Michael Crichton escancara todo o seu conhecimento científico e principalmente como médico nesse technotrhiller científico. Em “O Enigma de Andrômeda”, ele recorre ao suspense e descrição de detalhes, enquanto implica inúmeros conhecimentos técnicos para explicar uma pesquisa em torno de um fato que pode comprovar existência de vida extraterrestre.

Em suma, a história gira em torno de um incidente, que ocorre em uma pequena cidade americana. Após um satélite de pesquisa cair no local, todos moradores morrem, exceto um bebê e um velho. Uma equipe secreta do governo americano denominada de Wildfire, formada por cientistas e médicos precisa desvendar o que causou a morte de todas as pessoas e como duas pessoas tão distintas sobreviveram. Dessa forma, eles se deparam com um patógeno alienígena e precisam descobrir como detê-lo antes que a doença desconhecida se espalhe.

A escrita

Mesmo sendo um dos primeiros livros de Crichton, talvez esta não seja uma das histórias de escrita mais fácil do autor. Desde o início é inserido no texto uma enxurrada de documentos e também dados de cunho científico que grande parte dos leitores podem não compreender bem. Contudo, ao mesmo tempo, nos são dadas algumas explicações didáticas sobre aspectos importantes para a história. Exemplo é quando ele nos diferencia o funcionamento de um microscópio eletrônico a o de um comum, ou quando é explicado como enzimas entre outros são necessários para que haja vida.

Acompanhado disso, se encontram outras várias referências científicas, muitas já datadas, visto que o livro é de 1969. No entanto, existe uma questão muito atual que está na corrida para combater uma nova doença.

“Mensagem segue conforme abaixo alerta Wildfire convocado. Repetindo alerta Wildfire foi convocado. Leitura de coordenadas NASA/AMC/NSC COM DEC.”

Desenvolvimento do Enigma

No primeiro quarto de livro, ele introduz a problemática e quase todos os personagens mais importantes para história. O destaque nesse ponto é a forma como é conduzida e descrita, em detalhes, a situação de Piedmont – cidade devastada pelo patógeno. O mesmo fato dá a base aos passos seguintes da trama.

 

Entretanto, a trama do livro a parti daí torna-se apenas uma central, e, apesar de complexa cientificamente, entrega pouco em relação aos personagens. Não há um e o protagonista central. Ou seja, a história mais se concentra na pesquisa dos personagens, mas infimamente em suas personalidades ou relações entre si. Isso fica nítido principalmente no terceiro quarto do livro, onde a história começa a ganhar contornos científicos ainda mais densos, enquanto caminha para uma resolução final.

“Este é o controle da missão a todas as estações. Nossos computadores acabaram de calcular o declínio orbital para o veículo, e descobrimos que ele está descendo à razão de mais quatro. Aguarde a decisão final quanto à descida”

Abordagem

Em “O Enigma de Andrômeda” o leitor pode ganhar perspectivas diferentes sobre vida extraterrestre e pode ter uma noção mais clara do processo cientifico que envolvia, na época, a pesquisa de uma doença. Além disso, traz curiosidades como em relação a como trabalhavam computadores e tecnologias do período.

Outro fato interessante é que a forma incomum de se abordar a vida extraterrestre implica em dúvidas e pesquisas que ainda são pautadas hoje, como os estudos para descobrir se existe ou existiu água em Marte, ou sondas enviadas para o espaço com informações sobre a terra a fim de encontra vidas inteligente fora do sistema solar. Para tal, são usadas as teorias de vidas extraterrestre microscópicas e até mesmo teorias sobre sinais biológicos enviado por outras civilizações com base de pesquisas reais.

O fim do Enigma

Contudo, Crichton encerra seu livro abruptamente, o que deixa a sensação de que falta algo. No fim, podemos dizer que realmente faltava, isso porque, recentemente, uma continuação póstuma do livro foi lançado nos Estados Unidos, “The Andrômeda Evolution” (em tradução literal, “A Evolução de Andrômeda”).

Por fim, “O Enigma de Andrômeda” passa longe de ser uma obra que instigue com momentos de ação incisiva ou tensão longa. O leitor vai se ater, em grande parte do livro, a conhecimentos científicos que dão causa para o acontecimento que introduz a história. A personalidade dos personagens entre outros aspectos não possuem tanta relevância. Aqui Crichton discorre sobre o que conhece e as melhores passagens da história estão nesse ponto, mas pode não agradar todos os leitores.


Imagens: Divulgação/Editora Aleph


Apoia-se

O Enigma de Andrômeda

3.6
Bom!

“O Enigma de Andrômeda”, publicado em 1969, ano em que os EUA colocaram “os pés” na Lua, traz a vida alienígena sob uma nova visão. Sai de cena a criaturinha com traços humanos e entra uma vida microscópica, invisível ao olho nu. … A ameaça narrada em “O Enigma de Andrômeda” se dá a partir de um satélite que cai na Terra pontando um patógeno alienígena, desconhecido e contagioso.

História
Personagens
Descrições
Abordagem Científica
Pros
  • A forma é abordada a existência de vida alienígena é interessante e foge do lugar comum no que se refere ao assunto.
  • Crichton tenta ser didático para explicar o passo a passo da pesquisa e toda situação em relação ao patógeno, o que pode ajudar na leitura – ainda que continue complexa.
  • Inúmeras referências científicas e teorias relevantes são abordadas.
  • É possível ter uma noção das tecnologias aplicadas na época e, para isso, Michael não poupa descrição e explicações.
Cons
  • Os personagens não possuem tanto desenvolvimento e acabam por serem desinteressantes.
  • A escrita, recheada de termos científicos, é um ponto complicado e pode causar dificuldades para alguns leitores.
  • A história poderia se alongar mais e entrega uma resolução melhor dos fatos.
Show Full Content

About Author View Posts

Avatar
Dan Andrade

Cursando Produção Cultural atualmente, sempre foi apaixonado por cinema e decidiu que de alguma forma trabalharia com isso. Tendo como inspiração Steven Spielberg e suas histórias que marcaram gerações, escreve, assiste, lê e aprende, para um dia produzir coisas tão grandes e que inspirem pessoas como um dia ele o inspirou.

Previous Netflix divulga trailer de “Project Power”, com James Fox e Rodrigo Santoro
Next 10 filmes que ainda queremos ver nos cinemas em 2020

1 thought on “Resenha: O Enigma De Andrômeda, de Michael Crichton

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
Close
CLOSE
CLOSE