Quem não se lembra de frases como “vudu é pra jacú!” ou “em todos estes anos nessa indústria vital, esta é a primeira vez que isto me acontece”? Quem nunca chamou o doutor Hans Chucrute ou disse que “se o Pica-Pau tivesse comunicado a polícia isto nunca teria acontecido”? Acredito que pouquíssimos respondam essas perguntas com um “não”, já que o Pica-Pau é um dos personagens mais queridos por nós, brasileiros, e se tornou um ícone de nossa cultura.O Pica-Pau (Woody Woodpecker) surgiu em 1940 e tem uma história de origem controversa… De acordo com um agente de imprensa de Walter Lantz, durante a lua de mel de seu criador, um pica-pau irritante passou a noite inteira bicando o telhado do chalé alugado pelo casal, o que fez com que Grace, a esposa de Walter, sugerisse a criação de um personagem inspirado no pássaro incoveniente. Seria uma história bem bacana de criação, se não fosse por um pequeno detalhe temporal: Walter e Grace se casaram em 1941, um ano após a criação do personagem. Deduzimos então que ou o artista tinha um DeLorean para voltar no tempo ou a história de criação é fictícia como os personagens animados! Controvérsias à parte, o fato é que o pássaro maluco surgiu como um coadjuvante no curta Knock Knock, de Andy Panda. Curiosamente, aqui no Brasil o episódio ganhou o título de “Pica-Pau ataca novamente”, o que mostra que não sabiam muito bem a ordem dos episódios na hora de criar a versão brasileira! Para quem não se lembra, é aquele episódio em que Andy Panda e seu pai tentam colocar sal no rabo do Pica-Pau para capturá-lo. Tamanho foi o sucesso do personagem, que no ano seguinte ele já ganhou sua própria série, sendo o primeiro episódio de sua carreira solo o “Pica-Pau Biruta” (simplesmente Woody Woodpecker no original), curta em que todos pensam que o Pica-Pau está louco, fazendo com que ele vá consultar um psiquiatra.Existem muitas fases do Pica-Pau, que mudou muito durante todos esses anos, tanto física como psicologicamente. Na primeira temporada (1941 – 1943), ele era completamente louco e tinha uma aparência bem grotesca, com dentes separados e pernas bem grossas. Na segunda (1944 – 1949), ele já começa a ter uma forma mais delicada, as pernas já não eram tão grossas e tinham a cor azul, ao invés do amarelo listrado da primeira versão. Da terceira temporada até a sexta (1950 – 1972) o pássaro ganha a sua forma considerada a favorita entre a maioria dos fãs, mais magro, com o topete virado para frente e com formas bem mais delicadas que as versões anteriores. Com isso, concluímos a fase clássica do personagem, e ele só voltaria às telas após muitos anos com “O Novo Pica-Pau” (The New Woody Woodpecker Show) em 1999. Nessa nova série, o personagem teve seu visual nitidamente inspirado pelas primeiras temporadas, enquanto o lado psicológico permaneceu mais ou menos como o da terceira em diante, apenas um pouco mais maluco…

Não é só o protagonista que tem o carinho dos fãs! Muitos dos antagonistas também estão nos corações de várias gerações. Entre eles temos o Zeca Urubu, Meany Ranheta, Zé Jacaré, Leôncio, Smedley (o cachorro da “indústria vital”), Dooley e muitos outros! Há também personagens secundários que merecem ser lembrados, como o corvo Jubileu, Toquinho e Lasquita (sobrinhos do Pica-Pau), a namorada Paulina (Winnie no original e em “O Novo Pica-Pau”) e Pulguento, cachorro de estimação do Pica-Pau em alguns episódios.Mesmo após tantos anos o personagem segue conquistando novos fãs. Em outubro, teremos nos cinemas um novo filme com o personagem, que estará nas telonas em versão live-action. A opinião sobre o filme está dividida, de um lado estão fãs que gostaram do que viram no trailer, já que o personagem está com a aparência considerada a favorita entre todas elas (1950-1972), do outro lado está o pessoal que não gostou do que viu, sendo um dos principais motivos o fato de não aparecerem outros personagens da série além do Pica-Pau. Consideramos cedo para dar uma opinião e estamos ansiosos para conferir essa nova aventura do pássaro biruta nos cinemas!