Os tempos mudaram, e as famílias também. Ainda assim, alguns problemas serão sempre os mesmos. Selecionamos algumas das famílias mais peculiares da televisão – e também mais amadas. E se você não assistiu a todas as séries, cuidado com possíveis spoilers.

Game of Thrones

Além dos dragões e intrigas palacianas, outro elemento fundamental da série da HBO são os dramas familiares. E não foram poucas as vezes que um desentendimento entre irmãos, pais, filhos e sobrinhos terminou num verdadeiro banho de sangue.

Mesmo com suas variações, todas as casas de Westeros podem ser descritas como “disfuncionais” – talvez não os Starks, mas não sobraram muitos deles para servir de exemplo.

Modern Family

Há pouco tempo atrás, os casais Jay/Glória, e Mitchell/Cam de Modern Family seriam vistos como fora do comum, por causa da diferença de idade entre os primeiros, e pelos dois últimos serem ambos homens, com uma filha adotiva.

Quanto mais assistamos a sitcom, de fato percebemos que os personagens são, realmente, fora do comum – mas não pelos motivos acima. Claire e Phill, o casal “normal” da família, também não ficam muito atrás dos outros nesse quesito.

Everybody Hates Chris

Podemos rir dos exageros cometidos pela família do protagonista : das técnicas mirabolantes do patriarca Julius para poupar dinheiro, das manias de Drew, da chatices de Tonia, e especialmente de Rochelle, cujas falas são verdadeiras pérolas sobre maternidade. O que não podemos nunca é negar todo o esforço e dedicação dos pais por Chris e seus irmãos.

Gravity Falls

Tivô Stan já é a primeira vista uma figura esquisita, com sua cabana cheia de quinquilharias para turistas, os trambiques e o senso de humor um tanto sádico. Seu maior segredo, porém, não é todo o dinheiro que deve para a receita federal, mas sua verdadeira identidade – e o paradeiro de seu irmão gêmeo.

The Middle

Frankie sabe que sua família está longe do ideal. O primogênito Axl é bom em esportes, mas um fracasso nos estudos; Sue é tão socialmente deslocada quanto entusiasmada; o caçula Brick acumula livros lidos e hábitos estranhos. O jeito passividade de Mike, o pai das crianças, atrapalha mais do que ajuda.

Ainda assim, a matriarca se desdobra para dar conta de todas as tarefas da casa, um emprego tedioso, os problemas dos filhos e ocasionalmente, de parentes mais velhos. E para todos os problemas, sempre existe comida congelada ou um fast-food perto de casa.

Irmão do Jorel

crédito: Cartoon Network

Existem coisas que só quem cresceu em uma família grande consegue entender. Outras, que só quem cresceu numa família grande, brasileira e suburbana consegue entender. Felizmente, existe “Irmão do Jorel” para compartilhar com todos essa experiência.

A produção brasileira do Cartoon Network acompanha o personagem-título, um menino de 9 anos com voz esganiçada, em sua jornada para superar a influência do irmão modelo, Jorel, e criar sua própria identidade.

Para bem ou para mal, ele sempre pode contar com a mãe fisioculturista, o pai jornalista e a vovó Juju para receber um conselho – ou um abacate maduro.

Arrested Development

Você pode até discordar que “Arrested Development” (foto em destaque) é uma das melhores séries de comédia dos últimos anos. Mas não pode negar que nenhuma família sofreu tantos altos e baixos quanto os Bluth.

Quando seu pai é preso por golpes empresariais, Michael assume a tarefa de manter a família em ordem. O que basicamente significa sobreviver a uma mãe socialite e xenófoba, um irmão com um complexo de Édipo mal resolvido, outro incapaz de viver em sociedade, uma gêmea viciada em compras e seu marido aspirante a ator, além de sua sobrinha e seu próprio filho.

Depois de quatro temporadas, algumas prisões, truques – ou melhor, ilusões – de mágica duvidosos, negócios falidos e alguns membros decepados, é difícil achar uma família que compita com os Bluth pelo posto de mais disfuncional.