Estamos chegando ao fim de mais um ano e, como sempre, nesses últimos dias de dezembro, é hora de olharmos para trás e recordarmos dos melhores momentos, dos exatos 358 dias até aqui. No cenário da música nacional, tivemos grandes e excelentes surpresas. Artistas ganhando ainda mais reconhecimento, nova fase na vida de alguns ex-integrantes de bandas e o surgimento e destaque de merecidas vozes, para todos os cantos do país. Confira uma lista com os artistas que mais tiverem notoriedade durante o ano.

ANAVITÓRIA

De Tocantins para o Brasil inteiro! A música brasileira teve a honra de receber em seu time, esse duo fofíssimo e maravilhoso, das duas amigas, Ana e Vitória. Com um estilo pop rural, elas estão conquistando cada vez mais os apaixonados por composições leves e encantadoras. O talentoso Tiago Iorc é quem cuida de tudo. Com um EP já lançado, um álbum pronto e milhares de visualizações na internet, Anavitória tem um mundo a desbravar.

BRAZA

Nicolas Christ (bateria), Danilo Cutrim (guitarra e voz) e Vitor Isensee. Esse é o trio BRAZA, formado por ex-integrantes do Forfun. No homônimo álbum de estreia, ouvimos elementos do reggae, soul e hip-hop, com essa mistura, é impossível não se viciar nas canções dos caras. ‘Segue o Baile’ é a faixa mais conhecida do trio, ainda sim, o álbum traz consigo composições sensacionais e que conquistaram o público fã do gênero e estilo. Eles estão com tudo, e o disco é um dos melhores nacionais do ano! Você também pode conferir uma entrevista que fizemos com eles clicando aqui.

 

CRIOLO

Dez anos após o primeiro disco, Criolo lançou uma nova versão de ‘Ainda Há Tempo’. O álbum é uma espécie de “melhores momentos” do ponto alto da primeira versão. ‘Ainda Há Tempo’ 2.0 conta com 9 músicas, e uma bônus, diferente do primeiro lançamento, que apresentava 22.

A música ‘Vasilhame’ foi uma canção que sofreu alteração, na mesma, tinha uma menção pejorativa a travestis (“Os traveco tão ali/ Ah, alguém vai se iludir”). Criolo vinha suprimindo estes versos em suas apresentações. E nesse ano, arrebatou vários novos fãs, que se encontraram em suas composições com mensagens do cotidiano.

 

LINIKER E OS CARAMELOWS

De Araraquara, interior de São Paulo, para brilhar no mundo da música: Liniker.

“Bicha, preta e pobre”, como a própria Liniker já se autodescreveu.

E ela não está sozinha, divide a voz com os parceiros de banda Caramelows, que estão juntos desde 2014.  A performance de Liniker e os Caramelows trata de um “corpo político” e de empoderamento. Zero, ao lado de Caeu e Louise du Brésil, integra o EP Cru – as três já ultrapassam 10 milhões de visualizações no YouTube!

‘Remonta’ é o primeiro álbum de trabalho de Liniker e os Caramelows, lançado em setembro, e já chegou recebendo diversos elogios, conquistando cada vez mais um novo público.

“É um disco de armadura, escrito por mim durante cinco anos, desde os meus 16, de pegar o que vivenciei, as ideias que tive, as angústias, os relacionamentos frustrados. E remontar, para que tudo isso me servisse de base” – explica a cantora de 21 anos.

 

O TERNO

A banda paulistana de rock é formada por Martim Bernades, Gabriel Basile e Victor Chaves. Com 3 álbuns e 1 EP, os meninos são uns chamegos na música brasileira. Estouraram com a música ‘Ai, Ai, Como Eu Me Iludo’ e agora fazem sucesso com o disco ‘Melhor Do Que Parece’, que traz ‘Culpa’, ‘Nó’, ‘Depois Que A Dor Passa’ entre outras músicas bem gostosas de se curtir. 2016 foi um dos melhores anos para os rapazes.

 

CÉU

Com o álbum ‘Tropix’, lançado em março desse ano, a cantora Maria do Céu dominou o cenário musical. O disco rendeu o Grammy na categoria Música Contemporânea. Além disso, o disco ganhou o Premio Multishow nas categorias Disco – Melhor Gravação pelo álbum Tropix, Clipe – Melhor Direção e Clipe – Melhor Fotografia por Perfume do Invisível, além de Versão do Ano por Chico Buarque Song. 

 

SILVA

O cantor SILVA foi destaque esse ano, por lançar ‘Silva canta Marisa’, sendo por muitos, o melhor álbum dele até o momento! A parceria com Marisa Monte deixou o álbum todo delicado e leve.

 

THE BAGGIOS

Em seu terceiro disco, Brutown, The Baggios apresenta um trabalho redondo, preciso e precioso. Eles misturam ritmos tradicionais, como o blues, passando pelo rock sessentista e o garage rock. A arte da capa foi feita por Neilton Carvalho (Devotos do ódio) e mostra uma cidade que beira o caos.

“O disco em sim é um reflexo desse atual momento do mundo” – diz Júlio (guitarra e voz).

Definitivamente, o ano de 2016 foi um dos melhores quando o assunto é música nacional. Um país com diversos talentos e muita diversidade. É claro que tivemos vários outros álbuns nacionais incríveis, entretanto, separamos os artistas que mais se destacaram no meio da galera.

Vida longa à música nacional e aos nossos artistas!

Por Matheus Lima