8 de dezembro de 2019

O “Oscar dos VideoGames” está quase aqui! The Game Awards será transmitido direto do Microsoft Theather, em Los Angeles, no dia 07 de dezembro, às 21h30, e poderá ser acompanhado ao vivo através de sua página oficial.

A premiação reconhece os melhores jogos eletrônicos do ano, em suas mais diversas categorias, indo desde os tradicionais gêneros distintos de jogos, times e jogadores de eSports, e também games de impacto social. No entanto, o maior prêmio da noite, é o de Jogo do Ano. E hoje, vamos falar sobre os cinco indicados.

The Game Awards – Jogo do Ano

The Legend of Zelda: Breath of the Wild

Seria este o favorito para Jogo do Ano? Se “Breath of the Wild” vencer, tudo indica que será merecido. O jogo se atreve a finalmente inovar, de forma mais sólida, a consagrada franquia de mais de três décadas de idade, entregando um título que foca na exploração de um (desta vez, verdadeiro) mundo aberto.

Outra característica marcante do novo “Zelda” é a ausência de excessiva ajuda e tutoriais, de forma que não deixa o jogador desamparado, simplesmente fazendo com que ele experimente mais as mecânicas e possibilidades do universo do game por si mesmo. Parece que a Nintendo finalmente entendeu que os fãs da série, a esta altura do campeonato, cresceram e têm uma noção de como jogos funcionam em geral, não?

O jogo contou com a unânime aprovação da crítica e do público, mas se você quiser jogá-lo, é claro que vai ter que investir num Nintendo Switch, caso já não tenha um WiiU. A versão de WiiU, aliás, já rendeu inúmeros prêmios em 2016. Neste ano, o hit concorre também nos Game Awards de Melhor Direção de Jogo, Melhor Direção de Arte, Melhor Trilha Sonora/Música, Melhor Design de Som e Melhor Jogo de Ação/Aventura. E sim, é muito provável que a maior aventura de Link fature vários destes.

Super Mario Odyssey

A nova aventura de Mario tem certas coisas em comum com “Breath of the Wild”, que acabamos de citar. “Odyssey” também se atreve a renovar uma longa e consagrada franquia da Nintendo, sendo de longe, a maior aventura de todas do encanador italiano.

OK, o jogo não inova ao confiar (de novo) no tropo da Donzela em Apuros, e ele tem que mais uma vez salvar a Princesa Peach das garras do Bowser. Desta vez, ele sequestra a princesa e decide se casar com ela. Quase inovação aí, nesta do casamento? Ou nosso vilão simplesmente está sendo sincero e entrou em contato com seus verdadeiros sentimentos?

O que interessa é que a aventura traz uma versão muito maior daquele consagrado gameplay de “Mario 64”, com muita exploração, mas desta vez com a ajuda de Cappy, seu boné, que agora tem poderes, podendo até “possuir” inimigos. Felizmente, não é sombrio como soa por escrito.

É o jogo com mais indicações do Game Awards de 2017 (sete, no total), sendo as outras: Melhor Direção de Jogo, Melhor Trilha Sonora/Música, Melhor Design de Som, Melhor Jogo de Ação/Aventura e Melhor Jogo para a Família.

PlayerUnknown’s Battlegrounds

Sabe aquele jogo que veio aparentemente do nada e se tornou uma febre? Podemos dizer que “PlayerUnkwnown’s Battlegrounds” é um desses. O hit dos PC’s, com mais de 10 milhões de unidades vendidas, chega agora em dezembro para Xbox One. O jogo consiste basicamente em pôr cem jogadores numa ilha remota, onde eles lutarão até a morte, com um arsenal daqueles à disposição, é claro. Ele poderá jogar pela vitória do time, ou, se for um daqueles lobos solitários, tentar ser o único sobrevivente.

A indicação do jogo, no entanto, vem com uma pequena polêmica: o título ainda está em desenvolvimento, no que chamamos de Acesso Antecipado (Early Access) – quando o jogo ainda não é considerado finalizado, mas já está disponível para aquisição e uso, de forma que os jogadores passem feedback constante para os desenvolvedores, que vão atualizando e moldando o produto final assim.

Por outro lado, não se pode ignorar 10 milhões de cópias e uma legião de fãs, também, afinal, se tem uma mídia que quebra certas regras, certamente é o videogame. O jogo já venceu dois Golden Joystick Awards, outra grande premiação da Indústria Gamer, por Melhor Multijogador e Jogo para PC do Ano.

No Game Awards, também está indicado a Melhor Multijogador e Melhor Jogo de Conteúdo Contínuo – categoria inédita, para o reconhecimento de títulos que continuam trazendo DLC’s e atualizações relevantes após o lançamento.

Persona 5

Lançado em originalmente em setembro de 2016 no Japão (e mundialmente em 2017), “Persona 5″ tem aquela pegada de JRPG que a galera ama, além de atributos inovadores, que diferenciam a franquia dos demais colegas de gênero. É basicamente a trama de um anime transformada em videogame: você é um estudante, que precisa lidar com suas obrigações e compromissos sociais (dentro do jogo, inclusive), mas paralelamente luta contra demônios no que parece ser uma dimensão paralela. Quaisquer semelhanças a Digimon serão meras e felizes coincidências.

As mecânicas de combate são mais tradicionais, desenvolvida em turnos, e você poderá convocar Personas, no melhor estilo Pokémon (só que bem mais “demoníaco”, digamos) que poderão afetar seriamente suas estratégias.

“Persona 5” também concorre a Melhor Direção de Arte, Melhor Trilha Sonora/Música e Melhor RPG.

Horizon: Zero Dawn

Em “Horizon: Zero Dawn”, você encarna a habilidosa caçadora, Aloy. Ela vive no século XXXI, no qual a humanidade se reverteu às tribos primitivas, sobrevivendo de caça e colheita. Há três tribos predominantes: os Nora – da qual Aloy foi expulsa, desde seu nascimento, os Carja e os Oseram. Aloy poderá explorar um mundo gigantesco, relíquias do passado, mas a aventura não será tão simples como parece. O mundo também está tomado pelas Máquinas – robôs gigantescos em forma de animais primitivos, que provarão ser um verdadeiro desafio para a guerreira.

O hit exclusivo do PlayStation 4 está indicado também aos prêmios de Melhor Direção de Jogo, Melhor Narrativa, Melhor Direção de Arte, Melhor jogo de Ação/Aventura e Melhor Atuação (para a atriz Ashly Burch, que interpreta a protagonista).

E estes são os indicados de 2017! No ano passado, foi “Overwatch” quem faturou o maior prêmio da noite, desbancando outro grande favorito, “Uncharted 4”! Enquanto aguardamos para saber se teremos outro momento destes nesta edição, finalizamos com o vídeo oficial do grande momento do Game Awards do ano passado.

Show Full Content

About Author View Posts

Avatar
Cesar Rezende

Carioca por acidente e adepto do pop e rock dos anos 90 e 2000. Sobrevive de uma dieta não moderada de Stephen King e gostos que ele jura serem divergentes. Ama escrever e fotografar, é defensor e problematizador do videogame como forma de arte, e, acima de tudo, metido a engraçado.

Previous Resenha: Como eu era antes de você, de Jojo Moyes
Next 5 Livros para entrar no clima de natal

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close

NEXT STORY

Close

Crítica: Sai de Baixo: O Filme

28 de fevereiro de 2019
Close