Connect with us

Hi, what are you looking for?

Música

Jorge Aragão enche o Vivo Rio para show comemorativo de 40 anos de samba

Jorge Aragão é, incontestavelmente, um dos músicos mais conhecidos desse país. Lançou diversas canções que tão logo seriam interpretadas por outros grandes nome da música brasileira, como Zeca Pagodinho, Alcione, Leci Brandão, Exaltasamba, Art Popular, Xande de Pilares e alguns outros. Sendo assim, a tarefa de alcançar gerações através do samba não vem a ser muito difícil.

Jorge Aragão tem uma grande bagagem quando o assunto é samba. Fez parte da geração que fez o samba se popularizar, um verdadeiro militante. Esteve na geração do pagode na qual sambistas se reuniam e faziam samba na quadra do Cacique de Ramos. Portanto, é mais que merecido seu título de Poeta do Samba.

Advertisement. Scroll to continue reading.

40 anos de trabalho, dedicação e amor ao samba e a arte da música. Após fazer parte do projeto Sambabook, que também é uma comemoração, Jorge chegou ao Vivo Rio com um show cheio de clássicos. Como ele mesmo disse no palco, não haveria nenhuma novidade pra nós, mas com 40 anos de carreira e tantas músicas, poderíamos curtir uma madrugada inteira com samba de primeira. E o público, ciente disso, logo respondeu que “não precisa!” quando Jorge anunciou a falta de novidade.

Jorge cantou grandes sucessos que animaram ainda mais o público fiel ao samba. “Eu e Você Sempre”, “Moleque Atrevido”, “Coisa de Pele”, e muitos outros sambas que temos de cor.

Jorge Aragão no Vivo Rio. (Foto: Letycia Miranda)

Jorge Aragão no Vivo Rio. (Foto: Letycia Miranda)

É de fato sabido que estamos vivendo um momento muito complexo e de mudanças no campo político que atinge a sociedade em geral. Rejeitamos com mais autoridade e assertividade comportamentos negativos como racismo, machismo ou qualquer tipo de descriminação e o mundo da música não pode ficar de fora. A música chega pra contribuir de maneira leve e sem agressividade o retrato da nossa época. Digo isto pois, antes de cantar “Chá de Louro”, Jorge fez questão de falar para o público que não se deve interpretar essa letra como machista. Perante sua visão, a música está aí acompanhando o retrato da época, que no ano em que foi lançada “Chá de Louro” era bem distinto dos tempos atuais. É um progresso o fato de que atualmente os artistas, que são verdadeiros ‘amplificadores’ da voz do povo, fazerem essas pequenas observações ao interpretar algumas letras mais antigas.

Dessa forma, Jorge completou, em outro momento do show, que precisamos falar muito de amor. Seu repertório conta com muitas músicas, verdadeiras poesias de amor. Sendo ‘brega’ ou não, é preciso falar pois o amor anda em falta.

Advertisement. Scroll to continue reading.

Durante toda sua apresentação, Jorge a todo momento falava com o público, que prontamente respondia e muito alegremente cantaram e abrilhantaram ainda mais a ocasião.

Seu público vai de crianças a idosos, perpassando por várias gerações, sendo antigo e atual ao mesmo tempo. Agradando tanto aqueles que a pouco estão por aqui, e aqueles que já estão há muitos anos.

São 40 anos e fica um trecho de “Moleque Atrevido” que muito se encaixa nessa ocasião: “Respeita quem pôde chegar aonde a gente chegou!”

Advertisement. Scroll to continue reading.

Por Letycia Miranda

Advertisement. Scroll to continue reading.
Written By

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode ler...

Música

Carol Mainá, a voz da nova MPB, lança música e clipe de com MARCEL nesta sexta-feira (7) Carol Mainá é uma grande promessa da...

Música

Artista promove show para doação de fundos para a Unicef David Guetta está se preparando para um show especial em Dubai. A transmissão será...

Música

Um dos pais da Bossa Nova é negro e gay. Thiago Pach reúne um time de peso para celebrar a obra de um do...

Música

O Prêmio Multishow 2020 abordará a transformação que a música passou por causa da pandemia A música não para! Esse é o mote do Prêmio...

Advertisement