Produção já tem longa carreira em festivais

Prestes a estrear, o filme “Três Verões” foi exibido para a imprensa de São Paulo, seguido de uma entrevista coletiva com a diretora Sandra Kogut e o elenco formado por Regina Casé, Jéssica Ellen, Daniel Rangel, Gisele Fróes e Rogério Fróes. Para apontar dois dos principais assuntos tratados durante a entrevista, é importante destacar as palavras de Kogut sobre o momento político que afeta a cultura do país: “como o filme foi desenvolvido antes das últimas eleições, ele ainda conseguiu aproveitar a verba de políticas públicas, que permitem fazer cinema no Brasil. Ainda existem alguns filmes, [como o dela] que estão saindo agora e que estão circulando. No festival de Berlim de 2020, [há filmes brasileiros] que são os que conseguiram passar pelas últimas portas que ainda estavam abertas ou semiabertas. O mais difícil vai ser a partir de agora e nos próximos anos, se continuar essa situação de paralisia que a gente está vendo aí”. Como todos sabem, as verbas para o audiovisual e para a arte em geral estão sofrendo enormes cortes por parte do atual desgoverno.

Imagem: Divulgação/Vitrine Filmes

Outro momento interessante foi quando Casé falou sobre mais um papel de doméstica, que se junta aos outros que fez nos últimos anos. Não seria muita repetição? A atriz respondeu com outras perguntas: “quantas atrizes só fazem papel de patroas? E nunca ninguém perguntou: vai fazer outra patroa? Não vai ficar repetitivo? Então, a pergunta maior é: quantas patroas existem no Brasil e quantas domésticas existem no Brasil? Existem mais patroas ou mais empregadas? Muito mais empregadas! Então, todas as atrizes, e não só eu, deveriam fazer muito mais empregadas, se a gente quer que o Brasil esteja na tela do cinema e da TV. Então, eu acho que eu estou quase como uma carreira reparatória, eu estou devendo muito às empregadas ainda, e espero fazer muitas, porque eu acho que tem muito mais histórias que não foram contadas.”

Em “Três Verões”, Casé é Madá, a empregada responsável por cuidar de uma mansão à beira mar. As estações vão passando e ela vai acompanhando as mudanças pelas quais passam os integrantes da família dona da mansão. O terceiro longa de ficção de Kogut começa sua carreira nos cinemas do Brasil no dia 19 de março. Veja o trailer do filme abaixo e aguarde nossa crítica que será publicada em breve.

Vídeo e Imagens: Divulgação/Vitrine Filmes


Apoia-se

Show Full Content

About Author View Posts

Avatar
Rodrigo Chinchio

Formou-se como cinéfilo garimpando pérolas nas saudosas videolocadoras. Atualmente, a videolocadora faz parte de seu quarto abarrotado de Blu-rays e Dvds. Talvez, um dia ele consiga ver sua própria cama.

Previous “007: Sem Tempo para Morrer” ganha nova data de estreia
Next Crítica: Dois Irmãos – Uma Jornada Fantástica

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
Close