12 de dezembro de 2019

Não é segredo que Lara Croft é a maior heroína dos games. Há mais de vinte anos no mercado, ela veio repaginada no reboot ‘Tomb Raider’, jogo de 2013, como uma personagem mais real e completa (e sim, com um design muito mais realista e menos apelativo), garantindo uma nova relevância para a maior arqueóloga que respeitamos. E é esta nova Lara Croft que nos será apresentada na nova adaptação da franquia para o cinema em ‘Tomb Raider: A Origem’, lançado nos cinemas brasileiros no dia 15 de março de 2018.

Embora videogames adaptados ao cinema nem sempre sejam necessariamente obras primas da sétima arte – ou menos ainda sejam respeitados pelos sempre exigentes fãs do material original – não tivemos como ficar imunes ao hype que uma boa divulgação pode causar. Sentamos para ver os trailers e trechos do filme, e comparando aos jogos, temos aqui uma listinha básica do que esperamos que o filme.

A Nova Lara Croft

Impossível deixar de citar as primeiras adaptações para o cinema de nossa heroína: ‘Lara Croft: Tomb Raider’ e ‘Tomb Raider: A Origem da Vida’, baseados na ‘Lara Clássica’, que não são lá filmes muito bons, mas são, de fato, carregados pela boa atuação da atriz vencedora do Oscar, ninguém menos que Angelina Jolie. Ela simplesmente consegue criar uma versão interessante da antiga Lara Croft que, por mais que fosse cativante, era uma personagem extremamente rasa, que se resumia a badass e sexy. A atriz trouxe uma corajosa mulher viciada em adrenalina, divertida de se assistir na telona.

Alicia Vikander como Lara Croft (divulgação)

Alicia Vikander é uma atriz extremamente competente, tendo vencido em 2016 sua própria estatueta de Melhor Atriz Coadjuvante pelo seu papel em ‘A Garota Dinamarquesa’ – com uma personagem completamente diferente da protagonista de Tomb Raider’. Se por algum acaso o filme não for lá muito bom, achamos que ao menos teremos a protagonista muito bem representada. A ‘Nova Lara’ é uma personagem com medos, motivações, mas de uma coragem, determinação e potencial desmedidos.

Problemas com o Papai

Uma coisa que a gente honestamente não entende, é como fazem jogos e filmes de ‘Tomb Raider’, com tanta frequência, onde a maior motivação de Lara é seguir os passos de seu pai. Richard Croft está morto nos games, e parece que no filme sua filha estará numa jornada para terminar seu trabalho, que o fez cair em desgraça pública, antes de morrer – referência perfeita à história dos novos games, como podemos ver no mais recente, ‘Rise of the Tomb Raider’. Amelia Croft, mãe de Lara? Até então, mal foi mencionada. Você vai ter que ir na segunda leva dos games clássicos (‘TR: Legends’, ‘Anniversary’ e ‘Underworld’) para saber dela.

É claro que é um reboot, mas ver histórias sobre uma mulher tão forte (mais ainda, depois desta reformulação) que ainda segue chorando pelos ‘pais derramados’ é um pouco desanimador. Eu sei que soamos desalmados, mas é que, para quem acompanha ‘Tomb Raider’ é cansativo, e até para quem vem pela primeira vez não é nada original. Ao menos, como dissemos antes, Alicia Vikander com certeza pôs seu coração no papel, então talvez isto salve essa trama previsível. Mas, no final do dia (ou da sessão), Lara Croft merece motivações melhores para suas aventuras.

AdaptAÇÃO

Perdoem o jogo de palavras. Mas é que os trailers e teasers fizeram uma coisa certa: se basearam nas icônicas cenas de ação dos novos jogos da franquia. Sim, teremos pulos humanamente impossíveis e uma Lara com um instinto de sobrevivência e reflexos surreais, afinal, é isso que amamos nela e seus jogos! Se você quer arqueólogos realistas, temos certeza que o Discover Channel ou o Nat Geo lhe servirão melhor.

Cena do jogo ‘Rise of the Tomb Raider’

Algo que deve mudar dos games para os filmes, no entanto, principalmente no que se diz respeito ás cenas de ação, é o nível de violência. Os jogos têm cenas bem explícitas. Nada feito um Mortal Kombat’ (bem longe disto, queridos), mas certamente cenas que rendam uma classificação indicativa mais amena, afinal, o filme visivelmente visa trazer novas gerações de meninas e meninos para o time da Lara.

Você pediu tumbas, @?

Pedimos. Elas estão no título, oras! Elas estão nos jogos! Então é claro que esperamos paisagens deslumbrantes, armadilhas e mecanismos antigos… Talvez por causa dos problemas com o papai mencionados acima, não tenhamos uma Lara focada tão explicitamente em achar um tesouro perdido, mas esta provavelmente se tornará a solução para seus problemas.

O Nascimento de uma Sobrevivente

Quando você termina o reboot ‘Tomb Raider’ de 2013, esta é a primeira frase que aparece na tela. No jogo, Lara ainda é inexperiente, sendo jogada em circunstâncias cruéis. É até difícil de assistir em alguns momentos nossa heroína sofrendo ferimentos físicos, mas a ‘Nova Lara’ teve grandes feridas emocionais: a primeira vez em que precisou matar, que, mesmo por defesa, se mostra um dos momentos mais impactantes dos games. Será que teremos isto também nos filmes? Com Vikander, uma atriz tão versátil, seria sensacional.

Atenção: spoiler do jogo ‘Tomb Raider’ (2013), no vídeo a seguir:

Então, vocês também têm expectativas sobre ‘Tomb Raider: A Origem’? Comentem aí! Vemos vocês nos cinemas!

Show Full Content

About Author View Posts

Avatar
Cesar Rezende

Carioca por acidente e adepto do pop e rock dos anos 90 e 2000. Sobrevive de uma dieta não moderada de Stephen King e gostos que ele jura serem divergentes. Ama escrever e fotografar, é defensor e problematizador do videogame como forma de arte, e, acima de tudo, metido a engraçado.

Previous Gatilho, uma HQ brasileira de faroeste
Next Crítica: Rocco e Seus Irmãos

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close

NEXT STORY

Close

Woo! Casual: Faça Sua Programação Para o Carnaval.

22 de janeiro de 2016
Close