A nostalgia é algo que está em alta nesse momento na cultura pop. Lembrar do que foi bom, filmes, séries, jogos, música e outros dá um afago na alma dos nostálgicos e Mauricio Silvério ou MauHard, idealizador e apresentador do canal RetrôHard é o responsável por trazer diversas emoções pra esse público que adora o passado.

Então, sem falar de coisas velhas ou antigas, vamos falar de coisas clássicas marcantes em uma entrevista mega nostálgica que você pode conferir abaixo:

Dan Andrade: Maurício, gostaria que você começasse contanto pra gente de onde surgiu a ideia de falar de nostalgia e de onde surgiu seu gosto com isso até se transformar nesse trabalho que você faz com o RetrôHard ?

Maurício Silvério: Primeiramente Dan, obrigado pelo convite para está sendo entrevistado pela Woo!. Cara eu comecei com nostalgia, na verdade, acho que desde a minha adolescência. Eu sempre fui um pouco retrógrado. Sempre fui para trás da minha idade. Sempre gostei de coisas mais antigas. E eu criei o canal RetrôHard depois de uns quatro anos tentando fazer canal de retro games.

Eu era colecionador de games, mas hoje eu não coleciono mais pois ficou caro esse hobbie. E eu colecionava videogames antigos e eu sempre falava deles nesse canal, mas nunca dava muito certo. Então eu percebi que enquanto eu falava de games nos vídeos que eu fazia eu acabava falando, por exemplo se fosse do game do “Robocop”, eu acabava falando mais do filme do “Robocop“, da história, de tudo que era do retro, e do game eu falava também, porém pouco.

Então eu comecei a perceber que eu gostava mesmo do retro no geral, não só dos games. Eu gostava do geral e acabava abordando outras coisas no canal de games. Então eu passei por vários momentos no Youtube, várias fazes de para e voltar. E em uma dessas eu parei, me planejei direito e falei: agora eu vou fazer um canal de Retrô, e abranger um público maior e vamos ver o que vai dá.

Parei um ano com o youtube com esse negócio de retro game e quando voltei, já voltei com o Retrôhard.  E foi crescendo e foi melhorando até hoje. Hoje eu já estou com três anos com o Retrôhard.

D.A.: Então você focou na nostalgia e lá no canal e nas redes sociais você fala de tudo: música, cinema games…

M.S.: Sim, porque na verdade eu tenho esse conhecimento pra falar. Na verdade eu vivi isso a minha vida toda. Como eu disse anteriormente, eu vivi isso a minha vida toda. Então eu vivi sempre escutando tudo do passado de música, vendo tudo do passado de filmes, jogando tudo do passado de games. Então isso me deu muito conhecimento e hoje eu compartilho do isso que vem na cabeça, no Retrôhard.

Imagem: Divulgação/Retrohard (Créditos: Maurício Sivério)

D.A.: E quais são as referências que você gosta de pegar dos anos 90, 80, entre outros, quais as suas preferências, aquelas coisas que te dão mais gosto de falar?

M.S.: Com certeza o Super Nitendo. Cara, Super Nitendo com certeza é o videogame, e a minha super referência dos anos 90, eu amo muito e tem até um ligado aqui no meu cenário. Inclusive e “deu pau”. Mas como todo mundo sabe, quando dá problema você tem que fazer o que? Tira o cartucho e assopra. E agora que fiz isso aqui pegou. Não falha, essa tática não falha.

Então assim, essa é minha maior lembrança e minha maior referência dos anos 90, videogames e o Super Nitendo.

D.A.: Falando agora dos seus vídeos, como você costuma pensar eles? A galera pede muito algum assunto específico?

M.S.: Sim, a galera que me segue principalmente no Instagram (onde eu sou muito mais ativo, faço vídeo e posto conteúdo praticamente todos os dias), a galera pede principalmente música. O pessoal gosta muito de música, porque o meu público está concentrado entre pessoas de 25 à 35 anos, um nicho. Mas, ainda sim tem de todo tipo de público, pessoal de 50, 40, 60 anos, entre outros.

Mas como a maioria faz parde do nicho que citei, essa galera é muito antenada nas músicas, eles tão ouvindo direto Spotify, etc. Então eu criei várias playlists do Retrohard lá no Spotify, precisei migrar para lá por causa de música. Foi mais uma ferramenta, então além de site, Instagram e Facebook agora tenho o Spotify também. Então a galera pede muito música.

Eu tenho quadro temáticos que saem toda semana nos stories em que eu trabalho com música. Então a galera pede uma música e eu mando nos stories o pedido dela. Ela pede um clipe e eu mando marcando essa pessoa nos stories.

D.A.: Então, trazendo esse assunto para os nossos tempos, com que olhos você tem vistos os remakes?

M.A.: Então, para ser bem objetivo na resposta. Vamos dividir remakes entre games e remakes entre filmes. E também tem remake de música também.

Quanto a remakes de games, alguns eu acho que alguns ainda estão caminhando. Um bom que eu curti bastante foi o “Street of Rages 4”, que foi um bom lançamento na verdade. Não é nem remake, é uma continuação. Mas, na maioria eu não me agradei muito com esses remakes.

