3NiMkCYtIHY
Longa de Robney Bruno Almeida estreia dia 9 de maio
Dias Vazios“, livre adaptação do premiado romance “Hoje Está Um Dia Morto” do autor goiano André De Leones, conta a história de Jean e Fabiana, um casal de namorados que cursam o último ano do ensino médio em uma pequena cidade do interior e vivem um dilema: deixar a cidade em rumo ao um novo destino ou ficar e continuar a história de seus pais. Jean resolve pôr um fim a própria vida e Fabiana desaparece. Dois anos depois, Daniel e Alanis, um outro casal de jovens namorados, procura entender o motivo do suicídio de Jean e qual foi o destino de Fabiana. Para eles essa busca se transforma numa chance de reinventar suas vidas.
O roteiro, escrito ao longo de 8 anos pelo próprio diretor, participou de vários laboratórios de desenvolvimento, dentre eles o Novas Histórias Lab, onde recebeu consultoria de profissionais renomados do cinema nacional e internacional.
“O filme lança um olhar sobre jovens que vivem em pequenas cidades onde não se tem perspectivas de vida. Se fizermos uma viagem de carro pelo interior do Brasil, podemos perceber várias corruptelas a margem das rodovias que, apesar do progresso, parecem ter parado no tempo. O que fazem estes jovens? Quais os seus sonhos? Certamente a maioria optam em abandonar o local e vão tentar a sorte nas cidades grandes. Mas e aqueles que, por alguma razão, ficam? Qual a sorte que o destino lhes reserva? Sem querer apontar culpados ou soluções, o quis fazer do filme uma reflexão sobre esse tema”, explica o diretor.

Foto: Divulgação/Olhar Distribuição

Dias Vazios” foi rodado inteiramente na cidade de Silvânia, em Goiás, onde se passa a história original do livro, com uma pequena inserção de uma cena na praia que foi filmada no Paraná.
“Escolhi filmar na mesma cidade onde se passa o livro por acreditar que a atmosfera do local poderia de alguma maneira impregnar cada fotograma do filme. Antes de iniciar os testes de elenco, cheguei a morar em Silvânia por 2 meses, fotografei suas ruas e casas, e conversei com jovens que tinham o perfil dos personagens”, explica Robney.
“A Silvânia que está na tela e todo o seu vazio, diz muito mais ao sentimento sensorial dos personagens do que a realidade encontrada. Esse foi o sentido que quis dar ao filme. O diabinho no meu ombro vivia dizendo que ninguém ia entender aquela história, mas o do outro lado dizia para ir em frente, que era importante também mostrar esse sentimento de vazio que fazem alguns jovens desistirem pelo caminho, enquanto outros… bem… reinventam suas vidas!”, ele complementa.
O filme, produzido pela Flô Projetos, já foi exibido na 21ª Mostra de Tiradentes onde foi bastante elogiado pela crítica e no Cine PE onde recebeu os prêmios de melhor direção de arte e melhor atriz coadjuvante (Carla Ribas). A estreia comercial está prevista 9 de maio 2019 pela Olhar Distribuição.

Sinopse:

Jean e Fabiana são um casal de namorados que curam o último ano do ensino médio em uma pequena cidade do interior e vive um dilema: deixar a cidade em rumo ao um novo destino ou ficar e continuar a história de seus pais. Jean resolve pôr um fim a própria vida e Fabiana desaparece. Dois anos depois, Daniel e Alanis, um outro casal de jovens namorados, procuram entender o motivo do suicídio de Jean e qual foi o destino de Fabiana. Para eles essa busca se transforma numa chance de reinventar suas vidas.


Fotos e Vídeo: Divulgação/Olhar Distribuição