Cartaz de Pokemon: Mewtwo Contra-Ataca

Quando o primeiro filme da franquia “Pokémon” foi lançado, havia um mercado ainda muito pouco desenvolvido das adaptações de games para os cinemas. A animação de Pokémon, em si, já eram uma conquista de sucesso por terem conseguido agradar um amplo público, mesmo os que não conheciam os jogos. O jogo e a animação viraram febres nos anos 90, e continuaram agradando nas décadas seguintes, até hoje.

Não é por acaso que “Pokémon: O Filme” ganho um remake agora, 23 anos depois do seu lançamento, com “Pokémon: Mewtwo Contra-Ataca”. Há dois desejos nesse caso: o primeiro é o de fazer uma homenagem a obra que se tornou clássica; o segundo, atrair novas gerações através da remodelagem estética, que está nos moldes da maior parte das animações que estão disponíveis para as crianças atualmente.

A história contada é minuciosamente a mesma, pouquíssimas coisas diferem do filme lançado em 1997. Mewtwo e Mew voltam a ser os personagens centrais da história que, no geral, possui um enredo simples e rápido, o qual nos leva a um batalha de ideias, onde um pokémon clonado tenta descobrir o que ele mesmo é.

Assim como outros remakes atuais da Walt Disney Studios, “Pokemon:  Mewtwo  Contra-ataca” não acrescenta nada de novo para aqueles que assistiram as histórias originais, no entanto, pode agradar na questão visual alguns, assim como causar incômodos em alguns aspectos em outros mais nostálgicos – como por exemplo com a mudança de dubladores na versão brasileira.

O visual do longa é agradável na maior parte dos aspectos. O filme serve pra modernizar a estética do desenho nesse formato de traço computadorizado, que insere muito mais profundidade e beleza, além de cores. No entanto, em alguns detalhes deixa a deseja, como é o caso da equipe Rocket, que visualmente está pior do que estamos acostumados a ver. E, outro trecho que deixa a desejar são os clones por não possuírem muita diferença com os pokémons originais, o que pode deixar o público confuso durante as cenas de luta. Vale lembrar que no longa original os clones tinham manchas que os diferenciavam.

A emoção emanada deste filme também é aquém do esperado. Mesmo nas cenas que deveriam ser marcantes, aqui já não são tanto. Talvez a sensação possa ser diferente para aqueles que não conhecem a história. Contudo, para os que conhecem o impacto provavelmente será menor ou nenhum.

Nesse ponto, a trilha sonora poderia ser um alento, mas a mesma também não é tão forte, nem mesmo se destaca no filme, exceto no momento em que a canção tema é tocada.

Apesar de passar uma enorme sensação de que seja supérfluo, “Pokémon: Mewtwo Contra-ataca” pode servir como um bom texto para que novas histórias desde universo sejam lançadas com esse novo design de animação. Em si, isso pode atrair o público mais jovem, assim como continuar agradando antigos fãs. No entanto, se os próximos passos forem o de fazer novos remakes dos outros filmes deste universo, é melhor desistirem e permanecerem com a memória do que já foi feito até aqui, até porque, ninguém deseja mais remakes ruins, alem dos que a Walt Disney Studios vem fazendo.


Imagens e vídeo: Divulgação/Netflix


Apoia-se

Crítica: Pokémon- Mewtwo Contra-Ataca - Evolução

2.4
Regular!
Remake de “Pokémon: O filme”, o longa começa quando um grupo de cientistas decide criar o pokémon mais poderoso de todos os tempos. Mas a criatura chamada de Mewtwo se rebela e convoca grandes treinadores, escondendo um plano mirabolante.
Animação
História
Trilha
Pros
  • Apresenta cenários melhores que os do filme de 1997
  • Se mantém fiel a história original
Cons
  • A nova versão não consegue ser superior a original
  • O filme transmite pouca emoção
Show Full Content

About Author View Posts

Avatar
Dan Andrade

Cursando Produção Cultural atualmente, sempre foi apaixonado por cinema e decidiu que de alguma forma trabalharia com isso. Tendo como inspiração Steven Spielberg e suas histórias que marcaram gerações, escreve, assiste, lê e aprende, para um dia produzir coisas tão grandes e que inspirem pessoas como um dia ele o inspirou.

Previous Nublu Festival comemora 10 anos com muitos shows e conversas com artistas internacionais
Next Comédia “No Gogó do Paulinho” ganha clipe com grupo Molejo

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
Close