Há alguns anos tinha uma história de que desenhos eram feitos apenas para crianças. Então, quando a meninada estava de férias ou folga, para diverti-los, bastava ver se no cinema estava passando algum filme de desenho e com certeza já era um programa certeiro e seguro.

Mas, hoje, vários adultos mudaram um pouco o modo como a indústria cinematográfica trabalha e não é incomum vermos adultos indo a sessões consideradas infantis. Em 2016, no entanto, um longa fez muito barulho quando chegou ao cinema: Festa da Salsicha”. Apesar do nome dúbio, da classificação indicativa para faixa etária (que não era recomendada para menores de 16 anos), e da massiva divulgação, muitos país e adultos levaram filhos, sobrinhos e outras crianças para assistir este filme, causando um alvoroço grande dentro das salas de cinema.

A despeito de que várias notícias, jornais, revistas disseram que o filme era uma animação adulta, e também de poder buscar informações no Google ou em outros sites de pesquisas, muitos levaram crianças para assistir um filme que era adulto e que tem uma temática extremamente pesada para menores. Mas, de quem é o erro?

É complicado responder a pergunta acima e responsabilizar os adultos. Talvez, não seja culpabilizar o correto, mas sim chamar atenção. Em um mundo que cada vez mais pessoas gostam de super-heróis, não obter informações sobre o filme deles, por exemplo, é meio perigoso. Atualmente, filmes do Superman têm um grande arsenal de cenas que contêm violência, tiros, lutas… O público-alvo deixou de ser o infantil (talvez, aliás, nunca fosse, mas os chefões do cinema aceitavam tê-los como parte de quem assistia). Animações seguem o mesmo caminho. Vários mercados já fazem filmes animados que não são indicados para crianças, há um bom público que gosta de desenhos e os assistem sem vergonha nenhuma.

Festa da Salsicha voltou a incomodar este mês porque o canal a cabo HBO o transmitiu (ou iria transmitir) durante a tarde, chocando muitos pais, que ficaram contrariados e fizeram verdadeiras campanhas contra o canal. É absolutamente compreensível o choque, afinal, o filme têm cenas realmente pesadas. Em um breve resumo, o longa narra a história de itens de supermercado que têm vida e consciência, como qualquer ser humano. Além de um palavreado totalmente inadequado para crianças, ele mostra cenas de orgia (ainda que seja com pães, salsichas, bananas… Mas, do mesmo modo, é bem entendível e totalmente inapropriado para o público mais jovem), violência e muita bagunça. Para quem foi pego desprevenido, é bem chocante.

Porém, aqui há algumas ressalvas importantes a serem feitas: o canal HBO é um canal adulto. Ele tem alguns conteúdos que são totalmente inadequados para crianças e não deve ser liberado para todas as idades. Se um canal adulto está passando um filme como “Festa da Salsicha”, o mais lógico a fazer, levando em consideração o público alvo do canal, é pesquisar o filme. O título do longa também já deixa bem claro que é um nome no mínimo dúbio. Há muitas piadas infames sobre salsicha rondando o imaginário humano. O que seria uma festa com salsichas? No mínimo, os país deveriam ligar suas anteninhas e pesquisar sobre.

Um outro ponto extremamente importante é não ter o interesse de saber o que os filhos estão vendo. O órgão do governo federal que cuida de classificações indicativas fez sua parte ao não recomendar para menores de 16 anos. Quando um filme recebe essa classificação significa que ele é inapropriado por motivos como sexo, violência, linguagem vulgar, entre outros. Uma pesquisa de cinco minutos na internet podem dissolver as dúvidas. A HBO, provavelmente, terá mais cuidado ao passar o filme, já que o alvoroço do público foi grande, mas isso não tira a responsabilidade que os adultos têm de ter com o que os pequenos e adolescentes estão vendo.

A “Festa da Salsicha” não é o único longa animado com temática adulta do mundo. Há muitos outros que podem constranger ou assustar o público mais desprevenido. É importante pesquisar já que o cinema visa lucrar com todos e tem como objetivo servir de diversão para diferentes idades.


Apoia-se

Show Full Content

About Author View Posts

Avatar
Marya Cecília Ribeiro

Marya Cecília é goiana de nascimento, mora em São Paulo há seis anos e ainda assim não consegue lidar com o clima 4 estações em um dia que rola nessa cidade.
Tem umas manias esquisitas, tipo ver um filme que gosta várias vezes, mas esta tentando lidar com isso (ou não). Falando nisso, ela não faz questão nenhuma de ser normal, então podemos apenas seguir em frente!

Previous Crítica: O Reino da Beleza
Next Truques de beleza da antiguidade que são atuais

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
Close