13 de dezembro de 2019
Uma letra pode mudar tudo: fodido ou fudido, qual você quer ser? Ricardo Bellino ensina tudo em “Ninguém é f#dido por acaso” um verdadeiro manual da desfudência

Você com certeza conhece alguém “fodido” e outro “fudido”. Mas você sabe qual é o seu nível de “fudência”? Sim, você pode ser um dos dois e nem saber. Que droga, hein?! Mas tenha calma! A solução para isso está mais perto do que você imagina. O empreendedor e acelerador de pessoas desvenda todas as estratégias para sair do fundo do poço e conseguir o tão sonhado sucesso na vida. Em “Ninguém é f#dido por acaso”, lançado no Brasil pela Citadel Editora, o escritor relata de forma irreverente e desbocada episódios pessoais, orienta e ensina como sair da mediocridade e o mais interessante: sugere um teste que revelará o quão fudido você está.

A autoavaliação composta de 14 perguntas foi desenvolvida para ser uma poderosa ferramenta de autoconhecimento, a fim de que a pessoa possa se olhar, se identificar e entender suas atitudes. A partir do resultado pode-se adotar uma nova postura diante dos fatos e iniciar a transformação pessoal. O questionário pode ser acessado no Fudidômetro por qualquer pessoa. Estima-se que mais de 20 mil f#didos já tenham feito o teste do fudidômetro.

O fudidômetro tem cinco níveis de fudência; o resultado do teste depende do número de respostas positivas. O primeiro nível (de um a dois sins) é o mais moderado: “Vai se fuder em breve! ” O segundo (três ou quatro sins) indica que você está “Pouco fudido”. A seguir vêm “Fudido” (cinco sins), “Muito fudido” (seis a sete sins emplacados) e “Fudido total” (acima de sete marcações positivas).

Bellino, estabeleceu os níveis do fudidômetro a partir da experiência pessoal e admite ter sido um fudido antes de alcançar o sucesso no mundo da moda.

Parece complicado, mas é mais simples do que a maioria pensa. Existe um método. Essa é a boa notícia, e a partir das minhas experiências e treinamentos, vou mostrar como estruturar esse pensamento”, garante o autor.

Estar pronto para dar certo é muito mais complexo do que parece. Porque, quando uma ideia dá certo, meu amigo, tem um trabalhão pela frente. Se você já está em dúvida se sua ideia é boa ou ruim, há grandes chances de que seja ruim mesmo. Então, você precisa ter certeza de que sua ideia é fantástica. ” Ninguém é f#dido por acaso (Página 157).

A obra tem oito capítulos com títulos bem-humorados e sugestivos: “Acho que não vai rolar”, “O impossível não existe”, “A lei dos seis graus”, “Tenha foco: a lei dos três minutos”, “Ninguém vai acreditar se você não acreditar primeiro”, “Não desista na primeira crítica! ”, “Corra riscos” e “Se você acha que vai dar errado mude o rumo”. Com 176 páginas, o livro é um verdadeiro manual da desfudência, no qual Bellino fala sobre autoestima, insegurança, ousadia, a importância de ter contatos, de aprender com quem é fodido, o tabu que envolve os palavrões, criatividade, humildade e foco.

“É preciso movimentar, refazer, recomeçar, reorganizar, bagunçar para depois arrumar. (…) É hora de entender o processo, desconstruir seu caminho de fudido e assumir o controle”, ensina.

O autor só poderia terminar o livro com uma palavra: “Foda”. E convida o leitor a falar o palavrão em voz alta, agora, com uma nova atitude, mais consciente das mudanças, de posse de um guia que mudou sua vida. “Você vai ficar viciado no gosto do sucesso logo na primeira meta alcançada, vai comprovar que é possível e então partirá para a próxima mais confiante. Em um, cinco, ou dez anos, terá feito grandes mudanças na sua vida. E vai ser foda! ”, finaliza a obra, que é do [email protected]!

Show Full Content
Previous “Até que a morte nos separe” – Comédia musical reestreia no Teatro Folha
Next O Buraco d’Oráculo leva projeto de residência ao Campo Limpo com o Coletivo Bando Trapos

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close

NEXT STORY

Close

MPB Combina com o quê? Festival, Salvador, e muito mais!

26 de novembro de 2017
Close