E podem inspirar você, escritor 

Uma das coisas que a maioria dos escritores fazem quando não estão escrevendo, além da leitura, é assistir a um bom filme. E é dessa maravilhosa arte que o Bookland vai falar para você escritor, pois o cinema movimenta muito a nossa imaginação. Mas, os filmes apresentados aqui hoje, não foram primeiro para a tela dos cinemas, pois antes de tudo, essas histórias incríveis vieram mesmo em papel. E estão aqui nessa coluna para incentivar ainda mais o amor que temos pela escrita. Sim, porque os personagens desses Livros/filmes são escritores como nós.

Sob o Sol da Toscana

Vamos começar com esse romance leve, divertido e definitivamente inspirador. O livro de Frances Mayes, “Sob o Sol Da Toscana” fala da própria autora, uma professora americana que se tornou proprietária de Bramasole, uma casa de campo na Itália. Ela relata os primeiros tempos com seu marido em uma empreitada a princípio com dificuldades, mas descobrem no decorrer que valeu a pena o sacrifício.

No filme de mesmo nome, Frances é uma escritora americana que está tentando superar o fim de seu casamento e ganha de sua melhor amiga uma viagem para a Itália. Durante uma excursão, encontra uma casa de campo e por impulso resolve comprá-la.

O bacana do filme é que tudo nele é inspiração para o escritor. Desde os acontecimentos na vida da protagonista até a maneira como ela descreve tudo e todos ao seu redor. Uma excelente personagem para o escritor ficar de olho. Imperdível.

Espiã

Adulto ou criança, todo escritor deveria conhecer. “A Espiã”, de Louise Fitzhugh, livro de 1964 virou filme em 1996. Tanto o filme quanto o livro nos apresentam a Harriet, uma menina de 11 anos que ama escrever e vive espionando a todos da vizinhança e colecionando seus segredos em um caderno secreto. Seu sonho é ser espiã internacional. Um dia, esse caderno vai parar em mãos erradas e tem todos os segredos revelados, fazendo com que Harriet perca a confiança dos amigos que não gostaram de seu conteúdo. Agora, além de ter que lidar com a vingança, precisa recuperar a confiança daqueles que ama.

O ato de escrever tudo o que vê e percebe, como Harriet faz, é uma excelente dica para o escritor. Guardar as ideias e pensamentos, fatos interessantes que testemunhamos, pode render boas histórias no futuro.

Comer, Rezar, Amar

Esse é improvável que alguém desconheça, mas é sempre bom lembrar. O livro, que ganhou espaço nas telonas com o mesmo nome, é de Elizabeth Gilbert, uma escritora que resolveu compartilhar com o leitor a história de uma grande mudança em sua vida. Quando ela estava com quase trinta anos, sua vida era tudo que alguém poderia querer: carreira bem-sucedida, um marido apaixonado e uma bela e espaçosa casa recém comprada. Mas os sentimentos de tristeza e angústia vieram no lugar do de realização.

Diante de uma depressão após enfrentar o divórcio e outro amor fracassado, a escritora toma uma decisão radical: largar tudo e decide viajar pelo mundo. É uma viagem de aprendizado e de descobertas, sobre os outros e, principalmente, sobre ela mesma. Em belíssimos cenários como Itália, Índia e Indonésia, ela redescobre a espiritualidade, o prazer, o amor pela culinária e buscou equilibrar tudo o que aprendeu e reaprendeu.

A dica aqui é coletar momentos marcantes da nossa vida que podem ser compartilhados com os leitores um dia. E então, gostaram das dicas? Nada de tentar comparar os livros com os filmes, será que você consegue? Brincadeiras à parte, se já assistiu aos filmes, vale a pena partir para a leitura, pois é como se o universo da história que você já conhece se expandisse para que você pudesse mergulhar nele com mais profundidade.