Connect with us

Hi, what are you looking for?

Literatura

Resenha: A Lista Negra

O namorado de Valerie Leftman, Nick Levil, abriu fogo contra vários alunos na cantina da escola em que estudavam. Atingida ao tentar detê-lo, Valerie também acaba salvando a vida de uma colega que a maltratava, mas é responsabilizada pela tragédia por causa da lista que ajudou a criar.

A Lista Negra, recém renomeada como A Lista do Ódio, é um Young Adult profundo de estreia da autora Jennifer Brown, que prometeu e correspondeu às expectativas da Woo!

Sinopse

O namorado de Valerie Leftman, Nick Levil, abriu fogo contra vários alunos na cantina da escola em que estudavam. Atingida ao tentar detê-lo, Valerie também acaba salvando a vida de uma colega que a maltratava, mas é responsabilizada pela tragédia por causa da lista que ajudou a criar.

Advertisement. Scroll to continue reading.
Livro: A lista do ódio | Grupo Autêntica
Capa reformulada de A Lista Negra

Livro

Valerie era uma garota normal que gostava da escola.. Tinha seus amigos e namorado “excluídos” junto a ela. Nick, namorado de Val, era um cara pobre, desleixado e negligenciado pelos pais. Ele e a namorada sofriam todos os dias com o bullying praticado pelos colegas. Assim eles iniciam a Lista Negra, como uma brincadeira, onde colocavam tudo que os irritassem no caderno vermelho: Álgebra, pais, colegas.

Para Valerie, aquela era apenas uma maneira de extravasar e de ter algo que pertencesse apenas ao casal. Para Nick, a lista representava tudo que tornava sua vida desprezível, então, ele decidiu acabar com tudo.

No dia 2 de maio de 2008, Nick abriu fogo na escola contra os colegas e promoveu uma tragédia que muda a vida de todos a partir daquele dia. Em meios aos tiros, Valerie cessa o caos ao ser baleada na perna.

“As pessoas fazem isso o tempo todo – acham que “sabem” o que está se passando na cabeça de alguém. Isso é impossível. É um erro achar isso. Um erro muito grande. Um erro que, se você não tiver cuidado, pode arruinar sua vida.”

 

Primeiras Impressões

A história de A Lista de Negra, inicia com Valerie tendo que enfrentar o primeiro dia do último ano da escola. Sem namorado, sem amigos e carregando a culpa da morte e das cicatrizes de várias pessoas, ela não sabe se suportará até o final. Durante a narrativa a história é dividida em quatro partes. Elas não seguem a linha cronológica dos acontecimento, então temos flashbacks da época dela com Nick, do verão no hospital e sua vida atual. Logo após os tiros, Valerie passa por cirurgias e é internada no hospital, entretanto, enquanto se recupera, ela passa pela pressão de ser interrogada diversas vezes por policiais e, em seguida, ser internada na ala psiquiátrica.

Foi muito interessante ver o retrato desse local descrito pela experiência de Valerie. Demonstra que, mesmo nos dias atuais, as pessoas que sofrem algum transtorno ou trauma são “maltratadas” no processo de cura.

Advertisement. Scroll to continue reading.

Em contraponto a esse lado negro, quando Valerie recebe alta, ela vai ao encontro do psicólogo Dr. Hieler. É nele que ela encontra o conforto e segurança que nunca mais tinha sentido.

Para mais histórias tocantes e relevantes, leia também a Resenha: Tartarugas até Lá Embaixo

 Segundas impressões

A construção de Valerie é incrível. A garota passa por um grande trauma e perde muitas pessoas que ama, seus pais não confiam nela, sua mãe não sabe como lidar com a situação e seu pai não a perdoa, ela é abandonada pelos amigos e muitas pessoas a veem como cúmplice dos assassinatos.

Advertisement. Scroll to continue reading.

No meio dessa tempestade, ela se encontra em um dilema moral e carrega a culpa e a angústia por tudo que aconteceu. Ela não se reconhece mais, não sabe o que realmente faz parte dela e como vai sobreviver a tudo.

E os personagens secundários não ficam para trás, eles são humanizados e muito reais. Destaque para o Dr. Hieler que era a âncora de Valerie e para Jessica, uma antiga “inimiga” de Valerie que é salva por ela e elas acabam tornando-se próximas -o que mostra o quanto realmente não conhecemos a realidade dos outros e julgamos mesmo assim.

“Como sempre há tempo para dor, há tempo para cura.”

A Lista Negra conta ainda com fragmentos de matérias jornalísticas (fictícias) que narram o acidente e as consequências sob a ótica da mídia. Nesse ponto demonstra o quão falha e manipulável os meios podem ser pelos seus interesses.

Advertisement. Scroll to continue reading.

 A obra é a estreia de Jennifer Brown, e que estreia! Ela consegue fazer um retrato psicológico profundo e uma narrativa que prende o leitor até o final. Não é um livro leve, ele demonstra a forma humana crua, como mesmo diante de tragédias assim o ser humano mantém a postura que permitiu aquilo acontecer.

Nem todo mundo busca a mudança ou a melhora, alguns estão apenas confortáveis demais na sua zona. Assim como tem pessoas que podem modificar completamente seu comportamento e sua vida pelas experiências passadas. A carga emotiva é forte e nos faz refletir sobre como tratamos os outros, a dor, a raiva, o amor e o perdão.

 Por fim, em um momento difícil, o livro muda a concepção de encarar as pessoas e a vida e convidamos a todos tenham a chance de ler essa obra cativante e incrível.

Advertisement. Scroll to continue reading.

“De certa forma, Nick estava certo: às vezes todos temos de ser vencedores. Mas o que ele não entender é que todos também temos de ser perdedores. Porque não se consegue uma coisa sem a outra.”

Written By

Pernambucana arretada que ama o incrível universo da literatura e todos os universos e possibilidades que ela pode abrir para você. Publicitária durante o dia e caçadora de vampiros e forças do mal à noite, entre uma coisa e outra estou sempre carregando um bom livro na bolsa. Também apaixonada por séries, filmes e tudo que me leve a uma aventura, e enquanto tento escrever minha própria história, também escrevo para vocês.

4 Comments

4 Comments

  1. Thiago Venícius

    27 de fevereiro de 2022 at 11:26

    A história é realmente cativante e frenética! Ainda não li esta obra, mas com certeza é digna de horas e horas de leitura! Parabéns pela tradução da obra, a sensibilidade na transmissão da conteúdo é impecável!

  2. Clailton

    27 de fevereiro de 2022 at 18:49

    Uma historia bastante interessante, bem atual, com certeza deixa o leitor ligado a leitura do inicio ao fim do livro.

  3. Carolina Ribeiro

    28 de fevereiro de 2022 at 11:58

    Ótima resenha! Despertou meu interesse de ler o livro, que já está na lista.

  4. Simone Barbosa

    1 de março de 2022 at 06:27

    Muito bom, da para refletir bastante sobre o assunto e aprender a respeitar as pessoas como um todo e nao por suas opções de vida,mas pelo ser humano que sao.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você também pode ler...

Advertisement