Misteriosamente, após quatro meses e meio, o tão famoso “menino do Acre”, Bruno Borges, desaparecido desde 27 de março, de forma inexplicável, retorna à sua casa sem uma explicação decente. Mas, o que é mais curioso nesta história toda é que seu retorno se dá em menos de dois meses da publicação de seu livro “TAC – Teoria de Absorção de Conhecimento”, e que já alcançou a 20ª posição dentre os livros de ‘não ficção’ na lista dos mais vendidos.

Daí vem a pergunta: toda a história deste seu desaparecimento não seria apenas mais uma ação de marketing para a divulgação e venda de seus 14 livros, dos quais, já se tem a previsão da publicação do segundo volume dentre os próximos dois meses? E a resposta é: sim, com toda certeza! E tem surtido efeito, mas e para os leitores, tem sido vantajoso?

O primeiro volume, que conta com 191 páginas, não atende às expectativas que causou em grande parte das pessoas. Tentando mesclar filosofia e religião, o autor realiza um grande esforço em explicar o sentido de colocar por escrito sua “nova filosofia” de vida e afirma em vários momentos que é algo novo, original e com resultados, mesmo que sua intenção não seja a de ser um filósofo.

Em determinado momento há severas críticas a certas práticas, como o sexo, o ato de comer, em especial carnes, o uso de drogas e anabolizantes e até mesmo o sono excessivo, e todas estas recomendações sem muito fundamento e explicações coerentes, há inclusive um determinado momento em que cita Adolf Hitler como alguém que também evitou estas práticas: seria este um exemplo a ser seguido?!

Isto fora outras dezenas de citações de grandes personalidades, e pasmem, todas sem fundamento e relação alguma, dentre elas: Jesus, Buda, Michael Jackson, Darwin, Kurt Cobain, Raul Seixas, e o seu grande mestre, é claro, Giordano Bruno.

Um tanto quanto ridículo, este seu primeiro volume, em que é preciso muita paciência e esforço para chegar ao final, uma vez que, em seu terceiro capítulo já se torna enfadonho e desinteressante, não honrou tanto assim a ação de marketing trabalhosa que teve, o que leva o leitor a não demonstrar interesse em dar continuidade aos demais volumes, se é que existirão!
Mas tudo isto não termina por aí… Quando falamos de leitura, mesmo que o conteúdo não seja tão interessante ou não tenha nada de novo a acrescentar, pelo menos vale para treinar a leitura e o aprendizado de nossa Língua Portuguesa.

Pois é, nem mesmo para isto o “Teoria de Absorção de Conhecimentos” serve, já que, faz um desserviço à nossa língua vernácula, uma vez que é possível encontrar ao longo de toda a leitura erros grotescos como: trocar o uso de “há” por “a” e “atoa” ou invés de “à toa”, e o que promete ser uma “porta para a inteligência” e ensinar a “absorção de conhecimentos”, não ensina nada que traga conhecimento e inteligência ao leitor.

Foram quase cinco meses de sumiço, um quarto todo redecorado com escritos à mão, assédios de jornalistas e curiosos, 14 livros criptografados à mão, teorias e mais teorias sobre tudo isto, para simplesmente divulgar e vender um livro que podemos considerar um grande fiasco! Sim, entrou para a lista dos mais vendidos, mas tudo isto valeu a pena?

É, Bruno Borges, foi bom voltar logo de seu sumiço, pelo menos para curtir um pouquinho do que resta de fama e enquanto o livro ainda está no ranking, afinal de contas, o que será dos próximos volumes a serem lançados? Alcançará o mesmo número de vendas e atrairá tanto a atenção dos leitores? Pois é, recorde de vendas não significa qualidade e nem dura para sempre!