A segunda edição da Chamada Pública da Linha de Produção de Conteúdos destinados às TVs Públicas teve seu resultado divulgado hoje, 3 de agosto. Das 828 inscrições, nos cinco editais regionais abertos simultaneamente em dezembro de 2015, foram selecionadas 57 propostas.  Os projetos resultarão em 218 horas de programação brasileira qualificada, produzida em 20 unidades federativas, a ser exibida em cerca de 215 canais dos segmentos comunitário, universitário e educativo e cultural do Campo Público de Televisão.

Nos editais das cinco regiões do País, foram contempladas 54 empresas brasileiras independentes. Da Região Norte foram selecionadas 12 propostas; da Região Nordeste, 11 propostas; à Região Centro Oeste coube 12 propostas; da Região Sudeste foram escolhidas 11 propostas e a da Região Sul, 11 propostas.

“O campo público de televisão tem atraído cada vez mais o interesse dos produtores independentes. Porque eles percebem que é um espaço de aproximação com a sociedade, um espaço propício para a diversificação e a circulação das obras audiovisuais brasileiras. É gratificante perceber que, em sua segunda edição, essa chamada pública se mantém oxigenada, permitindo assim, ampliarmos as vozes que atuam em todas as regiões do País. Com a descentralização da produção, valoriza-se a pluralidade e a diversidade da Cultura brasileira”, diz o diretor-presidente da ANCINE, Manoel Rangel.

Com o intuito de garantir maior permanência da programação nas grades dos canais, este ano foram priorizadas as obras seriadas. Ao todo foram selecionadas 46 séries, sendo 10 de animação, 16 de ficção e 20 documentais, voltadas para os públicos infantil, juvenil e adulto. Já projetos não seriados, foram selecionadas 11 obras documentais, destinadas ao público adulto. Os formatos de programação foram previamente debatidos em dezembro de 2015 durante o Seminário de Programação da Linha de Produção de Conteúdos destinados às TVs Públicas, promovido pela ANCINE em conjunto com as entidades do campo público de comunicação Secretaria do Audiovisual e a Empresa Brasil de Comunicação (EBC).

Para esta linha serão destinados R$ 60 milhões do Fundo do Setorial do Audiovisual (FSA).  A abertura da terceira edição desta Linha já está prevista para dezembro deste ano, de acordo com o Calendário de Financiamento do Biênio 2016/2017.

Resultados por região:

Na Chamada Pública PRODAV 08/2015 – Região Norte, foram escolhidas 12 propostas, originárias dos estados do Amazonas (06 propostas), Pará (02 propostas), Tocantins (01 proposta) e Acre (02 propostas). Veja aqui os contemplados desta região.

Na Chamada Pública PRODAV 09/2015 – Região Nordeste foram selecionadas 11 propostas, dos estados de Pernambuco (05 propostas), Bahia (01 proposta), Piauí (01 proposta), Ceará (03 propostas) e Sergipe (01 proposta); Veja aqui os contemplados desta região.

A Chamada Pública PRODAV 10/2015 – Região Centro Oeste selecionou 12 propostas originárias do Mato Grosso (03 propostas), Mato Grosso do Sul (02 propostas), Goiás (03 propostas) e também do Distrito Federal (04 propostas); Veja aqui os contemplados desta região.

Da Chamada Pública PRODAV 11/2015 – Região Sudeste selecionou-se 11 propostas, sendo 03 de São Paulo, 03 do Rio de Janeiro, 04 de Minas Gerais e 01 do Espírito Santo; Veja aqui os contemplados desta região.

Finalizando a lista, na Chamada Pública PRODAV 12/2015 – Região Sul foram selecionadas 11 propostas, sendo 06 do Rio Grande do Sul, 03 do Paraná e 02 de Santa Catarina. Veja aqui os contemplados desta região.

Saiba mais:

O Programa Brasil de Todas as Telas, lançado em julho de 2014, foi moldado para atuar na expansão do mercado e na universalização do acesso às obras audiovisuais brasileiras. Os resultados do Programa vêm superando as metas estabelecidas. Já foram 437 longas-metragens e 396 séries ou telefilmes apoiados. A aposta no investimento em desenvolvimento de projetos também foi bem-sucedida, rendendo a estruturação de 69 núcleos criativos em todas as regiões do país, e garantindo o desenvolvimento de 700 novos projetos de obras audiovisuais.

Em seu terceiro ano, o Programa Brasil de Todas as Telas garante a continuidade de uma política pública vigorosa para o audiovisual brasileiro.

A Linha de Produção de Conteúdos destinados às TVs Públicas destaca-se por seu pioneirismo na realização de cinco editais regionais simultâneos com o objetivo de nacionalizar a produção de conteúdos audiovisuais independentes. Em sua primeira edição, os editais resultaram na participação de 26 unidades federativas e 768 propostas inscritas – maior número já alcançado por uma linha do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA) e a realização de mais de 80 oficinas de capacitação para formatação de projetos, nas cinco regiões do País. Do total de propostas inscritas, 94 foram selecionadas, contemplando 83 empresas brasileiras independentes.

Os projetos da primeira Chamada Pública da Linha começam a ser exibidos no segundo semestre deste ano. Serão aproximadamente 250 horas de programação inédita (20h de obras seriadas de animação; 51h de obras seriadas de ficção; e 179h de obras seriadas e não seriadas de documentários) para cerca de 200 canais de programação do Campo Público de Televisão.

A linha é operada por meio de uma parceria entre a ANCINE, a Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura e a Empresa Brasil de Comunicação (EBC), e conta com o apoio da Associação Brasileira de Televisão Universitária (ABTU), Associação Brasileira de Canais Comunitários (ABCCOM) e Associação Brasileira de Emissoras Públicas Educativas e Culturais (ABEPEC).