Connect with us

Hi, what are you looking for?

Crítica

Crítica: Nasce Uma Estrela

Bradley Cooper vem se provando cada vez mais em Hollywood, depois de se mostrar capaz de transitar entre grandes blockbusters como “Guardiões da Galáxia Vol. 2 e dramas renomados como “Sniper Americano” (com o qual foi indicado ao Oscar), ele agora se arrisca na direção, apostando em um remake do clássico de homônimo de 1937, em Nasce Uma estrela.

Jackson Maine (Bradley Cooper) é um cantor no auge da fama. Um dia, após deixar uma apresentação, ele para em um bar para beber algo. É quando conhece Ally (Lady Gaga), uma insegura cantora que ganha a vida trabalhando em um restaurante. Jackson se encanta pela mulher e seu talento, decidindo acolhê-la debaixo de suas asas. Ao mesmo tempo em que Ally ascende ao estrelato, Jackson vive uma crise pessoal e profissional devido aos problemas com o álcool.

Advertisement. Scroll to continue reading.

A primeira coisa a se notar na direção de Cooper é sua eficiência  em estabelecer os personagens e a caracterização dos mesmos. Já nas suas primeiras cenas, o diretor consegue dizer muitos sobre seus protagonistas, algo que aliás é muito notável com seu uso de neon, o vermelho alaranjado passa a ideia de impureza e dor (que permeia o personagem de Cooper), enquanto o azul nos mostra a pureza e o conforto que a personagem de Gaga oferece à crise de vida de seu parceiro. Além disso, a montagem ajuda a estabelecer a química entre os atores, intercalando os personagens e dando espaço para os diálogos enquanto cria um dinamismo visual.

E tudo isso se torna ainda mais interessante quando os atores interagem entre si, a química entre os dois é inegável. A tristeza transmitida por Cooper entra em perfeito contraste com a energia de Gaga, desde o primeiro momento em que ele a assiste cantando “Feeling Good” (o que aliás cria uma rima perfeita para como a personagem faz com que ele se sinta), e os diálogos tem um toque naturalista que cria momento muito palatáveis entre o casal. Isso tudo somado a riqueza de detalhes em pequenos gestos que cada um dos atores dá a seus personagens, cria a melhor história de amor que o cinema tem a oferecer em 2018.


Claro que nem tudo são flores, e o filme sofre de um problema clássico de Storytelling, que é ausência de conflito no segundo ato. É preciso ressaltar que o segundo ato cobre boa parte de um filme, e o conflito é base de uma narrativa interessante, deixe o segundo ato sem o conflito e a narrativa vai ficar estagnada. Apesar da energia e do dinamismo do primeiro ato, boa parte da ação que cobre o segundo é desinteressante por não criar nenhum tipo de conflito para a personagem de Gaga. Chega a ser incrível o quão fácil as coisas ficam para a personagem após apenas cantar em um show. Toda e qualquer possibilidade de conflito é anulada, a personagem simplesmente passa a conseguir cada vez mais coisas sem gerar nenhum tipo de consequência para a mesma ou para a narrativa em si. Em paralelo a isso, seu agora marido, passa a perder a audição e se afundar cada vez mais no alcoolismo, criando um arco mais interessante que acaba em segundo plano.

Mas, no início do terceiro as coisas voltam a ganhar energia, quando o filme passa a discutir melhor a questão da toxicidade do relacionamento do nosso casal protagonista. Relacionamento esse o qual já se mostra como abusivo.

“Nasce Uma Estrela” mostra o não só o grande potencial que Bradley Cooper tem como diretor, mas também sua grande capacidade de releitura e atualização de um clássico, inserindo temas contemporâneos e os discutindo de uma maneira sóbria.

Advertisement. Scroll to continue reading.

Reader Rating0 Votes
0
7
Advertisement. Scroll to continue reading.

Cinéfilo assíduo desde que se conhece por gente,e um amante da nona arte. É da linha de David Lynch que acredita no potencial onírico das artes.

1 Comment

1 Comment

  1. Pingback: 10 cantores que se destacaram em 2019 | Woo! Magazine

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode ler...

Filmes

Momentos icônicos criados unicamente nas adaptações cinematográficas. Em novembro de 2021, o primeiro filme da saga Harry Potter completou 20 anos. Sendo assim, o...

Filmes

Steven Spielberg completa 75 anos neste sábado (18/12) e o Telecine não poderia deixar de homenagear um dos nomes mais influentes da história do cinema. A...

Crítica

Ridley Scott leva mais um filme aos cinemas em 2021. Com elenco de peso, “Casa Gucci” se propõe a contar a história do grande...

Filmes

Segue abaixo 5 casais com muita química nos filmes. Não importa se é um filme de romance, uma ação ou um terror, quando dois...

Advertisement