A indústria da música cresceu 8,1% no primeiro semestre de 2016, este é um bom indicador, significa que depois de uma pausa no crescimento mundial, essa indústria está dando sinais de mudanças.

Um grande percursor dessa mudança, é a revolução do streaming, novos lançamentos de serviços de streaming e aumento do consumo de música nesta modalidade, esse sem dúvida é o novo formato de consumo de música depois da revolução do Mp3 e Napster.

Estamos presenciando cada vez mais uma diminuição das barreiras entre os criadores e os fãs, estamos vendo mais marcas e artistas trabalharem juntos.

Um outro fator importante é a criação de novas estratégias de lançamentos de álbuns, conteúdos criados por fãs na forma de vídeo ao vivo, Snapchat, Musical.ly.

1- Streaming, liderado pelo Spotify que construiu um produto que está definindo a cultura mainstream, provavelmente evoluam ainda mais, além das playlists, provavelmente ampliem para os podcasts e vídeos.

2- Video ao vivo, Snapchat, Instagram, Facebok, esta modalidade provavelmente irá evoluir para dentro das transmissões de shows ao vivo, tornando-se cada vez mais uma ótima ferramenta de engajamento dos fãs e uma interessante ferramenta de funil de vendas para os artistas.

3- Aquisições de players menores do mercado como o Tidal, Sound Cloud e Musical.Ly são os prováveis alvos de aquisição da Apple e Spotify, estes 3 players são importantes para o ecossistema online da música, mas para eles poderem prosperar precisam de um parceiro maior para investir no crescimento, no Tidal temos importantes artistas como Jay Z, Beyoncé, além dos catálogos do Prince, o Musicaly.ly ganhou espaço com a morte do Vine e o Sound Cloud que tem uma grande identificação com a cena underground, precisará de maiores investimentos para ampliar a atuação dentro deste nicho de mercado.

4– Produtos de merchandise será cada vez mais presente dentro do ecossistema criativo, Kanye e Bieber usaram muito bem esta modalidade de negócio no último ano, será uma ótima oportunidade para desenvolver parceiros, marcas e fabricantes de produtos de merchandise que sejam focados em nicho de mercado, podendo ajudar a criar ciclos de moda. Música e moda sempre caminharam juntos.

5- O mercado da moda tem sofrido com os novos hábitos de consumo online junto a grandes varejistas como Amazon, a música é o veículo perfeito para trazer público para experimentar esses produtos, teremos ótimas oportunidades para artistas de nicho fazerem parcerias com eventos de moda, trazendo assim público para comprar esses itens. Esta é uma ideia que vai na contramão do ciclo varejista online, isso abre oportunidades de endorsement com fabricantes de moda.

6- Festivais de música focados em determinados nichos musicais, em 2016 vimos grandes festivais de nicho acontecendo nos USA como o US Cellular Field, Camp Flog Gnaw Carnival, Tomorrow Land, Ultra Music Festival, é uma tendência pois tem se mostrado bastante eficaz em atrair grande público de nicho, isto acaba ampliando os locais para você poder tocar ao vivo.

7- Realidade Virtual-VR, Realidade Aumentada-AR, equipamentos e dispositivos, para esses universos estarão com preços mais acessíveis, empresas como Apple com Ear Pods, Bragi e Doppler serão cada vez mais objetos de desejo desse público ávido por mais interatividade e experiência com som imagem e música dentro destes universos.

8- GOOGLE HOME E AMAZONAS ECHO, esses produtos estão mudando as casas e os hábitos de ouvir música e sons, então existirá uma grande procura por conteúdo para serem ouvidos nestes dispositivos, isto mudará a forma em que o conteúdo será ouvido, os estúdios possuem um provável nicho de mercado a ser explorado.

9- Facebook com videos ao vivo e estão desenvolvendo uma área nova com foco em música, pois tem sido uma das principais plataformas de mídias sociais de interação dos fãs com os artistas e a sinalização de recolhimento de direitos autorias veiculados dentro desta plataforma como já faz o Youtube.

10-As marcas não são suas amigas, mas elas precisam da sua música para se promover: os artistas possuem um grande potencial perante as marcas, eles são uma maneira especial de ajudar a construir a identidade de uma marca e se conectar com os consumidores. Cada dia, mais marcas estão entendendo que eles precisam de uma estratégia de música, e percebem que uma parceria com um artista pode ser uma grande ferramenta de persuasão, em 2016 marcas como Adidas, Bacardi e Puma conseguiram grandes vitórias se aliando com artistas, isso faz também que muitas outras marcas percebam que podem conseguir muito mais buzz quando se aliam a artistas além do porta-voz, mas quando o artista assume o papel de diretor criativo.

Artistas que são bem conectados com um nicho de Mercado possuem grandes chances de estabelecer parcerias com marcas.

Foque na experiência que sua música entrega para os seus fãs!

Por Claudio Girardi