Esta é uma reclamação constante dentro da indústria criativa, a maioria dos artistas, músicos, fotógrafos, escultores, artesãos quem está envolvido com artes reclama que sempre está disputando o preço mais baixo e em muitos casos tendo que trabalhar por quase nada ou de graça, e em algumas vezes acaba pagando para trabalhar.

Os artistas em geral não se posicionam como um produto no mercado onde atuam, este é o primeiro diferencial entre um artista de sucesso, se compararmos com um artista em geral no mercado. Os artistas de sucesso entendem que eles são um “produto” e quando você é um produto você precisa entender algumas coisas sobre o processo da venda, como uma venda acontece.

Vamos usar um exemplo fácil de compreendermos sobre produto e concorrência no mercado: vamos entrar em um supermercado e vamos então na sessão de leites, você percebe que existem várias marcas e  dentro de cada uma dessas marcas existem alguns produtos que tem mais cálcio, desnatado, com mais ferro, com ômega3… vamos chamar isso de diferencial. As marcas entenderam que para um produto se destacar dos outros concorrentes precisa ter diferencial, imaginemos a seguinte situação, você entra agora no mesmo mercado e entra no corredor dos leites mas nenhum deles tem nas suas embalagens estes diferenciais, são somente leite, qual marca você compraria? A resposta mais lógica seria, “o mais barato”!

O primeiro ponto então é que artistas que não tem diferencial vão ser encarados como produto sem diferencial. Se não tem esse diferencial será escolhido pelo preço mais barato, esta é a lógica inevitável da vida, não é a panelinha do mercado e muito menos perseguição. Se você é um artista sem diferencial, será fatalmente consumido pelo menor preço possível.

Vamos então chamar isso de efeito da fila do menor preço, é onde 98% dos artistas se encontram, na fila do menor preço, esperando para serem consumidos, ou comprados, contratados, como você preferir. Se você está nessa fila é porque você não tem diferencial, então será escolhido o produto mais barato, mas agora vamos colocar nessa mesma fila um leite com cálcio e ômega3, esse leite fatalmente terá um preço maior, e se tem um preço maior com esse diferencial estampado na embalagem, você irá pensar, esse leite tem algo a mais do que os outros provavelmente. E é por isso que é mais caro, tem mais cálcio e ômega3 que é bom para a minha saúde… o que vemos aqui? Esta marca se destacou com um diferencial, com isso percebeu que pode cobrar mais por esse produto porque está entregando um “valor agregado”, o seu raciocíno lógico seria, não estou comprando somente leite, estou comprando um leite que me dá um benefício a mais para a minha saúde. Então o seu cérebro deixa de analisar o preço e avalia o valor daquele produto ou serviço, porque existe um benefício quando você compra esse produto com diferencial.

Qual é o seu diferencial se comparado aos seus concorretes do mercado? Que valor agregado ou benefício você entrega aos seus clientes ou contratantes que te tire dessa fila do menor preço?!

Por Claudio Girardi