9 de dezembro de 2019

O novo trailer do filme solo do simbionte trouxe enfim um visual assustador. Mas afinal, Venom é herói ou vilão? Apesar de nos quadrinhos ele ser caracterizado como vilão com muito mais frequência, pelo trecho do filme parece que ele terá a abordagem do anti-heroi.

Segundo o dicionário, o heroi “é aquele que se distingue por seu valor ou por suas ações extraordinárias, principalmente por feitos brilhantes durante a guerra. Principal personagem de uma obra literária (poema, romance, peça de teatro, etc.) ou cinematográfica. E vilão como: “Personagem que traz consigo a representação da maldade numa narrativa (filme, novela, série, livro, etc.) quem tem ações vis, abjetas, buscando prejudicar alguém; desprezível.” Ou seja, unindo as ações, o protagonismo e o que vimos no trailer, podemos arriscar que ele um anti-heroi mesmo.

Na sua origem dos quadrinhos, Venom é união de um simbionte com o jornalista Eddie Brock. O simbionte, por sua vez,  nem sempre foi o inimigo do Homem-Aranha ou um uniforme no seu guarda-roupa. Sua origem está associada a um longínquo planeta na galáxia de Andrômeda, chamado Klyntar. Essa raça alienígena de simbiontes que recebem o mesmo nome de seu planeta natal.

O planeta original era um mundo frio e selvagem. Nesse clima inóspito viviam os Klyntar, que, no princípio da espécie, se uniam a animais menores, dando a essas criaturas uma chance maior de sobrevivência nesse planeta tão cruel, ao mesmo tempo que eles ficavam mais protegidos.

Com o passar do tempo, os seres evoluíram, o sentimento de auxiliar outras espécies a partir da simbiose se intensificou. Os Klyntar, então, fundaram os Agentes do Cosmos, uma ordem de nobres guerreiros que manteriam a paz pelo universo. Para isso, eles se uniam a hospedeiros dignos de diversas raças diferentes, trazendo-os para dentro da consciência coletiva dos Klyntar.

Nem sempre tudo corria bem. Os Klyntar que se uniam a hospedeiros maus acabavam se corrompendo, também se tornando criaturas más e dependentes de emoções negativas. Esses membros da raça eram então desconectados da consciência coletiva.

Os simbiontes que ficaram maus e abandonavam os propósitos dos Agentes do Cosmos, passaram a viver como parasitas.

O simbionte que origina Venom foi um dos  que se uniu a um hospedeiro desonrado. Esse hospedeiro utilizou os poderes do simbionte para massacrar a população de um planeta. Após isso, Venom se transformou em um predador viciado em raiva. Contudo, Venom manteve seu instinto de proteção ao seus hospedeiros. Isso, no entanto, não foi o suficiente para redimi-lo diante de sua espécie, que o encarcerou e o enviou para o Mundo de Batalhas.

A primeira aparição nos quadrinhos foi durante a saga  “Guerras Secretas” no ano de 1984. Nessa história, vários super heróis e super vilões vão parar no Mundo de Batalhas.

Um desses heróis transportado para esse planeta é o Homem-Aranha, cujo uniforme foi danificado em um combate. Ele encontra o módulo onde o simbionte estava aprisionado na forma de uma esfera negra. Ao tocar a esfera, o corpo de Peter Parker foi todo revestido pelo simbionte, na forma de um uniforme preto que parecia lhe conceder um suprimento inesgotável de teias ainda mais forte do que as que já possuía.

Ao voltar para a Terra, Homem-Aranha descobre que a roupa alienígena que havia encontrado era um organismo vivo que queria fundir-se com ele de vez. Após várias tentativas, o Homem-Aranha consegue se livrar do simbionte ao removê-lo com as ondas sonoras de um sino de igreja.

Ao ser rejeitado por Peter Parker, o simbionte encontra em Eddie Brock um novo hospedeiro. Seu ódio pelo Homem-Aranha atraiu a atenção do simbionte e, juntos, eles se transformaram em Venom, o grande vilão que busca vingança contra o Homem-Aranha.

Uma característica interessante do simbionte Venom é a sua sinceridade extrema, ele não mente. Ele é apenas um simbionte corrompido que absorve tendências de seu hospedeiro. E no caso de Eddie, muita raiva é absorvida.

No trailer do filme, a origem do personagem parece ser totalmente separada do homem-aranha. Tom Hardy agradou aos fãs com essa nova versão. Se você ainda não viu, confira:

 

Show Full Content

About Author View Posts

Avatar
Tathiana Tato

Tem um conhecimento amplo de coisas inúteis, porém divertidas, como saber por que existe aquele ditado. Ama ler, viajar, novidades, conhecer pessoas, comer bem (casou com um chef), ouvir e contar histórias. Foi escoteira e até hoje está sempre alerta.

Previous A Incrível Máquina de Livros começa hoje no Flipoços
Next Crítica: Eu Não Sou Um Homem Fácil

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close

NEXT STORY

Close

Falando de estreias

24 de dezembro de 2016
Close