Quanto ao cinema também. O cinema lançou alguns aí, como aquele de terror “A Morte do Demônio”. Cara, eu achei que não ficou legal. Não tem aquela pegada oitentista que eles criaram. E mesmo que eles tentassem fazer, de repente não conseguiria dar cento hoje porque a época passou. Dessa forma tudo que você vai tentar fazer hoje de remake, a época desse filme já passou então não vai pegar de novo. Então é complicado a gente falar de remake assim.

Claro que tem uma parte legal porque você mata as saudades dos clássicos, tanto na parte dos filmes quanto nos games. Mas você tem que assistir com outros olhos, porque nada vai ficar igual. Hoje, em relação ao remakes eu não sou muito fã não.

D.A.: E sobre as continuações de algumas franquias?

M.S.: Já as continuações sim. As continuações eu gosto como e te falei da do jogo, que eu achei bem legal e inova. Como também o próprio “Jurassic Park” continuou a franquia como “Jurassic World”. Aí você chega nos cinemas com a expectativa de assistir algo como o primeiro filme, mas então os caras continuam a franquia e estão inventando todo um mundo de novo. Você pega os jogos da franquia, pega os filmes por exemplo, e tem todo um mundo sendo inventado de novo.

Então se você abre a cabeça, você consegue ver uma coisa nova e você começa a gostar dessa coisa nova. Então as continuações me agradaram bastante.

Imagem: Divulgação/Retrohard (Créditos: Maurício Sivério)

D.A.: Tem algum filme, ou uma série, ou jogo que você considera que jamais mereceria uma continuação ou um remake?

M.S.: Cara! Então Dan, eu tenho um grande medo na verdade. Isso porque vendo hoje em dia como as produções estão sendo feitas, a preocupação com o roteiro tá cada vez mais precária. Então grandes clássicos as vezes se perdem por causa de roteiro. Graças a Deus ainda no foi o caso de Jurassic Park, mesmo ainda dividindo opiniões. Tem fã que não gosta da saga “World“, mas eu gostei.

Mas um filme que me assusta, que eu tenho medo que caia em mãos erradas é da franquia “Aliens“. É uma continuação do quarto filme ou do terceiro filme com a Ripley, com a própria Sigourney Weave. Já tem boatos aí né. Então eu sou muito fã da franquia e gosto muito da personagem, então eu tenho medo que eles estraguem a franquia. Como já aconteceu aí com filme que são canônicos, mas que não são um sequência direta do “Alien” 1, 2 e 3. Como o “Prometheus” e o “Alien: Covenant”. Eu achei que não ficou legal, e se ficar nessa linha e trazer a Ripley novamente, eu tenho muito medo.

D.A.: E qual sua década preferida, da qual você mais gosta de falar?

M.S.: Cara, eu gosto muito de ter vivido a década de 90. Foi uma década muito gostosa pra mim. Infância, a inocência, época de sair nas ruas e as outras coisas, era muito bom a década de 90. Copa do Mundo e tal.

Mas a década que eu mais admiro e que eu gosto muito é a década de 80. Principalmente em música. Então eu curto muito essa década e queria ter vivido essa década. Foi também onde nasceu muitas coisas.

Então eu admiro bastante a década de 80, mas não me arrependo de ter vivido a de 90 não.

D.A.:Agora vamos fazer um bate e volta rápido. Eu pergunto e você responde:

Filme preferido?

M.S.: “Jurassic Park”.

Gênero preferido?

M.S.: Ficção.

Uma série?

M.S.:“Evil dead”.

Um clipe?

M.S.: Goo Goo Dolls – Black Balloon

Personagem que você gostaria de ser?

M.S.: Justiceiro, inclusive eu tenho o cosplay dele.

Um jogo favorito

M.S.: Chrono Trigger”.

Um item favorito da sua coleção?

M.S.: VHS de “Jurassic Park”, o da capa fóssil.

D.A: Então, pra gente terminar aqui, fala como a galera pode te encontrar aí no seu canal e redes sociais:

M.S.: É só pesquisa@Retrohard e a galera vai me encontrar em todas as redes sociais. Tanto no Facebook, quanto no Instagram ou no Youtube também. E tem o site também. Lá no site tem tudo, tem matérias, tudo relacionado a nostalgia, novidades, tem entrevistas com as pessoas que já passaram aqui pelo canal, alguns artistas, tudo que tem a ver com o ramo do retrô. E também tem os classificados lá no site, são anúncios de coisas antigas, um mini Mercado Livre ali.


Imagens: Divulgação/Retrôhard (Créditos: Maurício Silvério)


Apoia-se

Show Full Content

About Author View Posts

Avatar
Dan Andrade

Cursando Produção Cultural atualmente, sempre foi apaixonado por cinema e decidiu que de alguma forma trabalharia com isso. Tendo como inspiração Steven Spielberg e suas histórias que marcaram gerações, escreve, assiste, lê e aprende, para um dia produzir coisas tão grandes e que inspirem pessoas como um dia ele o inspirou.

Previous Megan Fox vai à guerra e enfrenta leões assassinos no trailer de “Rogue”
Next Lives de agosto: Confira os shows já anunciados

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
Close
CLOSE
CLOSE