Todo dia 20 de novembro é celebrado o Dia Nacional da Consciência Negra no Brasil. A data tem como principal objetivo propor uma reflexão sobre o povo e a cultura africana no Brasil, assim como o contexto social no qual essa população se insere. E, infelizmente, uma das questões é o racismo, ainda presente em nossa sociedade. A seguir, listamos seis séries incríveis para ajudar a refletir sobre o assunto:

Insecure

Imagem: Divulgação/HBO

Criada, roteirizada, produzida e estrelada por Issa Rae junto com Yvonne Orj, “Insecure” retrata o cotidiano cheio de desafios da mulher negra na sociedade. Na trama, as amigas Issa Dee (Rae) e Molly (Orj) dividem experiências e problemas relacionados à cor da pele. Entre as questões apresentadas estão a solidão da mulher negra, desigualdade salarial, sexualidade, a masculinidade do homem negro e, é claro, o racismo. A série é uma produção original da HBO, e foi renovada para a quarta temporada.

Atlanta

Imagem: Divulgação/FX

A série é criada e protagonizada pelo multitalentoso Donald Glover e conta com Brian Tyree Henry, Zazie Beetz e Lakeith Stanfield no elenco. Após deixar a faculdade, Earnest “Earn” Marks (Glover) vira o agente de seu primo Alfred (Henry) que vem se destacando na comunidade como rapper. O roteiro trata de temas como pobreza, racismo, falta de oportunidade e criminalidade com muita criatividade e humor inteligente. As duas primeiras temporadas da premiada série estão na Netflix, entretanto, já estão em produção a terceira e a quarta temporada.

Cara Gente Branca

Imagem: Divulgação/Netflix

Essa série satírica da Netflix é baseada no filme homônimo de 2014. A história acompanha o dia a dia da universitária Samantha White (Logan Browning) e um grupo de estudantes negros, que precisam lidar com questões como intolerância e racismo. White, inclusive, é quem comanda o programa de rádio que dá nome à série. Em setembro, a Netflix anunciou a quarta e última temporada da série.

Empire: Fama e Poder

Imagem: Divulgação/Fox

No ar desde de 2015, a série chegou ao fim esse ano, na sexta temporada. O drama musical acompanha Lucious Lyon (Terrence Howard), um rapper que deixou as ruas após prosperar na música e se tornar o dono da gravadora Empire. Entretanto, ao descobrir que está com uma doença grave, decide eleger um de seus três filhos: Andre (Trai Byers), Jamal (Jussie Smollett) ou Hakeem (Bryshere Y. Gray) para ocupar seu lugar no império. Além disso, sua ex-esposa Cookie (Taraji P. Henson) deixa a prisão após 17 anos, disposta a ficar com a sua fatia do negócio. Com toda certeza, essa série vai deixar saudade. No Brasil, a série é exibida pelo Fox Premium.

Olhos que Condenam

Imagem: Divulgação/Netflix

Essa minissérie da Netflix é baseada em fatos reais. E é exatamente por isso que vale o aviso que é preciso ter estômago para assistir. O caso é um dos mais emblemáticos da história norte-americana, combinando racismo e injustiça no mesmo pacote. Cinco jovens negros são condenados e presos a partir de uma falsa acusação de estupro de uma mulher branca, ocorrido em 1989 no Central Park. A minissérie foi criada, escrita e dirigida por Ava DuVernay (nome por trás do filme “Selma“).

How to Get Away With Murder

Imagem: Divulgação/ABC

A série chegará ao fim na sua sexta temporada. A série já recebeu diversos prêmios, além de ser sucesso de público e crítica. A trama gira em torno da advogada criminal e professora Annelise Keating (Viola Davis), que seleciona seus melhores alunos para trabalhar com ela em um caso real. Annelise é uma mulher negra de sucesso, de personalidade forte e respeitada, mas que ainda assim, carrega um peso enorme por estar nessa posição. Esta é mais uma grande produção de Shonda Rhimes (“Scandal“, “Grey’s Anatomy“). Além disso, a produção deu o primeiro Emmy Awards de Melhor Atriz em Série Dramática para uma atriz negra, Viola Davis, em 2015. As cinco primeiras temporadas estão na Netflix e a sexta temporada é transmitida no Brasil pelo canal pago Sony.

Gostou da nossa lista? Deixe um comentário para nós!


Apoia-se

Show Full Content

About Author View Posts

Avatar
Amanda Moura

Bibliotecária, doutoranda em História das Ciências, e das Técnicas e Epistemologia. Apaixonada por cinema, séries e cultura em geral. Sem Os Goonies talvez não estivesse por aqui.

Previous Crítica: Fogo Contra Fogo
Next Crítica: A Grande Mentira

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
Close