NoEscurinho2

Mais forte que Bombas

O diretor de “Oslo, 31 de agosto”, estreou na Seleção Oficial do Festival de Cannes do ano passado o seu primeiro trabalho realizado nos Estados Unidos.

Foto 1

“Mais forte que bombas” se passa Três anos após a morte da fotógrafa Isabelle Reed (Isabelle Hupert). Uma exposição celebrando o seu trabalho traz o filho mais velho de volta para a casa da família, assim ele precisa passar mais tempo com o pai Gene (Gabriel Byrne) e com seu recluso irmão mais novo Conrad (Devin Druid) do que ele passou em anos. Sob o mesmo teto, Gene tenta conectar-se desesperadamente com os filhos, porém eles lutam para reconciliar seus sentimentos em relação à uma mulher de quem eles se lembram de maneiras tão distintas.

Trier disse que ficou feliz com a possibilidade que o trabalho em inglês trouxe, possibilitando desenvolver um projeto com atores internacionais, o que ele queria muito fazer. Além disso, segundo o diretor, o título do primeiro álbum americano da banda “The Smiths” dá nome ao filme, por “refletir o equilíbrio entre as pequenas e tenras dores da vida familiar em oposição às grandes ambições e experiências de uma mãe que está trabalhando no exterior como fotógrafa de guerra”.

O drama será lançado nos cinemas brasileiros no dia 7 de abril.

Gleicy Favacho é uma maquiadora com alma de artista. Quando pequena sonhava em descobrir um mundo fantástico através do armário muito antes de se ouvir falar em Nárnia. Essa imaginação a levou a seguir uma profissão onde ela pudesse participar da construção de vários mundos e histórias diferentes, sendo apaixonada por cinema, teatro e outras artes. Claro que, sendo adulta, já mantém um pouco mais os pés no chão, mas sempre olha dentro de um armário ou outro, afinal, vai que… né?

Show Full Content

About Author View Posts

Avatar
Gleicy Favacho

Gleicy Favacho é uma maquiadora com alma de artista. Quando pequena sonhava em descobrir um mundo fantástico através do armário muito antes de se ouvir falar em Nárnia. Essa imaginação a levou a seguir uma profissão onde ela pudesse participar da construção de vários mundos e histórias diferentes, sendo apaixonada por cinema, teatro e outras artes. Claro que, sendo adulta, já mantém um pouco mais os pés no chão, mas sempre olha dentro de um armário ou outro, afinal, vai que… né?

Previous Zoom it: Exposição “O Breaking”
Next Galeria: A “Imaginação” em Ipanema

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
Close