Pensar em leitura é muito mais do que imaginar um passatempo ou diversão, a leitura é uma forma de conhecimento, enriquecimento cultural e acima de tudo, uma forma de mudar e transformar o mundo para bem melhor. E é pensando nisto que existem muitas Ong’s e Institutos com projetos incríveis de fomento à leitura, afinal de contas, este é um hábito que infelizmente tem praticamente caído em desuso, sendo substituído por eletrônicos, jogos e outras diversão menos instrutivas.

E que tal conhecer alguns destes projetos que está rolando a algum tempo em São Paulo? É por isso, que nós da Woo Magazine separamos quatro incríveis projetos para você entender um pouquinho mais sobre o seu funcionamento. Vamos lá?

ONG Pé de Saber

Uma Ong que se apresenta de forma diferente e chamativa é a Pé de Saber, fundada em 2011, com o principal objetivo de levar a cultura do livro às crianças e aos adolescentes, tornando assim, a leitura de fácil acesso a este público. Apresentam-se com uma bicicleta itinerante e repleta de obras que chamam de Biketeca, esta, da qual percorre as ruas, parques e escolas públicas de São Paulo.

Trabalham com um conjunto de títulos que compõe seu projeto, e dentre eles se destacam quatro obras: Chapeuzinho Amarelo, de Chico Buarque; Menina Bonita do Laço de Fita, de Ana Maria Machado; A Casa Sonolenta, de Audrey e Don Wood e A Arca de Noé, de Vinícius de Moraes.

Se você tem interesse em colaborar com esta iniciativa, seja como voluntário, seja com doações de livros infanto-juvenis (ou uma das obras citadas acima) ou outros tipos de doações é só entrar em contato com eles:

Av. Dracena, 523 – CEP: 05329-000 Bairro: Jaguaré – São Paulo/SP

Para saber mais acesse a Página Oficial do projeto.

Casa da Joana

Um instituto que trabalha com educação, levando em conta a democracia, sustentabilidade e criatividade, dispõe de três grandes projetos: Pra Brincá, que incentiva atividades de brincadeiras lúdicas; #SeLiga, programa de rádioweb que visa promover ações sociais que ocorrem nas cidades vizinhas; e o Livre-se, que tem por objetivo levar a leitura a um maior número possível de pessoas.

Sem fins lucrativos, distribui caixotes de livros em mercados, lojas, restaurantes e outros ambientes de circulação pública em São Paulo, onde a pessoa pode fazer o empréstimo do livro que desejar sem cadastro prévio, podendo fazer a devolução em qualquer outro ponto.

Para isto, conta com a doação de livros de diversos tipos, e para quem tem interesse em ajudar, basta entrar em contato pelo Site ou pelo e-mail: [email protected]

Leitura no Vagão

Este projeto foi criado por Fernando Tremonti, mas hoje conta com muitas pessoas, afinal, qualquer um pode fazer parte dele. Visa fomentar a leitura em vagões de trens e metrôs, onde muitos consideram um tempo perdido, transformando assim o trajeto público um meio de enriquecimento cultural.

Consiste basicamente em deixar livros em locais públicos, para que as pessoas possam ter contato, realizar a leitura e devolver ou não a outro lugar público. Inicialmente, ocorria somente em São Paulo, hoje já existe no Rio de Janeiro, Distrito Federal e até mesmo no Chile.

Para ajudar e saber sobre as ações do projeto, basta acessar o Site do projeto.

Geladeiroteca

Um projeto muito diferente, mas que tem conquistado muitos é a Geladeiroteca, que consiste em reciclar geladeiras velhas e transformá-las em estantes de livros, dispostas em locais públicos para acesso de todos, com o principal objetivo de despertar o interesse à leitura e facilitar o seu acesso a todos.

Criado em 2013 pelo bibliotecário Haroldo Beraldo na 11ª Feira do Livro de Sertãozinho/SP, tem como slogan: “Geladeiroteca: consuma aqui e alimente seu espírito” e já conta com mais de oito destas “estantes” espalhadas pela cidade.

Para quem se interessar, basta entrar em contato pelo Site ou pelo endereço de e-mail [email protected] ou pelo telefone: (16) 3524-2453

Show Full Content

About Author View Posts

Avatar
Fabiana Moura

Ela é jornalista, mãe, esposa e muito feliz, ama ler, escrever e aprender cada vez mais, além de ser apaixonada pela Língua Portuguesa. Já fez e faz de tudo um pouco nesta vida, por isso mesmo, ela diz: "tamuaí" pra tudo!

Previous The True Cost: uma nova maneira de pensar
Next Netflix abrirá catálogo para mais produções brasileiras e de mais 9 países

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
Close