7 de dezembro de 2019

A Caminho da FéFilmes religiosos são bem comuns em Hollywood. Já tivemos várias obras contando histórias da bíblia como “A Paixão de Cristo” – dirigido por Mel Gibson -; até filmes polêmicos como “A Última Tentação de Cristo”, dirigido pelo excelente Martin Scorsese. Existem também aqueles filmes independentes que são voltados para o público cristão, é o caso de “Desafiando Gigantes”, e “Corajosos”.

Chegou há pouco tempo na Netflix uma obra bem interessante, que merece ser vista: “A caminho da Fé”. O longa conta a história real do bispo Carlton Pearson , interpretado pelo ótimo Chiwetel Ejiofor , que era pastor da Igreja de Deus em Cristo e pregava para cerca de seis mil pessoas, sendo pupilo do famoso superstar Oral Robert, interpretado pelo excelente Martin Sheen. Um dia, Pearson começou a questionar certas coisas da religião, começou a afirmar que o inferno não existe e que Deus salvaria a todos , e com isso foi perdendo seu público e membros da igreja.

Apesar de ser um filme simples, é bem interessante acompanhar a trajetória de Carlton, trazendo vários temas que valem a pena serem debatidos, como o perdão, o inferno, a interpretação da bíblia e afins.

Chiwetel Ejiofor está muito bem, ele é um ótimo ator e merece mais destaque no cinema. Sua interpretação de Carlton é sensacional; o drama interno que ele passa, as angústias, o que  enfrenta são bem colocados pelo ator.

Já Martin Sheen não tem muito que fazer, seu personagem é pouco explorado, seria interessante ver mais sobre suas competências. O roteiro deveria aprofundar mais em sua trajetória e suas intenções, teria um peso imenso para o filme. Já Jason Segel cumpre bem o seu papel, é bom vê-lo fazendo um papel diferente em sua carreira, um homem sério, com seus princípios e ideologias.

A Caminho da Fé

Um dos pontos negativos do filme é roteiro. É muito  superficial, e não se aprofunda em seus temas. Poderia adentrar mais nas ideologias do bispo, para ter uma maior compreensão de Suas idéias, também não se aprofunda muito no drama vivido com sua família e amigos que o abandonaram.

A direção fica a cargo de Joshua Maston, um diretor não muito conhecido que fez poucos trabalhos. Dirigiu alguns episódios da série The Good Wife. Maston tem uma direção simples, típica de um filme feito para TV, faltou um diretor mais consagrado para conduzir a produção.

No mais,“A Caminho da Fé”, é um bom filme que traz discussões a cerca da religião e fé. Além disso, temos discussões e aprofundamentos que são importantes  de serem debatidos.

Vale pelo seu elenco e pela história do bispo que questionou muitas coisas impostas pela religião e pela igreja.


Por Eduardo Chaves

Show Full Content
Previous Crítica (2): Te Peguei
Next Crítica: Crô em Família

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close

NEXT STORY

Close

A Pré-Estreia de Através das Sombras

11 de novembro de 2016
Close