Todo dia 20 de novembro é celebrado o Dia Nacional da Consciência Negra no Brasil. A data tem como principal objetivo propor uma reflexão sobre o povo e a cultura africana no Brasil, assim como o contexto social no qual essa população se insere. E, infelizmente, uma das questões é o racismo, ainda presente em nossa sociedade. A seguir, listamos seis séries incríveis para ajudar a refletir sobre o assunto:

Insecure

Imagem: Divulgação/HBO

Criada, roteirizada, produzida e estrelada por Issa Rae junto com Yvonne Orj, “Insecure” retrata o cotidiano cheio de desafios da mulher negra na sociedade. Na trama, as amigas Issa Dee (Rae) e Molly (Orj) dividem experiências e problemas relacionados à cor da pele. Entre as questões apresentadas estão a solidão da mulher negra, desigualdade salarial, sexualidade, a masculinidade do homem negro e, é claro, o racismo. A série é uma produção original da HBO, e foi renovada para a quarta temporada.

Atlanta

Imagem: Divulgação/FX

A série é criada e protagonizada pelo multitalentoso Donald Glover e conta com Brian Tyree Henry, Zazie Beetz e Lakeith Stanfield no elenco. Após deixar a faculdade, Earnest “Earn” Marks (Glover) vira o agente de seu primo Alfred (Henry) que vem se destacando na comunidade como rapper. O roteiro trata de temas como pobreza, racismo, falta de oportunidade e criminalidade com muita criatividade e humor inteligente. As duas primeiras temporadas da premiada série estão na Netflix, entretanto, já estão em produção a terceira e a quarta temporada.

Cara Gente Branca

Imagem: Divulgação/Netflix

Essa série satírica da Netflix é baseada no filme homônimo de 2014. A história acompanha o dia a dia da universitária Samantha White (Logan Browning) e um grupo de estudantes negros, que precisam lidar com questões como intolerância e racismo. White, inclusive, é quem comanda o programa de rádio que dá nome à série. Em setembro, a Netflix anunciou a quarta e última temporada da série.

Empire: Fama e Poder

Imagem: Divulgação/Fox

No ar desde de 2015, a série chegou ao fim esse ano, na sexta temporada. O drama musical acompanha Lucious Lyon (Terrence Howard), um rapper que deixou as ruas após prosperar na música e se tornar o dono da gravadora Empire. Entretanto, ao descobrir que está com uma doença grave, decide eleger um de seus três filhos: Andre (Trai Byers), Jamal (Jussie Smollett) ou Hakeem (Bryshere Y. Gray) para ocupar seu lugar no império. Além disso, sua ex-esposa Cookie (Taraji P. Henson) deixa a prisão após 17 anos, disposta a ficar com a sua fatia do negócio. Com toda certeza, essa série vai deixar saudade. No Brasil, a série é exibida pelo Fox Premium.

Olhos que Condenam

Imagem: Divulgação/Netflix

Essa minissérie da Netflix é baseada em fatos reais. E é exatamente por isso que vale o aviso que é preciso ter estômago para assistir. O caso é um dos mais emblemáticos da história norte-americana, combinando racismo e injustiça no mesmo pacote. Cinco jovens negros são condenados e presos a partir de uma falsa acusação de estupro de uma mulher branca, ocorrido em 1989 no Central Park. A minissérie foi criada, escrita e dirigida por Ava DuVernay (nome por trás do filme “Selma“).

How to Get Away With Murder

Imagem: Divulgação/ABC

A série chegará ao fim na sua sexta temporada. A série já recebeu diversos prêmios, além de ser sucesso de público e crítica. A trama gira em torno da advogada criminal e professora Annelise Keating (Viola Davis), que seleciona seus melhores alunos para trabalhar com ela em um caso real. Annelise é uma mulher negra de sucesso, de personalidade forte e respeitada, mas que ainda assim, carrega um peso enorme por estar nessa posição. Esta é mais uma grande produção de Shonda Rhimes (“Scandal“, “Grey’s Anatomy“). Além disso, a produção deu o primeiro Emmy Awards de Melhor Atriz em Série Dramática para uma atriz negra, Viola Davis, em 2015. As cinco primeiras temporadas estão na Netflix e a sexta temporada é transmitida no Brasil pelo canal pago Sony.

Gostou da nossa lista? Deixe um comentário para nós!

Show Full Content

About Author View Posts

Avatar
Amanda Moura

Bibliotecária, doutoranda em História das Ciências, e das Técnicas e Epistemologia. Apaixonada por cinema, séries e cultura em geral. Sem Os Goonies talvez não estivesse por aqui.

Previous Crítica: Fogo Contra Fogo
Next Crítica: A Grande Mentira

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
Close