De tempos em tempos Hollywood faz cinebiografias de personalidades que marcaram gerações, sejam de cantores, atores, romancistas ou até políticos. Alguns desses filmes acabam sendo sucesso e agradando muito os fãs das pessoas retratadas, e por causa disso vamos citar aqui cinco ideias de filmes de astros do rock que seriam interessantes de se ver na telona do cinema.

5 – Janis Joplin

Considerada por muitos a maior cantora de rock’n’ roll de todos os tempos, Janis Joplin teve uma vida bem melancólica, cheia de decepções amorosas, uma carreira meteórica que acabou em muito pouco tempo e tudo isso se passando na década de 1960. Ela é um dos maiores ícones da cultura hippie e até hoje não houve uma cinebiografia dela, já tentaram algumas vezes, só que os projetos acabaram sendo cancelados. Em um deles o próprio Fernando Meirelles queria dirigir o filme e em outro (o mais recente) a atriz Amy Adams iria interpretar a cantora.

Sugestão para o filme: A mão do Fernando Meirelles para a biografia da Janis Joplin realmente encaixaria muito bem, mas para viver a cantora recomendaríamos a atriz Alison Pill que fez o filme Scott Pilgrim.

4 – Ramones

A banda que inventou o conceito da música punk, Ramones mostrou para o mundo que dá para fazer música com pouquíssimos acordes e muita raiva. Já foi retratada em desenhos, documentários e sua história até já foi pincelada no fundo de outros filmes, como é o caso da produção de 2013 “CBGB”. Porém, esse quarteto que vestia jaquetas de couro poderia muito bem ter seu próprio filme.

Sugestão para o filme: Para a direção do filme do Ramones teria que ser um diretor com ritmo rápido, que conheça bem o visual urbano e cinza que o punk dos Ramones pode ter, então a sugestão seria Guy Ritchie.

3 – Black Sabbath

Imagine uma banda que queria fazer músicas com a mesma estética dos filmes de terror e com isso, inventou o Heavy Metal. Essa é a premissa do Black Sabbath, antiga banda de Ozzy Osborn, eles queriam fazer um som tão pesado que tinha que ser de uma forma que nunca ninguém tinha ouvido antes, então eles mudaram a afinação dos seus instrumentos para o som ficar mais grave e soturno. Tudo isso misturado com as lendas que rodeiam a banda envolvendo magia e as histórias regadas a drogas, sexo e rock’n’ roll.

Sugestão para o filme: Um diretor que já fez algumas cinebiografias e consegue transitar bem entre a comédia e o drama é Steven Soderbergh, por isso que esse filme poderia combinar com sua linha de trabalho.

2 – David Bowie

O camaleão do rock, Bowie transitou por quase todas as vertentes da música, indo do psicodélico, para o jazz e até a música eletrônica. Mas seu talento não era apenas esse, atuou em vários filmes e séries também. Seu visual mudava tanto quanto o tom de suas músicas e mostrou com seu trabalho que tudo era inconstante na sua carreira.

Sugestão para o filme: Quando Bowie faleceu existia boatos que sua amiga, a atriz Tilda Swinton, poderia interpreta-lo no cinema. Essa seria uma das melhores formas de retratar o astro, já que durante anos ele flertou com o visual andrógino.

Para a direção do filme teria que ser um cineasta com assinatura que conseguisse trabalhar muito bem o desenvolvimento dessa figura tão icônica, então a sugestão para esse cargo é Alfonso Cuarón, diretor de “Gravidade” e “Os filhos da esperança”.

1 – Led Zeppelin

Guitarra distorcida tocando blues, bateria e baixo extremamente técnicos e uma voz masculina tão aguda que surpreendeu a todos quando cantou letras sobre sexo, festas e Tolkien. Essas são algumas das várias características do Led Zeppelin que mudaram completamente o conceito do rock no final dos anos 1960 e início dos 1970.

Os inventores do “rock de arena”, marcaram tanto fora quanto dentro dos palcos, seja com uma guitarra distorcida tocada com harpa de violino, ou com a compra de um castelo que tinha pertencido a um bruxo inglês. O Led Zeppelin fez de tudo para ser tão grande e pesado quanto o significado de seu nome “Zeppelin de Chumbo” e sua história daria uma cinebiografia bem interessante.

Sugestão para o filme: Essa é uma história com personagens marcantes que elevaram o lema “sexo, drogas e rock’n’roll” para outro nível. Por conta disso a sugestão só pode ser o diretor de “O Lobo de Wall Street” Martin Scorcese, que além de ser um grande cineasta é um roqueiro que até já dirigiu um documentário sobre o Rolling Stones.

E aí gostou da matéria? Têm outras ideias de bandas que seriam ótimas de se ver no cinema? Comente e nos diga, é bem possível que façamos uma segunda parte dessa matéria ou até uma versão brasileira com os nossos artistas tupiniquins.


Por Fernando Targino