Connect with us

Hi, what are you looking for?

Música

Conheça o Be Happy Music Club e apaixone-se! Música, amor e inclusão social

 A música tem um impacto fenomenal em nossas vidas. Imagine se a música não existisse , como seria? Agora imagine, um filme sem uma trilha sonora de fundo, como seria?  Felizmente  sempre fez parte do cotidiano das pessoas.

Podemos afirmar que é uma das poucas atividades que envolve o uso de todo o cérebro. Está no íntimo de todas as culturas e pode ter benefícios surpreendentes não só para aprender um idioma, melhorar a memória e focar a atenção, mas também para a coordenação motora e desenvolvimento.                            

De norte ao sul do globo, ela atingiu todos os cantos e povos, culturas e religiões. Seus encantos embalam os sonhos e povoam os corações de milhares de pessoas. Cada nota, cada som, faz a transformação de uma vida necessitada de amor, de carinho, de atenção.

Advertisement. Scroll to continue reading.

Essa semana fui apresentado virtualmente por uma grande amiga a um projeto chamado Be Happy Music Club, que é realizado do outro lado do mundo, mais precisamente em Fiji (a República de Fiji é um país insular da Oceania, composto por 332 ilhas no Oceano Pacífico). Um projeto incrível que une música e inclusão social, mas sobretudo muito amor!

bhmc-1-750x500

O Be Happy Music Club foi criado no dia 22 de Agosto de 2016  pelo brasileiro, cearense, radicado na Austrália, André Comaru, que decidiu morar em Fiji por um período de 1 ano para prestar trabalho voluntario. 

Já em Fiji, André foi convidado para tocar música para as crianças da Fiji School of the Blind, onde teve a mais incrível experiencia com música da sua vida. Após ser tocado pela “vibe” e felicidade das crianças, André decidiu criar o Be Happy Music Club. 

Advertisement. Scroll to continue reading.

A missão do projeto é levar música para a vida de crianças com algum tipo de deficiência física, mental ou emocional com o objetivo de aumentar a auto-estima, inclusão social, expressão corporal e criatividade musical. “Nós tocamos, cantamos e dançamos, além de dar aulas de violão, ukulele, percussão e teclado” explica o criador do projeto.

O projeto hoje está levando música para as crianças da Fiji Shcool of the Blind, localizada na capital das Ilhas Fiji, Suva. Hoje, conseguem ajudar em torno de 20 crianças cegas ou com problemas de visão. Algumas dessas crianças também apresentam um certo grau de autismo.

Advertisement. Scroll to continue reading.

Em 2016, o projeto alcançou grandes objetivos como, por exemplo, pela primeira vez um país do Pacifico participou do evento “Playing for Change Day” organizado pela Fundação “Playing for Change”. Diversos eventos sociais acontecem simultaneamente no mundo nesse projeto totalmente voltado para ações sociais. Além disso, fizeram a gravação do clássico Don’t Worry, Be Happy (Bobby Mcferrin) com a autorização dos diretos autorias por parte da label BMI, conseguiram um total de 5 guitarras, 3 ukeleles e diversos intrumentos de percussão para o club e definiram os músicos que tocarão o projeto na ilha do ano de 2017: Apakuki Nalawa (banda Inside Out) e Ben Masirewa (Banda 4 Quarters).

dontt-worry-be-happy-recording-day-1024x684

Dia da gravação de “Don’t Worry Be Happy”.

Ao ser perguntando sobre os próximos passos do projeto, André responde “queremos levar música ao maior numero de crianças possível. Nesse momento estamos com músicos que possivelmente iniciarão o projeto na Austrália, Nova Zelândia, Hong Kong, Holanda e Brasil (Fortaleza, Recife, Rio de Janeiro e São Paulo). Todos os envolvidos são voluntários que decidiram dedicar 1 ou 2 horas da sua semana ao nosso projeto.” 

Para que o projeto alcance mais crianças pelo mundo, é necessário que mais pessoas abracem a causa. Para ser um embaixador do Be Happy, não é necessário doação ou investimento financeiro. Basta apenas boa vontade, muita alegria e um instrumento musical. No momento está sendo editado um documentário a respeito do projeto para atrair mais embaixadores pelo mundo.

documentary-recording

André e uma das crianças na gravação do documentário

Hoje, as 20 crianças do projeto encontraram uma forma de expressarem suas emoções através da música. Tornaram-se mais felizes, confiantes e partes da comunidade em que vivem.  Os sentimentos de tristeza e não inclusão vão embora com o início de algumas notas. Assim, sentem-se parte de um mundo ainda maior: o mundo da música. E ainda tem muita criança pelo mundo que gostaria de sentir-se assim também.

Advertisement. Scroll to continue reading.

Se eu já tinha vontade de conhecer Fiji antes, imagina agora sabendo da existência desse projeto?! São essas coisas, essas provas de amor ao próximo, que realmente fazem sentido na vida. E quando falamos de uma história de amor, a música sempre encontra a trilha sonora perfeita para compor.

E tem gente que não entende o amor que temos em trabalhar com música né?

Saiba mais:

Advertisement. Scroll to continue reading.

Facebook

Por Gustavo Sanna

Advertisement. Scroll to continue reading.
Written By

1 Comment

1 Comment

  1. Vanessa

    13 de dezembro de 2016 at 21:20

    Bacana.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Você também pode ler...

Filmes

“Tio Tomas: A Contabilidade dos Dias“, de Regina Pessoa, vence o 27º Anima Mundi RJ Foi anunciado neste domingo, 21 de julho, no Rio...

Crítica

“Para um, a vida é o futuro; para outro, o passado” O cenário é o Ateneum, um dos três componentes da Galeria Nacional Finlandesa....

Crítica

Histórias de amor reais estão longe de ser a sucessão de momentos apoteóticos que se tornaram comuns em vários filmes sobre o tema feitos...

Crítica

O amadurecimento de um jovem já é um processo difícil em condições normais, onde há uma família para lhe dar suporte. Agora, quando é...

Advertisement