Connect with us

Hi, what are you looking for?

Literatura

Crônica: Fotografar ou vivenciar? Na dúvida, viva a Primavera!

Eu poderia começar esta crônica de forma bem clichê, dizendo que, depois de um grande e rigoroso inverno, eis que surge a primavera para nos alegrar , mas como se tivemos um “inverno não inverno”? Ficaria meio estranho, porém, nada nos impede de uma reflexão sobre esta estação tão bela…

Ah, a primavera, que nos encanta com suas flores, com seu verde, seus pássaros cantando e sua alegria, quem nunca se rendeu às suas belezas e registrou momentos e paisagens incríveis deste tempo tão belo?

Advertisement. Scroll to continue reading.

Aliás, registrar momentos e das vários cliques fotográficos, seja com máquinas de fotografar profissional ou aquele velho smartphone, já faz parte de nossa rotina diária e não existe mais aquele cuidado de fotografar somente os momentos mais importantes e com toda a cautela, além da ansiedade de ver a foto revelada e guardá-la cuidadosa e estrategicamente no álbum de família, afinal, poucos são os que ainda conservam o costume de guardar álbuns de família.

Vendo e pensando muito sobre este evento curioso que a tecnologia nos proporcionou, principalmente depois de dois acontecimentos desta última semana, os convido à esta reflexão junto comigo…

Primeiro fato: um simples e relaxante passeio em família, com direito a pic-nic e uma linda cachoeira, sorrisos, confraternização e muita alegria. Saldo ao final do dia: satisfação e felicidade versus nenhum registro fotográfico (pelo menos da minha parte).

Advertisement. Scroll to continue reading.

Segundo fato: como toda boa mãe, participo de grupos e mais grupos de isso e aquilo nas redes sociais, e para minha surpresa, acordo em um belo dia e me deparo com uma postagem de agradecimento. Uma mãe agradecia às outras, e aproveitava para “deixar a dica”, já que na festa de seu filho, nenhuma criança havia “bagunçado” a festa, e “aguentaram” ficar das 15h às 20h sem “tocar” na mesa do bolo com os doces e salgadinhos, mantendo intacta toda a decoração, permitindo assim, com que pudessem registrar o maior número de belíssimas fotos do dia tão especial, registros estes que “levarão para toda vida”!

Daí eu comecei a me perguntar: será mesmo que o registro fotográfico vale mais do que a vivência do momento? O que realmente levamos para toda a vida? A sensação de felicidade por desfrutar do momento, o cheiro, o toque, a vista e o amor compartilhado ou apenas um arquivo digital que já nem é mais impresso?

O que durará em nossas lembranças: o lazer bem vivido que não rendeu fotos, ou a festa mal aproveitada que deu pra tirar dezenas de fotografias? E cá entre nós, que fome estas crianças não passaram ao esperar cinco horas para comer o bolo?

Advertisement. Scroll to continue reading.

Pois é, a tecnologia muitas vezes nos cega à ponto de trocarmos os valores das coisas e até mesmo das pessoas, a fotografia, o registro do momento deve existir, mas ele só terá valido à pena se o momento tiver sido bem vivenciado e aproveitado. De que me adianta ter milhões de fotos do passeio se depois ao vê-las não lembrarei e nem retomarei o sentimento bom do que se passava?

Pode não parecer ter sentido começar esta crônica falando sobre a beleza da primavera e depois falar sobre registrar momentos, mas é aqui que entra a reflexão:

A Primavera é uma estação para ser contemplada e vivenciada com todos os nossos sentidos: a sensação do calor da manhã e da brisa da tarde, o perfume extasiante e diverso das flores, a vista bela do nascer e pôr do sol, o límpido azul do céu, a diversidade de cores das flores e plantas, ah, e a sinfonia dos pássaros que vale mais que ouvir as melhores orquestras do mundo!

Advertisement. Scroll to continue reading.

Sim, está permitido fotografar todos estes momentos que a Primavera nos proporciona, e será maravilhoso também compartilhá-las conosco, mas tudo isto só será válido se já estiver tudo bem registrado em nossas memórias e em nossas almas.

E, bora viver bem a Primavera! Seja bem vinda!

Advertisement. Scroll to continue reading.
Written By

Ela é jornalista, mãe, esposa e muito feliz, ama ler, escrever e aprender cada vez mais, além de ser apaixonada pela Língua Portuguesa. Já fez e faz de tudo um pouco nesta vida, por isso mesmo, ela diz: "tamuaí" pra tudo!

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você também pode ler...

Filmes

“Na primavera, calmaria. Tranquilidade, uma quimera”. Finalmente chegou a estação de flores, sol e nuvens, frio e calor. A primavera costuma agradar a todos...

Literatura

Estamos na primavera, a estação das flores. É tempo das cores mais vibrantes tomarem conta de cada cantinho da cidade. E para deixar seus dias...

Literatura

 03/11/2017 Querido Dário, Fui-me embora! Não! Eu não estou em casa da Margarida a conversar. Eu sei que insistes em dizer isso mas eu...

Literatura

Em atraso. Vamos fazer em linha reta, ok?! Ok! Só se pede desculpas quando se tem culpa de algo. Então faz um favor? Cale...

Advertisement