O Palco Sunset do dia 3 de outubro seguiu à risca a seu objetivo, já que todos os shows tiveram a colaboração de dois ou mais artistas. Além disso, esse dia do Rock in Rio 2019 trouxe muita diversidade musical para o palco. Do Pará Pop ao rap de Emicida, a mistura de ritmos deu o tom do dia. A seguir, você pode conferir os melhores momentos do Palco Sunset do dia 3 de outubro:

Francisco El Hombre e Monsieur Periné

Imagem: Divulgação/Rock In Rio

Percussões explosivas e a latinidade à flor da pele são a marca da banda Francisco El Hombre. Para enriquecer mais ainda o som, o grupo colombiano Monsieur Periné chega junto, com muita energia. Não bastasse tudo isso, os dois grupos colaboraram praticamente o show inteiro. Além disso, não demorou muito para os artistas transformarem o show em um grande ato político, em prol da igualdade, liberdade e justiça. O final foi uma catarse com direito à coreografia para coroar um grande show.

Pará Pop

Imagem: Divulgação/Rock In Rio

Diretamente do Pará, Dona Onete, Pio Lobato, a diva Fafá de Belém, a poderosa Gaby Amarantos, Jaloo, e o expoente da Lucas Estrela chegaram para celebrar a música do norte do Brasil. No setlist, grandes sucessos da música paraense como “Vermelho” cantada por Fafá de Belém e ainda os hits tecnobregas “Xirley” e “Ex Mai Love” de Gabi Amarantos. Tudo isso e muito mais sob a batuta de Dona Odete do alto de seus 80 anos de idade. Certamente, um show para demonstrar o potencial criativo brasileiro.

Emicida e Ibeyi

Imagem: Divulgação/Rock In Rio

O renomado rapper Emicida convida o duo franco-cubano Ibeyi, formado pelas gêmeas Lisa-Kaindé e Naomi Díaz, que cantam em inglês, francês e iorubá, mesclando ritmos modernos com soul, R&B e elementos da música africana. O show priorizou os sucessos de Emicida, ainda que duas faixas da dupla também foram muito bem tocadas. Um show envolvente e dançante, entretanto, a luta contra a violência e o racismo se fez presente no show. Com homenagens à menina Ágatha e também à Marielle Franco, os artistas fizeram a união perfeita entre a música e a sociedade.

Hip Hop Hurricane com Nova Orquestra, Rael, Agir, Baco Exu do Blues e Rincon Sapiência

Imagem: Divulgação/Rock In Rio

Encerrando as atividades do palco, o Hip Hop chegou com tudo. O último show do dia no palco foi no mínimo especial. Foi a união da música erudita com o discurso visceral das músicas dos artistas que se apresentaram. Entre os grandes momentos, destacamos “Te Amo Desgraça”, do Baco Exu do Blues, e “Mundo Manicongo” de Rincon Sapiência. E assim como observado anteriormente nas apresentações, também tivemos discursos engajados em causas sociais. Dessa vez, um discurso contra a posse de armas e a inevitável crítica ao atual governo. Um final perfeito para um dia marcado pela diversidade de estilos, porém, coeso no discurso.