Nas dificuldades, resolveu viver com intensidade.
Se eleva
Permita-se.

Sofreu o que quase ninguém aqui pode imaginar
Tirou dos infortúnios seu valor maior.

Nasceu possível médica. É família, não tem muita escolha. Mas toda aquela dor a encorajou a ser quem foi. Sem prestar muita atenção, começou a pintar. Ela se aceitou como tal e continuou vivendo, ainda que tudo a fizesse morrer.

Quantos de nós assumimos o risco de ser quem somos?
Fazer administração, continuar negócio de família. Galgar altos níveis na carreira militar. Não recrimino, ao menos me questiono; quanto há de você nessa decisão e quanto há da sociedade? Tem que haver mais você. Não jogue fora sua essência. Isso é essencial! Ela decidiu não jogar fora, hoje em dia nos encoraja a gozarmos dos nossos direitos como ser-humano. A batalha nunca foi fácil.

Precisamos de inspiração.
Ela se elevou.
Se tornou muito mais do que sua dor, se ajudou e está aí para nos ajudar.
Sinta-se livre como ela.
Faça o que te fizer bem. Sem que fira outro alguém.

Olhe para o outro. Perceba como nossa sociedade é injusta.
Precisamos nos revestir da mais pura essência e lutarmos contra isso.

Ela fez isso em suas artes. Ela se revestiu da sua mais pura essência. Libertem-se e sejam felizes como são ou como querem ser.

Por Letycia Miranda


Apoia-se

Show Full Content
Previous Crítica: Thinner – A maldição
Next Remake de Dirty Dancing sai em maio nos Estados Unidos

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
Close