Dos sete filmes lançados pelo estúdio esse ano, apenas Dumbo obteve uma bilheteria modesta, enquanto os demais ultrapassaram a marca de US$1 bi

A Disney vem, há alguns anos, mantendo a hegemonia quando se trata de bilheterias. E em 2019 isso comprovou-se novamente uma regra, e de forma avassaladora. Enquanto “Dumbo” foi o único filme do estúdio a faturar menos do que o esperado, US$352, os demais filmes, Aladdin“, “O Rei Leão“, “Capitã Marvel“,  “Toy Story 4” e “Vingadores: Ultimato, faturaram juntos, mais de US$7 bi. “Homem-Aranha: Longe de Casa” acaba não estrando na contagem, por ter o selo da Sony Pictures – mas é mais um longa do MCU que ultrapassou a barreira do bilhão.

Esses números tornaram o estúdio responsável por cinco das dez maiores bilheterias do ano – sendo dono das quatro maiores. E nesse mesma levada,Vingadores: Ultimato” tornou-se a maior bilheteria de todos os tempos.

Tendo em vista que esse ano, ainda teremos novos lançamentos do estúdio, vide “Star Wars: Episode IX – The Rise of Skywalker” e “Frozen 2”, os números astronômicos tendem a crescerem muito mais.

Foto: Divulgação/Walt Disney Studios/Marvel

Devemos olhar com respeito esses números, mas também existe uma preocupação, pois sabemos que a competição faz bem, e uma padronização de produções, com o selo Disney, podem empobrecer a diversidade. Ou seja, isso pode acarretar em mais do mesmo, até em diferentes gêneros, trazendo em todos um formato imposto pela marca “dona”. Podemos pegar como exemplo a incerteza sobre o futuro das produções da 20th Century Fox, comprada pelo “Mickey Mouse” recentemente.

O que nos resta é esperar um futuro positivo, e que essa hegemonia traga bons frutos para o cinema. Além disso, seria bom ver outros estúdios também alcançarem, com suas produções, tanto sucesso quanto a Disney., em uma disputa sadia, na qual o público sempre ganharia.