6 de dezembro de 2019

É um daqueles filmes que você não ouve falar, não é tão divulgado, mas que quando você encontra simplesmente não dá pra passar desapercebido. Mostra o quanto a educação move montanhas, nos leva a crer em nós mesmos e o quão de auto estima nos proporciona. É bem capaz que nenhum de nós tenha uma ideia clara porque talvez nunca tenhamos parado para pensar nisso, mas fato é que a oportunidade que temos de ter acesso ao mundo dos livros, da cultura no geral, nos muda demais e nos faz seres humanos bem diferentes do que porventura seríamos caso essa chance não se apresentasse e fizesse parte da nossa perspectiva.

É exatamente sobre isso que fala esse filme arrebatador. Fala de como podemos tentar mudar o nosso cenário pessoal  se abrirmos nossa cabeça, e mesmo tendo uma realidade dura, amarga, e destruidora podemos sim, triunfar sobre tudo o que tenta nos derrotar. E também mostra como é importante ter um objetivo, ter paixão por alguma coisa e arregaçar as mangas ao lutar pelo que se acredita como é o caso da professora Erin Gruwell, interpretada por Hillary Swank. Ela faz o papel de uma professora recém formada que acredita, de fato, no poder de transformação que sua profissão possui e se dedica dia e noite para tentar mostrar um pouco de beleza aos estudantes de sua turma.

Uma turma composta apenas por moradores da periferia americana: Latinos, negros, Asiáticos, que vivenciam em seu dia a dia, tanto dentro de casa quanto fora, uma realidade de conflitos, guerra de território, violência, morte e perdas. Uma classe formada por pessoas agressivas, de temperamentos fortes e difíceis, que apenas precisam sentir um pouco de fé depositadas em si mesmos para se mostrarem mais amáveis, dispostos e bondosos.1A essência do filme é algo que vivenciamos todos os dias, a luta por um sistema educacional digno, o quanto a educação pode e vai mudar o povo, o contato com a leitura, com a escrita, com as diversas formas culturais e artísticas. É uma produção que incentiva e destaca o quanto tudo isso é renovador, transformador e, por assim dizer, essencial para todos os indivíduos.

E eu deixei a melhor parte para o final, é claro… É uma história REAL! Eu sinto um grande orgulho por esse filme, por essas pessoas, por essas histórias.

Se vocês ainda não tinham escutado falar nesse filme, que foi lançando em 2007, saibam que ele é imperdível!

E que vale a pena conferir!

Abaixo o trailer:

Por Aline Vallim 

Show Full Content
Previous 5 Bonecas do mal
Next Crítica (2): Animais Fantásticos e Onde Habitam

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close

NEXT STORY

Close

5 filmes que provam que há bons filmes nacionais

10 de abril de 2017
Close