O serviço de streaming, que faz parte da rotina de muitas pessoas no Brasil e no mundo, surgiu em 1997 (acreditem!), como uma locadora. A empresa enviava filmes pelo correio, o que já era uma grande inovação para o cenário dos anos 90, se pensarmos que o cliente costumava ir à locadora para escolher o filme e para devolvê-lo também. A sacada genial foi disponibilizar uma vasta opção de títulos, sem multas por atraso de devolução, com entrega em casa e por um preço fixo.

Com o sucesso obtido, a Netflix chegou a ser oferecida para a glamourosa da época, a Blockbuster, que, no entanto, recusou a oferta. A marca afirmou que não acreditava no progresso desse formato e defendia que os clientes gostavam da sensação de escolher a caixa do filme, olhar o encarte e ter a visita física à locadora. Bem, não foi bem isso que aconteceu.

Ironias à parte, o processo da Netflix continua o mesmo, mas com o avanço da tecnologia, o serviço melhorou e já é enraizado nos computadores e televisões mundo afora.

Porém, foi no ano de 2013 que a locadora virtual teve a segunda sacada genial, passo definitivo para tornar-se uma das empresas mais consolidadas do mundo quando o assunto é audiovisual. Nesse ano, eles deixaram de ser somente um distribuidor e começaram a ser produtores de conteúdo original. A primeira série divulgada foi “House of Cards”, drama que se passa em um contexto político e que já conquistou prêmios e indicações no Emmy, Golden Globe Awards, People’s Choice Awards, entre outros.

A partir daí, a Netflix estourou. A organização começou a produzir conteúdo original com frequência, resultando em séries com muito sucesso de público, como por exemplo: “Orange is the New Black”, “Marco Polo”, “Sense 8”, “Narcos”, Stranger Things” The Get Down”, documentários como “Making a Murderer, e filmes como “Beasts of no Nation e “Ridiculos 6”.

A novidade da semana é a nova produção denominada “War Machine”, filme que será feito em parceira com o ator Brad Pitt. O longa contará os bastidores da guerra do Afeganistão e é inspirado no livro “The Operators: The Wild and Terrifying Inside Story of America’s War in Afghanistan”, do escritor Michael Hastings. Hastings foi o jornalista responsável pela queda do americano Stanley McChrystal, cujo posto era o de comandante general durante a guerra. Além de Pitt, Topher Grace, Tilda Swintton e Sir Ben Kingsley também farão parte do elenco.

Brad Pitt em parceira com a Netflix produzirão o filme “War Machine”

A tendência do mercado é que o conteúdo, de forma geral, migre para a plataforma online, e nesse quesito a Netflix é um exemplo a ser seguido.


Por Manuella Neiva