A maior reclamação dos músicos independentes é como conseguir mais shows, ou como conseguir seu primeiro show.

Expandir a sua agenda de shows não é um trabalho tão fácil, provavelmente é um dos trabalhos mais difíceis dentro desta indústria.

Muitos artistas e músicos se encontram em muitos casos na situação de ter que pagar para tocar, ou acabam se submetendo a circunstâncias que no final acabam por desestimular a continuar como artista neste mercado.

Os problemas que a maioria cita são: você tem que estar na “panelinha”, ninguém valoriza a minha música, a cena musical brasileira está muito ruim, a música brasileira morreu, dono de casa noturna só aceita se você tocar de graça… são sempre os mesmos que tocam, e por ai vai.

Posso arriscar a dizer que a maioria dos músicos e artistas sofrem deste mal por não estarem bem posicionados, afinal o que eu quero dizer com posicionamento?

Não existe artista caro e nem artista barato, no mercado existem somente 2 tipos de artistas, os artistas que dão lucro e os artistas que dão prejuízo.

Como assim, artista que dá lucro e artista que dá prejuízo?

Se você olhar  bem atentamente todos estão no mercado com o mesmo objetivo, você de um lado como artista e os contratantes, todos estão em busca de resultados financeiros para poderem continuar a tocar os seus negócios, então todos estão atrás da mesma coisa: dinheiro.

Dito isso, em que fila do mercado você se encontra? Na fila dos artistas que dão lucro, ou na fila dos artistas que dão prejuízo?

1- Base de fãs

Se você é dono de uma casa noturna de um bar, um promoter, qual é o seu maior objetivo? É ter pessoas pagando ingresso e consumindo bebidas e comidas no seus estabelecimento ou evento, certo?

Se você não consegue mais shows é porque você não tem o que interessa para o dono da casa noturna ou promotor de eventos: público pagante.

Não tendo público pagante você está na fila do artista que dá prejuízo, pois você não tem nenhum valor agregado, não tem nada para negociar, consequentemente as piores ofertas é que irão aparecer para você.

Então você precisa construir uma base de fãs que siga você nestes eventos, e não seus amigos que querem entrada vip e bebem uma cerveja a noite toda.

2- Seu trabalho é apresentável?

Muitas oportunidades podem ser provocadas por uma boa apresentação, uma boa foto, um logotipo condizente com o seu estilo de som, a primeira impressão é importante, se você se contenta com o básico, com certeza só virão propostas básicas. Muitos músicos se descuidam tanto da sua apresentação pessoal quanto com seu material de divulgação, um material profissional ajuda a abrir algumas portas.

Como estão suas fotos nos seus perfis sociais? Como é a capa do seu single, ep, ou disco?

Seu material parece amador ou profissional?

3- Você possui material gravado ao vivo?

A maioria dos contratantes hoje pedem para ver um video teu tocando ao vivo, além do público que você pode levar para os seus shows, os contratantes querem saber qual é a experiência que você entrega para o público.

Quando você é contratado para realizar um show, você está sendo contratado a prestar um serviço de entretenimento, como você se apresenta, a experiência que você entrega para o público é fundamental na hora da contratação, pois você será uma atração.

Foque em entregar uma experiência única para seu público e seus contratantes, e mostre como é feito isso com vídeos, isso ajuda bastante o processo de decisão na hora da contratação.

4- Repertório de acordo com o público

Se você é um artista de rock, você está indos nos lugares que tocam o seu estilo, talvez você precise adaptar seu repertório ao perfil  da casa noturna ou do evento que você pretende tocar, certifique se seu repertório atende o público ou o perfil do contratante. Você não precisa descaracterizar o seu trabalho, pode manter a essência talvez ajustando alguns arranjos para determinadas ocasiões ou contratantes, você pode ter versões acústicas que atendem o perfil do público e/ou da casa noturna contratante.

Foque nas necessidades do público e dos contratantes, então pesquise antes de oferecer seus shows se o repertório está de acordo com as necessidades que precisam ser atendidas.

5- Seu show é um “produto”

Muitos artistas não encaram seus shows como um produto, então acabam não entendendo porque as coisas não acontecem como gostariam, consequentemente a agenda está sempre sem datas.

Qual é a qualidade do seu show?

Qual é o feedback do público, positivo ou negativo, se é negativo quais são as principais reclamações que seu público ou contratantes tem sobre o seu produto?

Você dá resultado positivo ou negativo ao contratante? Na noite que você toca qual é o resultado do caixa?

O contratante consegue mensurar seu potencial lucrativo? Quando você toca o lucro da noite é positivo ou negativo?

Se você encara o seu show como produto, certamente estará atento com estes detalhes, seu resultado sendo positivo certamente sua agenda será concorrida, você passará para a fila dos artistas que dão lucro e definitivamente sairá da fila dos que dão prejuízo.

6- Você pensa que pode!

A maior barreira é que muitos músicos e artistas pensam que isso só acontece quando você já é grande no mercado, a maioria tem um modelo de pensamento negativo, isto não vai te ajudar muito, então pense positivo!

Conquistar boas oportunidades não é questão de sorte, mas sim de estar bem preparado para quebrar as objeções, se você tem um bom produto, com repertório adequado, com uma imagem apresentável, com vídeos que provam que seu show é uma ótima experiência e você tem público, então você pode fechar mais shows!

Por Claudio Girardi


Apoia-se

Show Full Content
Previous La La Land versão TV
Next #CarnaWoo!: DIY para fantasias fabulosas e feitas em casa – Parte 1

2 thoughts on “6 maneiras de conseguir mais shows

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
Close