhh“, de Viva la Vida sempre que podiam, seguido de muitos gritos e fortes aplausos. Os fãs que chegaram bem cedo ao local se espremiam na grade, mas não estavam reclamando, ao contrário, mesmo passando por vários apertos, todos estavam contando cada segundinho até o show.

O espetáculo começou com 2 novas músicas do álbum Mylo Xyloto, que ainda não havia sido lançado oficialmente, mas que os rapazes já estavam cantando nos shows. Mylo Xyloto foi lançado 23 dias depois da presença da banda no festival. No Rock in Rio foram 7 faixas (metade do álbum). Após a canção Hurts Like Heaven, a plateia que já estava surtando – no bom sentido, é claro – com a presença do Coldplay nos palcos, vibraram e fizeram bonito cantando uma das músicas mais famosas da carreira, Yellow. Foi nesse momento também que Chris, todo maravilhoso e entregue a energia do momento, tombou. Literalmente, HA-HA-HA! Mas ficou tudo bem, nada grave. Como dizem por aí, nesse mundo louco da internet: O decair é do homem, mas o levantar é de Deus!

Chegamos, então, em um dos momentos mais lindos e emocionantes do show. Quando Will Champion, baterista da banda, começou as primeiras batidas de In My Place o público já enlouqueceu! Todos cantavam juntos, Chris soltou um “TAMO JUNTO!“, e as luzes iluminavam a platéia, que gritava ainda mais. No palco, uma chuva de pássaros coloridos criava um conjunto perfeito. Sabe aquele ditado, “se melhorar estraga”? No show do Coldplay não existe isso. Chris fez todos irem ao delírio pichando a estrutura do Palco Mundo duas letras e um coração: RIO. Meus amigos, se isso não é uma declaração de amor a nossa Cidade Maravilhosa, eu não sei o que seria.

O show segue com vários sucessos: Major Minus, Paradise, Lost! em que a banda arriscou um trecho de um clássico da cultura brasileira, Mas Que Nada, de Jorge Ben Jor: Obá, obá, obá!, Violet Hill e chegamos em God Put A Smile Upon Your Face, com a versão mais roqueira que você respeita! Chris Martin novamente arrisca no português, e claro, todos ficavam histéricos. O vocalista perguntou se a galera da “esquierda”, “direita”, “fundaum” e da “frentche”estavam “bein”. Pronto! Coldplay já dominava todo o público. Eles se entregaram ainda mais e nós nos entregamos de corpo e alma ao carisma que eles estavam transmitindo.

“Show do Coldplay esvazia a Rock Street e a tenda eletrônica. Na rua cenográfica, poucos passeavam enquanto a banda tocava. Na pista, mãe e filha dançavam praticamente sozinhas.” – G1.com

Não resistimos e desabamos ao som de The Scientist, uma das canções mais emocionantes de toda a carreira. Ninguém disse que seria fácil segurar todos os sentimentos nesse show. Mas esse é o certo. Em uma apresentação dos caras é preciso deixar se envolver, cantar, pular e celebrar a vida em cada música tocada. O ápice da noite foi durante o clássico, Viva la Vida. Um coro de 100 mil pessoas cantou como se não houvesse amanhã, cada instante da canção! “Oh, oh, oh, ohhhhhhhhh…“. Me faltam palavras para expressar toda a emoção que foi esse ao vivo da canção. Um dos melhores de toda a carreira!

Charlie Brown, Clocks, Fix You e o fim show. Chegamos em Every Teardrop Is A Waterfall. Os fogos iluminavam toda a Cidade do Rock. Ao final da apresentação, o agradecimento com a bandeira do Brasil foi para encerrar tudo com chave de ouro. Em entrevista para o jornal EXTRA, Roberto Medina declarou que o melhor show da edição de 2011 foi o do Coldplay. O site do MSN  também elegeu o show como o melhor da edição, e o G1 destacou a banda como a “mais pedida”. Foi o memorável e fantástico show do Coldplay.

“Eles fizeram o show da vida deles.” – Roberto Medina

Por Matheus Lima