O que há de tão inusitado e curioso no cenário e na coreografia do clipe Chandelier (Candelabro) da cantora Sia?

Uma das músicas que fazem parte dos grandes sucessos de 2015, e que ainda é um dos melhores hits do momento.

As interpretações da letra da música, tem uma extrema ligação com a coreografia e seu cenário, uma jovem com sentimentos fortes depois de um uma noite de muitas doses de álcool, se questiona, tem medo, vergonha, numa extrema luta entre o se divertir liberadamente, a manter sua imagem moral.1280x720-afaComo no trecho:

”And I’m holding on for dear life

Won’t look down, won’t open my eyes

Keep my glass full until morning light

‘Cause I’m just holding on for tonight

Help me, I’m holding on for dear life

Won’t look down won’t open my eyes

Keep my glass full until morning light

‘Cause I’m just holding on for tonight

On for tonight…”

 

Que temos a seguinte tradução:

”E estou aguentando firme pela vida

Não vou olhar para baixo, não vou abrir os meus olhos

Vou deixar o meu copo cheio até de manhã

Porque estou aguentando firme hoje à noite

Me ajude, estou aguentando firme pela vida

Não vou olhar para baixo, não vou abrir os meus olhos

Vou deixar o meu copo cheio até de manhã

Porque estou aguentando firme hoje à noite

Aguentando firme hoje à noite…”

O cenário foi escolhido pelo coreógrafo Ryan Heffington, em um dos seus trabalhos inspirados em uma das maiores influencias da dança contemporânea, a Alemã Pina Bausch, responsável pela criação do gênero ”dança-teatro” na Alemanha e no mundo.032513-ktchn_3A coreografia de Ryan Heffington em Chandelier, interpretada pela dançarina  Maddie Ziegler de 12 anos, é tomada de várias expressões e gestos como: autoflagelação, medo, indecisão, retratando sentimentos nas letras de Sia na música Chandelier.59c8fdbd-a546-492b-b202-1e10d7bdd056_be811d8f_imageOs objetos inanimados, e o ambiente em tons de pastel, se comunicam diretamente com exposição dos sentimentos da coreografia. Sem contar que o cenário foi totalmente escolhido em escalas arquitetônicas pois, para Ryan, o espaço interfere diretamente em sua coreografia.

Confira o clipe abaixo e tire suas conclusões.

Por Lucinéia Lopes