Connect with us

Hi, what are you looking for?

Crítica

Crítica: O Quarto de Jack

A inocência de uma criança 

“O Quarto de Jack” aborda, de forma delicada, sobre a vida em cativeiro de uma mãe e seu filho, de apenas cinco anos. Fato traumático apenas para a mãe, já que Jack, que é quem narra essa história, não faz ideia dos horrores que estão por traz do seu próprio mundo, que ele conhece como quarto. Para ele é apenas uma vida de constantes descobertas, como toda criança. Jack é como o pequeno príncipe, dono de um minúsculo planeta vermelho, do qual ele conhece cada cantinho.

O filme é baseado no livro “Quarto” de Emma Donoghue e tem o roteiro adaptado pela própria autora, que se inspirou no caso Josef Fritzl. Conta a história de Joy (Brie Larson), uma jovem que fora sequestrada aos 19 anos e mantida em cativeiro. Tudo muda quando ela tem um filho, fruto dos abusos de seu sequestrador, e sua maneira de protegê-lo é dizendo a ele que a vida lá fora não existe, transformando o quarto no seu próprio mundo.  A voz da criança de cinco anos, e cada singelo detalhe que ele nos mostra nesse filme, torna bastante perceptível sua origem na literatura, Donoghue soube muito bem levar sua história de uma mídia para a outra.

O pequeno Jacob Tremblay, intérprete de Jack, mostra um talento surpreendente. Ele e Brie Larson transmitem de forma muito verdadeira o laço entre mãe e filho. Brie desempenha muito bem o papel de uma mãe que tem que ser forte pelo seu filho, mas que tem o sofrimento estampado no rosto.

Advertisement. Scroll to continue reading.

Conforme a curiosidade do menino aumenta, sua mãe tenta explicar a verdade sobre o mundo lá fora, o que confere na virada sensacional, trazendo novos personagens, como os avós de Jack, interpretados por William H. Macy e Joan Allen.

Apesar da delicadeza, o filme dirigido pelo cineasta irlandês Lenny Abrahanson, tem seu momentos de tensão e de muita emoção, capaz de levar os público às lágrimas.

É uma obra cativante, sobre a visão inocente de uma criança sobre a situação em que se encontra com a mãe e mostra o amor sem limites entre os dois, que fez com que se superassem os maiores obstáculos.

Advertisement. Scroll to continue reading.

Reader Rating2 Votes
9.5
9
Advertisement. Scroll to continue reading.
Written By

Gleicy Favacho é uma maquiadora com alma de artista. Quando pequena sonhava em descobrir um mundo fantástico através do armário muito antes de se ouvir falar em Nárnia. Essa imaginação a levou a seguir uma profissão onde ela pudesse participar da construção de vários mundos e histórias diferentes, sendo apaixonada por cinema, teatro e outras artes. Claro que, sendo adulta, já mantém um pouco mais os pés no chão, mas sempre olha dentro de um armário ou outro, afinal, vai que… né?

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você também pode ler...

Filmes

Novos nomes devem se juntar a organização em breve A partir deste ano, 397 novos profissionais devem integrar a Academia de Artes e Ciências...

Filmes

O cinema pode ser uma ferramenta  maravilhosa de quebrar preconceitos e conscientização, assim como todas as outras áreas da arte O amor deve ser...

Filmes

Vivencie histórias de amor com esses filmes para curtir no dia dos namorados É hora de separar um tempinho, para junto com o seu...

Filmes

Deixando de lado musicais e filmes sobre dança, por motivos óbvios: eles não existiriam se as músicas não fossem 2/3 do mais importante em...

Advertisement