Depois de algum tempo, a cidade de São Paulo vem sendo palco de muitos lançamentos internacionais dentro do mercado cinematográfico. É o local preferido para o desembarque de astros e estrelas que promovem seus filmes ao lado da imprensa e o público cativo que faz presença com flash’s e muita felicidade. Órfã dessa alegria, a cidade maravilhosa já vinha perdendo suas esperanças, quando foi anunciada pela equipe da Paris Filmes, que ninguém menos que, a “oscarizada” Octavia Spencer estava de data marcada para aterrizar por aqui para divulgar o seu mais novo filme. E, claro, a Woo! Magazine não poderia ficar de fora.

Baseado no best-seller homônimo, escrito por William P. Young, o filme “A Cabana” estreia oficialmente no próximo dia 06 de abril. O longa narra a história de Mackenzie Allen Philip, um pai que tem sua filha raptada durante o período de férias da família. Em meio ao desespero e intensivas buscas, apenas a roupa da menina é encontrada manchada de sangue em uma cabana abandonada. Com o passar do tempo, e sem nenhuma solução para o crime, aos poucos, a tristeza aprofunda ainda mais o coração da família, fazendo com que Mack perca o pouco de fé que ainda lhe restava. Quatro anos mais tarde ele recebe um estranho bilhete, aparentemente vindo de Deus, convidando-o à voltar a tal cabana. Mesmo à contragosto de muita gente, ele decide enfrentar seus pesadelos e demônios mais internos. No local, o impossível acontece e ele percebe que o convite era para se encontrar com a Santíssima Trindade. Uma reunião inesperada que pode ser a solução para todas as respostas que buscou nos últimos anos.

Confira o Trailer:

Muito diferente da visão cristã, a abordagem dessa história é totalmente descontraída e um tanto quanto inovadora. No filme, dirigido por Stuart Hazeldine, encontramos Deus na pele de uma divertida mulher negra, lindamente interpretada por Octavia Spencer. O filme também traz em seu elenco a brasileira Alice Braga, como a Sabedoria, e o protagonista Sam Worthington no papel de Mackenzie.

Na coletiva exclusiva sobre o filme, que aconteceu em um hotel no Leme, zona sul da cidade carioca, Octavia foi a única do elenco que esteve presente e, de forma bem-humorada, recebeu a imprensa e convidados com brincadeiras e um sorriso contagiante. Simpática e sensível, pousou para fotos e se divertiu pedindo para não as tirarem de baixo pra cima. Em seguida, depois de um pequeno problema técnico com os aparelhos de tradução, ajustado rapidamente pela equipe, respondeu as perguntas dos críticos e jornalistas presentes.

Com uma visão muito sensível sobre Deus, a atriz falou da sua relação com o Todo Poderoso – que ela diz conversar sempre antes de começar o dia – e, especialmente, como foi vivê-lo nas telonas. Para ela, é difícil definir o que é ser Deus, então, decidiu por buscar uma abordagem mais maternal para o personagem. Falou também que algo muito amável, tanto no livro quanto no filme, é o fato da caracterização dos personagens fugirem à normativa cristã. Ao representar a Santíssima Trindade com diferentes etnias, a narrativa é feliz em mostrar que Deus está além das formas pré-determinadas.

Nessa perspectiva, “A Cabana” torna-se uma obra extremamente significativa ao representar e tratar do empoderamento feminino. Aprofundando ainda mais, ao revelar Deus na pele de uma afrodescendente, narra-se de forma bela o poder ancestral africano, o mesmo que se desmente ao longo de séculos de colonização e massivo desmerecimento de uma etnia tão cultural e historicamente rica.

E, ninguém melhor do que Octavia Spencer para viver tal personagem no momento. A premiada atriz começou a carreira em 1996, no filme “Tempo de Matar”, ao lado de Samuel L. Jackson, mas foi preciso muitos anos de luta em uma indústria extremamente competitiva para conseguir ser reconhecida no mercado. Foi com o filme “Histórias Cruzadas”, dirigido por Tate Taylor, no qual interpretou a ótima Minerva “Minny” Louise Jackson, que conseguiu a atenção da mídia, dos críticos, do público e dos grandes festivais e prêmios do cinema mundial. A partir daquele momento, Octávia provou que é possível e vale a pena acreditar e lutar pelos seus sonhos. Essa força que a atriz carrega, emana em suas personagens. É possível enxergarmos uma energia poderosa durante o seu tempo em tela, e isso faz muita diferença na hora de se entregar a um papel tão importante como esse.

“A Cabana” é uma obra de descobertas e redenção. O livro, que já era uma poesia sobre a vida, chega em forma de filme em um bom momento para sociedade. A produção aporta aos cinemas do Brasil no dia 06 de abril e promete emocionar. Confira nossa crítica sobre o filme.

Confira o vídeo da coletiva.


*Matéria escrita por Lorena Freitas e Daniel Gravelli