Capítulo 01: O começo

No último dia 02 de maio, o site Pottermore comemorou o aniversário da Batalha de Hogwarts. Batalha esta que aconteceu nada mais, nada menos que há 17 anos. E nós da Woo! Magazine, que não dispensamos uma baguncinha básica, resolvemos fazer nesse mesmo mês uma homenagem a nossa queridíssima J.K.Rowling. Afinal, não existe criatura, sem o seu criador.

Nossa proposta segue ousada. Porque há tanta coisa para falar dessa diva master, que uma matéria só não daria conta. Logo, a partir de hoje – e pelas próximas segundas que seguem – nós vamos tentar desvendar não só a magia do bruxinho mais famoso do mundo, como também destacaremos outras obras importantes da nossa queridíssima.

Joanne Rowling nasceu em Yate, no Reino Unido. E “Jo” – mais para os íntimos – é casada e tem três lindos filhotes. Apesar de ser conhecida pela saga Harry Potter, ela também arrasa como produtora cinematográfica e roteirista. Seu “K” de J.K. é na verdade um pseudônimo. Pois é, meus caros. A alcunha Kathleen veio em homenagem a avó Kathleen Rowling, e permeou no nome de nossa escritora, porque – aparentemente – mulheres não eram bem quistas na Literatura, e a editora, com medo que os meninos não lessem o livro recém-saído do forno, pediu, em contrato, que ela deixasse seu nome em siglas. “J.K.” não tinha gênero. E foi assim que ela ficou anos no top 10 da literatura mundial.

Como primeira matéria, é claro que não dispensaríamos Harry, Rony e Hermione (principais personagens da saga), mas antes, não podíamos nos furtar de dizer que Harry Potter não foi o primeiro livro da autora. Com uma maturidade super precoce, e já mostrando ao mundo a que veio, J.K. escreveu seu primeiro livro aos seis anos de idade. Batizado de “Rabbit”, a obra contava a história de um coelhinho que pegou sarampo (coitado!) e foi visitado por sua amiga abelha. A “senhorita” Miss Bee.

Nem tudo foi fácil em sua vida. Nos anos secundários da escola, Anne [ela era chamada assim pelos pais e avós] descobriu que tinha esclerose múltipla. Escrever era mais que um hobby agora. Era um exercício que precisava ser praticado com afinco. E foi nesse mesmo período que ela conheceu pessoas importantes e que a inspiraram a escrever um dos livros do bruxinho.

Ela também não teve o apoio dos pais quando quis se tornar escritora. Para eles, isso não era uma profissão. E foi aconselhada a fazer algo mais “comum”. Foi assim, então, que formou-se em Línguas Clássicas na Universidade de Exeter. Mas… como tudo na vida serve de aprendizagem, o curso não saiu de todo ruim. Rowling se apaixonou pelo idioma francês e partiu para França na primeira oportunidade. Estudou a língua com afinco e trabalhou como professora de inglês para custear os gastos. Além disso, foi secretária e conseguiu um trabalho também na Anistia Internacional.

Agora, se vocês pensam que seus sonhos pararam por aí, estão muito enganados. Precisando de um emprego e de visibilidade, ela “meteu o pé” para Portugal. Contratada para dar aulas de Inglês, J. passou a dividir um apartamento com outras professoras na cidade do Porto. Isso fez, inclusive, que ela arrisque hoje um pouquinho do idioma Português.

Em nenhum momento, o sonho de ser escritora foi abandonado, e os rascunhos de Harry Potter, que nessa época (sim!) já existiam, voavam para cima e para baixo com ela. A ideia era boa e martelava em sua cabeça. Não importava o tempo, não importava quando. Uma hora seu “primeiro” livro sairia e ela não fazia ideia que isso seria o maior sucesso mundial de todos os tempos.

Hoje, autora de sucesso e – segundo pesquisas – a segunda mulher mais rica do mundo (atrás somente de outra diva, a apresentadora Oprah Winfrey), J.K.Rownling nos mostrou a importância de acreditar em um sonho, independentemente, se o mundo vai ou não facilitar a sua vida. Se você acredita em si mesmo, então já tem meio caminho andado.

J.K. venceu a depressão, o preconceito, um aborto, pessoas que não acreditavam nela… venceu todos aqueles que jogavam contra. Hoje é uma das mulheres mais influentes do mundo. Ajuda uma causa social e escreve para crianças desamparadas (sem cobrar nada por isso) a fim de que elas também tenham seus próprios sonhos realizados.

Como dissemos acima, a Woo! Magazine precisava prestar essa homenagem a uma pessoa tão especial. No entanto, ainda temos muito, mas muito o que dizer. Não obstante, por hora ficamos por aqui, deixando aquele gostinho de “quero mais”. Na próxima semana, vamos contar outro capítulo dessa história fantástica. Será que vocês já sabem tudo… tudo, tudo mesmo que rolou por trás de Harry Potter?


Apoia-se

Show Full Content

About Author View Posts

Avatar
Kinha Fonteneles

Érica nasceu no subúrbio do Rio de Janeiro, mas deveria ter nascido nesses lugares onde se conversa com plantas, energiza-se cristais e incenso não é só pra dar cheirinho na casa.
Letrista na alma, e essa bem... é grande demais por corpinho de 1,55 que a abriga.
Pisciana com ascendente E lua em câncer. Chora quando está feliz, triste, com raiva e até mesmo com dúvida.
Ah! É uma nefelibata sem cura.

Previous Jennifer Morrison anuncia saída de “Once Upon a Time” após 6 anos
Next As releituras de clássicos dos anos 90

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close
Close