Na próxima segunda-feira, dia 23 de abril estreia no horário das onze horas da noite, a nova supersérie, espécie de novela curta e série comprida, da Globo: “Onde nascem os fortes”. No primeiro episódio que está disponível na plataforma do Globo Play, já deu para sentir um gostinho do que vem por aí. São cerca de 50 minutos do começo de uma história que tem tudo para ser um grande sucesso.

Em pleno sertão nordestino, por coincidência ou não cidade fictícia de Sertão, conhecemos Maria (Alice Wegmann), uma jovem ciclista que mora na pequena cidade, mas é natural de Recife. Como é comum em novela, a mocinha tem um imprevisto na sua rotina, é importunada por dois marmanjos no meio do nada e o galã Hermano (Gabriel Leone) aparece para salvá-la. O mocinho, nascido e criado naquele lugar tão cheio de história e belezas naturais, se encanta pela jovem. Assim começa o primeiro romance da série. Maria tem um irmão gêmeo, Nonato (Marco Pigossi), que mora com ela, mas ao contrário dela, é marrento, encrenqueiro e em apenas um episódio ele se envolve em 2 brigas, uma delas vai ser o estopim para o decorrer da história.

Ainda na cidade de Sertão, temos Pedro (Alexandre Nero), um empresário que é uma espécie de coronel do lugar, conhecido como o Rei do Sertão. Ele é respeitado por todos, tem capangas, é rico, tem uma amante, e ninguém mexe com ele. Em casa a história já é outra, é muito carinhoso com os filhos, mas a relação com a esposa, Rosinete (Débora Bloch), não é das melhores. Isso porque a filha deles tem uma doença que os médicos não conseguem descobrir uma cura e enquanto a mãe fica em casa cuidando da filha e a levando em diversos especialistas, o pai está sempre trabalhando ou na rua, pelo menos é o que ela deixa claro ao confrontar Pedro em uma cena.

Em Recife, se encontra Cássia (Patrícia Pilar), mãe dos irmãos Nonato e Maria. A contragosto dela os filhos foram para Sertão, sua cidade natal, e a razão de não os querer lá não fica claro, mas provavelmente existe algum assunto do passado mal resolvido. Ela passa boa parte do capítulo preocupada por não ter notícias dos filhos, o que já mostra que como a maioria das personagens mães, ela também sente quando algo está errado com eles. No último minuto, conhecemos o juiz Ramiro (Fábio Assunção), importante personagem da trama, que estará no meio de um triângulo amoroso com Cássia e Pedro, mas pouco é apresentado dele.

As vidas dos personagens vão se cruzar de uma forma surreal. Maria começa a se envolver com Hermano, filho de Pedro. Nonato, o irmão dela, dá em cima da amante de Pedro e acaba se envolvendo em uma briga que pode ser fatal. Cássia vai voltar a cidade de Sertão para ir atrás de seu filho e acaba se envolvendo com Pedro e o tal juiz Ramiro ainda misterioso. Além disso, o público aguarda conhecer a tal “Shakira do Sertão” (Jesuíta Barbosa), que é o filho do juiz e também Samir (Irandhir Santos), líder espiritual de uma comunidade próxima à cidade que vai tentar curar Aurora, filha de Pedro e Rosinete.

“Onde nascem os fortes” é dirigida por  Walter Carvalho e Isabella Teixeira e tem roteiro assinado por George Moura e Sergio Goldenberg, os mesmos de minisséries “O Canto da Sereia” (2013), “Amores Roubados” (2014) e o remake da novela “O Rebu” (2014). A partir do primeiro episódio percebe-se que o resultado é bom. Boas cenas, boas atuações, bons diálogos. O cenário nordestino tem atraído cada vez mais novas produções globais, tanto que os roteiristas apostaram de novo nisso. A caatinga, a poeira natural, os relevos e até mesmo pinturas rupestres são como personagens essenciais. No elenco, temos veteranos como Débora Bloch, Patrícia Pilar e Fábio Assunção, que já possuem uma carreira na emissora de mais de 20 anos. Entre os mais recentes estão Marco Pigossi,  Alice Wegmann, Gabriel Leone, Irandhir Santos, Enrique Díaz, Jesuíta Barbosa e o galã de meia idade Alexandre Nero. Em apenas um episódio já é possível perceber que o time de atores não vai deixar os telespectadores decepcionados, não é para menos, são grandes nomes da televisão e do cinema brasileiro.

Durante 53 episódios, vamos acompanhar as histórias cruzadas de cerca de oito personagens principais que levam a trama adiante. Com a qualidade de um filme e uma história boa com romance, ação e drama, “Onde nascem os fortes” tem tudo para dar certo e alavancar a audiência do novo horário nobre. Que o decorrer dos capítulos não esfrie a relação entre produção e público. A supersérie estreia no dia 23 de abril na faixa das 23 horas e será exibida de segunda a sexta.