Connect with us

Hi, what are you looking for?

Geek

Nostalgia Gamer: Vampiros e o Universo de Legacy of Kain

Antes de vampiros brilharem por aí, existia um chamado Kain, cuja história foi contada ao longo de uma série de excelentes games de ação/aventura que incrivelmente permanece ignorada na era dos remakes na qual vivemos atualmente. Sua jornada começaria em 1996, com “Blood Omem: Legacy of Kain” e renderia mais quatro sequências antes de sumir no mesmo reino onde se encontra “Half-Life 3”.

E falando em reinos, a história se passa na fictícia Nosgoth: um reino decadente após eras de tirania da raça vampírica. Essa tirania, por sua vez, viria a praticamente extinguir a raça humana, levando os próprios vampiros à quase extinção pela escassez de sangue. Desenhando: sem humanos, sem sangue.

Advertisement. Scroll to continue reading.

No primeiro jogo da série conhecemos Kain ainda humano. Quando ele é assassinado e ressuscitado por um necromante como vampiro, saindo em busca de vingança da boa e velha vingança à Tarantino. Mal sabia ele, então, que sua morte era apenas uma peça numa trama que envolveria todo o Reino. Mal sabiam os jogadores, então, que ali iniciava uma trama quase tão complexa quanto as linhas do tempo dos “X-Men” nos filmes da Fox.

O jogo seguinte, “Legacy of Kain: Soul Reaver” foi o que se tornaria um dos mais famosos entre os cinco. Sua história ocorre 1500 anos após os eventos do capítulo anterior, e é protagonizada por Raziel, o primeiro “filho” (ou, por assim dizer “cria”) de Kain. No melhor climaGame of Thrones”, Kain executa seu próprio “filho”, considerado um traidor do clã pela transgressão de ter evoluido. Mais uma vez, desenhando: Raziel criou asas. Podia voar. Eles não. Inveja.

Daí sairia uma nova história de vingança, que teria continuação direta em “Soul Reaver 2”, levando Raziel e Kain a um duelo final numa sala do tempo onde cada um termina em dimensões diferentes, com consequências e mais paradoxos, bem antes de Hollywood torná-los “modinha”.

Advertisement. Scroll to continue reading.

Somente em “Blood Omen 2: Legacy of Kain”, que o protagonista original voltaria a ser controlado pelos jogadores. Vemos um Kain mais jovem, na linha do tempo alterada pelos eventos de “Soul Reaver 2”. Com este jogo, vemos a ascensão dos vampiros liderados por Kain ao poder.

Foi com o último game lançado até então, “Legacy of Kain: Defiance”, que finalmente podemos controlar ambos personagens, que terminam se unindo numa jornada de redenção de Kain, que reconhece os danos de suas atitudes de rancor e ambição. Ao final do game, ainda é dado a entender que a história acabou, mas, infelizmente, nunca mais houve um novo jogo para série. Apenas alguns projetos foram anunciados, no entanto nenhum devidamente finalizado.

Com uma história complexa e um universo completo, com suas lendas e leis, Legacy of Kain seria talvez um caso que realmente precisava de um remake (ou pelo menos de uma sequência), ao contrário de muitas coisas que vemos por aí.

Todos os jogos da série (exceto o primeiro, afinal, nosso mundo é tão justo quanto Nosgoth) podem ser encontrados no Steam. Uma ótima pedida para quem quer relembrar a jornada decadente de vampiros que não mereciam ser esquecidos.

Advertisement. Scroll to continue reading.

Advertisement. Scroll to continue reading.
Written By

Carioca por acidente e adepto do pop e rock dos anos 90 e 2000. Sobrevive de uma dieta não moderada de Stephen King e gostos que ele jura serem divergentes. Ama escrever e fotografar, é defensor e problematizador do videogame como forma de arte, e, acima de tudo, metido a engraçado.

4 Comments

4 Comments

  1. Tary Belmont

    27 de março de 2017 at 00:57

    Muita gente da Fã-base de Castlevania já falou muito de Legacy of Kain como outra mega referencia de game sobre vampiros. Eu amo Castlevania, mas nunca tinha ouvido falar de Legacy of Kain até então. Estou querendo muito jogar esse jogo.

    Bites!

    • Cesar Rezende

      27 de março de 2017 at 10:36

      Tary, pode jogar, mas avisada de que são difíceis!
      Se não conseguir jogá-los no PC, vale sempre apelar pro emulador, mas vale muito a pena!

      Aliás, Castlevania é uma ÓTIMA ideia pra escrever sobre um dia!

      Obrigado pelo comentário!

  2. Clayci

    27 de março de 2017 at 08:20

    Nossa como eu tinha me esquecido desse jogo? hahahahaha
    Meu irmão era viciado <3 E só me contentava olhando ele jogar hauhiauhiua

    • Cesar Rezende

      27 de março de 2017 at 10:40

      Esse jogo me veio a mente quando pensei em escrever sobre alguma série antiga que merecia voltar.
      E realmente a maioria dos jogos nessa série tem a história tão rica, que dá pra até assistir e se interessar, mesmo não jogando.

      Tive que ver MUITOS vídeos (afinal, tem uma década q não jogo eles) pra lembrar a história!

      Obrigado pelo comentário!

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você também pode ler...

Filmes

Durante o The Game Awards, o Oscar dos games, Jim Carry apresentou o trailer de “Sonic 2”, filme que sairá em 8 de abril...

Games

O tão aguardado The Game Awards 2021 revelou seus vencedores. Com as participações de Jim Carrey, Ben Schwartz, Keanu Reeves, Carrie-Anne Moss, Giancarlo Esposito...

Filmes

A Sony Pictures Entertainment liberou o trailer de “Uncharted”, filme baseado nos games que começaram a ser lançados em 2007 pelo estúdio Naughty dog,...

Games

Durante seu programa de anúncios, a PlayStation Showcase, a Sony mostrou o novo “God Of War Ragnarok”, que sairá em 2022 para PlayStation 5....

Advertisement