Connect with us

Hi, what are you looking for?

Filmes

5 coletivos audiovisuais que você precisa conhecer

O cinema e a fotografia independente são muito importante para fomentar a cultura brasileira. Com um histórico de resistência perante a cultura blockbuster e gastos abusivos em verbas cinematográficas, os coletivos estão cada vez mais formando uma nova visão de artes cênicas que vêm surpreendendo cada vez mais a todos.

  1. ÊPA Filmes

Eles surgiram em 2012 com o intuito de produzir filmes deforma independente e colaborativa. Durante todos estes anos diversos curtas e documentários foram feitos com um olhar único de crítica social e roteiros bem trabalhados. Além disso, são conhecidos por discutir novas ideias dos modos de produção no cinema, como conteúdo e as próprias técnicas usadas. Sua maior função é descentralizar a produção e o modo de pensar tradicional que na maioria das vezes são utilizadas. Propondo um cinema mais livre, de qualidade e inovação, onde cada vez mais o coletivo ganha mais força.

Advertisement. Scroll to continue reading.

2. Rosza Filmes Produções

Produtora independente diretamente da Bahia. Fundada em 2011, desenvolve atividades na parte de ficção e documentário, além das produções de eventos para projetos voltados ao cinema e educação. Eles levam a ideia de que o cinema é prática transformadora que descobre, movimenta e reinventa o mundo.

Advertisement. Scroll to continue reading.

3. Cual Coletivo Urgente de Audiovisual

Composto por um grupo de amigos de jornalistas e publicitários baianos, formam o Cual. Para eles, nada mais é do que a ideia de praticar uma arte que priorize o encontro e a reinvenção de um processo criativo. O Coletivo tem tempo suficiente para ter realizado mais de dez curtas nos mais diversos níveis e recursos. Muitos já ocuparam as telas de vários festivais importantes no Brasil.

Advertisement. Scroll to continue reading.

Além disso, o coletivo ainda promove mostras e oficinas de audiovisual. Seu diferencial é que além de tudo, eles ainda possuem no time músicos e compositores que fazem trilhas para os curtas do grupo.

4. Coletivo Gaiolas

O Coletivo Gaiolas surgiu em 2011 com o intuito de procurar o espaço de realização da mulher no audiovisual. O time é formado por três mulheres que trabalham a partir da auto-representação formando personagens. Algo que é muito importante nos dias de hoje devido à deficiência da representação da mulher em postos de direção e produção dos audiovisuais. Elas retratam a construção sobre questões de gênero, diversificação da linguagem, inquietações sobre a marginalização dos corpos e produção cultural.

Advertisement. Scroll to continue reading.

5. Sankofa

Sankofa surgiu com uma possibilidade de criar novas narrativas e adicionar outros olhares neste ramo. Tudo é a base de experimentos e conhecimentos que são compartilhados entre todos eles e o público. Diretamente do Rio de Janeiro, age dentro das universidades e comunidades para ser espaço de descoberta para novas formas de divulgar conhecimento.

Advertisement. Scroll to continue reading.

O Sankofa é o símbolo adinkra de resgate da tradição, cujo significado remete ao provérbio “se wo were fi na wo sankofa yenkyi” (“não é tabu voltar para trás e recuperar o que você perdeu”). Segundo o coletivo, é esta a mensagem que o grupo quer passar para os jovens das comunidades tradicionais; que é preciso olhar para trás e respeitar sua herança para buscar um aprendizado. O Coletivo Audiovisual Sankofa se dá então como espaço para a expressão criativa de tais conhecimentos e valores.

Todos estes coletivos agem em prol da divulgação de novos conhecimentos para um público que não tem acesso, além de oferecer novas visões do que é o campo cinematográfico, cada dia mais exclusivo para um público com renda significativa. A maneira de fazer arte e levar para lugares onde normalmente não possuem acesso é algo inovador que se mantém como valorização da própria cultura local, somando contudo, um belo conhecimento para todos os cidadãos.

Por Julia Reis

Advertisement. Scroll to continue reading.

Written By

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode ler...

Crítica

Antes da estreia, “Mulher-Maravilha” (de 2017) era um filme recheado de desconfianças. Despois do Universo Estendido da DC  (DCEU) ter fracassado, aquele longa chegava...

Filmes

Durante a CCXP Worlds houve painéis sobre séries de TV, quadrinhos, novelas e cinema. Especificamente falando dos filmes, todos os dias algum ator ou...

Filmes

Após sua reabertura, o tradicional e amado cinema paulistano, Petra Belas Artes, está passando por dificuldades para se manter funcionando devido à falta de...

Advertisement