Review: Stranger Things (S02 Cap01 – “MadMax”)

Depois de 15 meses de espera, “Stranger Things”, série original da Netflix, voltou com uma nova temporada com nove episódios ao todo. No final do último episódio da temporada de estreia, alguns cliffhangers foram deixados para serem completados, possivelmente, nessa nova fase que estreou sexta passada. Entre os principais, temos a questão de larvas saírem de dentro de Will, deixando no ar a suspeita de que ele não estaria totalmente livre do Mundo Invertido e, claro, a especulação de que Eleven estaria viva, pela cena em que Hopper deixa alguns waffles na floresta.

Atenção: o conteúdo abaixo possui spoilers do primeiro episódio da segunda temporada de Stranger Things. Leia os outros reviews aqui

O episódio

Apesar de começar parecendo mais um episódio de Gotham e não da série adolescente de ficção científica, os irmãos Duffer não colocam nada sem um propósito. Os primeiros cinco minutos confusos foram somente para introduzir a ideia de que, assim como todos os fãs já se perguntaram o porquê do número 11, existem, sim, outras pessoas espalhadas com superpoderes. No caso mostrado, seria a número 08, que fugia da polícia em Pittsburgh. Ao longo do episódio, essa questão desapareceu, mas como tudo na obra é encadeado, é preciso esperar os próximos capítulos da saga.

Agora, voltando para Hawkins, a narrativa do episódio de estreia da temporada vai tentar envolver mais os problemas que Will anda passando, tendo muitos pesadelos sobre o Mundo Invertido, porém dará espaço para o resto da turma pré-adolescente também aparecer. Está perto de fazer um ano de todo o drama vivido com Will e Eleven, então o desenvolvimento gira em torno de como todos estão lidando com sua rotina. Aos poucos, as aparências vão sendo borradas e a crise existencial de cada um vai sendo relatada. De Mike, que ainda tem esperanças com a volta da amiga, até Nancy que se sente culpada pela morte de Barb.

Quanto aos adultos, Joyce precisa lidar com todo o cuidado do mundo com o filho mais novo e Hopper está presente tentando sempre ajudar no que for possível. Com as crises de pânico que Will tem, os dois levam o pré-adolescente em um médico ligado às pesquisas sobre o Mundo Invertido. Dentro do possível, o que se pode concluir é que eles não sabem que Will está sendo monitorado, mas nada foi demonstrado para provar o contrário.

O título do capítulo, a princípio, parece ser apenas uma referência para o filme do final da década de 70, mas, no caso da obra, era sobre uma das pequenas tramas que o episódio carrega. Com a vinda de uma nova temporada, dois novos personagens entram para a escola: Maxine, uma menina ruiva da idade do grupo dos meninos, que adora games e skate e Billy, o irmão mais velho, que tem a idade de Steve, Nancy e Jonathan.

No geral, foi um episódio fiel a todos os oito capítulos anteriores da história. As referências aos anos 80 permaneceram, assim como a essência dos personagens. Por mais que não tenha sido tão assustador como algumas partes dos episódios da primeira temporada, foi uma ótima volta, que conseguiu desenvolver, logo de cara, os cliffhangers, mas de forma bem desdobrada. A cena final, com toda certeza, fez com que os 45 minutos fossem finalizados com maestria, especialmente, por mostrar ao público o que todos necessitavam: Eleven está bem e sendo cuidada por Hopper.

Os personagens

Diferentemente da primeira temporada, em que a trama foi focada mais em Mike, Joyce, Eleven e Hopper, dessa vez, houve uma abertura para Lucas e Dustin aparecerem um pouco mais. Com a volta de Will, foi possível entender um pouco mais sobre o personagem e todos os obstáculos que o menino enfrenta diariamente com os resquícios do Mundo Invertido vivos dentro dele.

Quanto aos novos personagens, Max e Billy ainda não tiveram grande destaque, mas, no caso da menina, ela foi tema entre os meninos, que ficaram impressionados com suas habilidades em um videogame do fliperama. Ao que tudo indica, Billy servirá para atormentar Steve e o resto dos alunos do Ensino Médio.

Apesar de Jonathan não aparecer muito, nas poucas cenas, comprovou o quanto tenta ser presente da vida do irmão, ajudando sempre que possível. Já Joyce, que merecia um troféu de mãe do ano das séries, está namorando com Bob, que também tenta ser prestativo e está regularmente na casa da família.

Sendo mais drama que terror em si, “MadMax” é um capítulo introdutório que satisfaz e reafirma o sucesso da obra anteriormente.

 

Review: Stranger Things (S02 Cap01 - "MadMax")
9.5Pontuação geral
Votação do leitor 2 Votos
8.5