Quando perdemos alguém que amamos normalmente passamos pela dor do luto durante algum tempo e depois seguimos com a vida. Mas muitas pessoas tem a capacidade de transformar esse sentimento em algo a seu favor, como por exemplo, o ator Álamo Facó, que transformou um fato particular, privado e individual – o falecimento de sua mãe – em uma linda peça teatral.

Em 2010, a arquiteta Marpe Facó Soares Drummond foi diagnosticada com um tumor no cérebro e faleceu cem dias depois, deixando três filhos – o ator Álamo entre eles. Sempre ao seu lado, o ator e dramaturgo acompanhou em detalhes o tratamento, a luta e o dia a dia de sua mãe. Após seu falecimento, mergulhou em um processo de criação que chamou de “A Síntese do Relevante”, de onde nasceu o monólogo “Mamãe”.

Influenciado por artistas como Sophie Callle, Lygia Clark e Bruce Nauman, a peça não traz o drama exacerbado das histórias com essa temática.

E tem como prioridades, o encontro com o espectador e a busca pelo ineditismo, como possibilidade, deixando de ser sobre o falecimento de Marpe Facó e passando a ser sobre o valor da vida, cuja importância contraditoriamente fica nítida na possibilidade da morte. Com muita sensibilidade, Facó torna um fato particular um motivo para celebrar a vida de um modo geral.

Com temporada durante o mês de dezembro na Sala Multiuso do Espaço SESC Copacabana, seguirá em cartaz no Teatro Sérgio Porto a partir de 9 de janeiro de 2016.

Show Full Content
Previous Conversas Unissex
Next Entre Dança

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
Close