Olha a cobra! É mentira!

“Olha o MixTape! É verdade e pode continuar lendo nossa coluna da semana.”

Bom, você pode até estar achando estranho, afinal estamos em julho, mas aqui, hoje, é dia de Festa Junina. Ou seria Julina? Ou Agostina?! Para qualquer um dos meses nosso Mix tá tão gostoso quanto as comidas típicas. Tão quente quanto a fogueira que você pula. E tão animado quanto quando você já tomou várias doses de quentão. O fato é que brasileiro adora uma festa e tudo é motivo para comemorar. Porém, também somos um país riquíssimo em cultura. Mesmo que muitos não valorizem isso. Como não é o nosso caso, resolvemos aproveitar essa época para fazer essa seleção musical com muito forró e baião, para animar qualquer festa caipira. Mas antes de apresentar nossas selecionadas, essa é a nossa parte histórica. Pelo simples motivo de que conhecimento nunca é demais.

A Festa Junina, que aqui no Brasil é tipo uma temporada de séries e se estende em julho e agosto, é uma das “heranças” da cultura europeia que herdamos. Contudo, brasileiro, sendo brasileiro, faz a comemoração dos “Sãos” muito melhor do que os gringos. Essa tradição vem da cultura pagã, onde havia festividades para comemorar as entradas das estações. No caso do hemisfério norte, é a entrada do verão. Sendo comemorado entre 19 de junho e 25 de junho. Só vale dizer que essas datas variam entre as diferentes culturas.

Com o cristianismo, a tradição popular ganhou outras formas e passou a ser uma celebração a santos populares. Para sermos mais específicos, é a famosa Festa de São João. Com a Igreja Cristã, o dia 24 de junho passou a ser dia de festa em homenagem ao mártir cristão São João Batista. Que supostamente, teria nascido nessa data. Mas na Bíblia, só fala que ele nasceu 6 meses antes de Cristo e o Divino também não tem data no livro sagrado. Enfim… Não iremos a fundo nesse mérito e voltemos ao processo histórico. Como fomos colonizados, principalmente pelos portugueses, essa comemoração acaba sendo para outros santos também. Então, nessa mesmo época se enquadra a Festa de Santo Antônio, a de São João e de São Pedro, e São Paulo.

Outras tradições que se permearam em nossa cultura são os trajes, que são uma clara referência ao povo campestre que povoou principalmente o nordeste do Brasil. Assim apresentando muitíssimas semelhanças no modo de vestir caipira no Brasil e em Portugal. As decorações que usamos para enfeitar os arraiais, iniciaram-se em Portugal. Elas vieram da época dos descobrimentos, onde os portugueses trouxeram da Ásia os enfeites de papel e os balões de ar quente e pólvora. E não podemos esquecer da música!

Ela, assim como os instrumentos usados, o cavaquinho, a sanfona, o triângulo ou ferrinhos, o reco-reco, etc., estão na base da música popular e folclórica portuguesa. Eles foram trazidos ao Brasil pelos povoadores e imigrantes. E com o passar do tempo, nossa própria cultura fortaleceu dois ritmos musicais incríveis: o Forró e o Baião. Hoje em dia, é muito comum ouvirmos outro ritmos brasileiros nas festividades da época, como o sertanejo. Mas estamos juntos com o ideal da diva Elba Ramalho. Nessa época festiva, devemos dar prioridade a cultura popular e aos ritmos de tradição cultural. Há espaço para todo mundo, mas o respeito à cultura é importante. E seguindo essa ideologia, é claro que o nosso MixTape seguiria a tradição e nossa seleção tá caipira, interiorana e bem festeira. Anarriê!

    

    

    

    

Que delícia essa seleção, não é mesmo?! Terminar com um Pot-pourri com clássicas cantigas para nos nostalgiar fez toda diferença. E nosso Mix ficou tão bom, mas tão bom, que já estamos querendo outra festa, um novo casamento, mais quadrilhas. Bora, trem? Nosso MixTape vai ficando por aqui. Deixamos aquele abraço apertado e já avisando que julho vai ser um mês bem especial. Estamos cheios de novidades, mas vamos deixar o suspense até o próximo sábado.