No mundo digital, a escrita e a leitura ganham novas formas

A tecnologia invadiu todos os ramos, em todos os setores, seja da industria ou do cotidiano. Se antes, por exemplo, dependiámos de uma biblioteca, ou livrarias, para adquirir livros, hoje, podemos baixar um arquivo e ter uma história completa, na tela de um computador, de um tablet ou no kindle.

Além da praticidade, as novas ferramentas que a tecnologia fornecem, facilitam o trabalho em ramos como o da educação. E nada mais justo que ferramentas, para esta área, que conversem com os jovens de hoje.

Durante a Bienal do Livro, a Woo! Magazine, pode conversar com a diretora de educação da Microsoft, Vera Lúcia Cabral.

“A Microsoft veio para a Bienal do Livro, primeiro para mostrar e trazer a ideia de que a tecnologia é muito amiga da leitura, que elas se complementam. E na verdade as novas tecnologias trazem para o mundo da leitura um potencial de enriquecimento e de incorporação de pessoas que até então não teriam condições de acesso. Dessa forma, prova-se a tecnologia como ferramenta de inclusão.” Afirmou Vera Lúcia

É primeira vez que a Microsoft participa da Bienal do Livro. O principal objetivo da empresa, em seu estante (localizado no pavilhão azul), é apresentar para professores e alunos as ferramentas de inclusão, oferecidas pelo sistema, que podem facilitar o ensino de crianças com necessidades especiais. Assim como ferramentas que tornam as aulas mais dinâmicas.

Enquanto isso, no pavilhão laranja, outra gigante da tecnologia, a Amazon, mostrava que a leitura não depende mais de papel, bibliotecas e livros pesados. Algo que ficou claro durante a conversa “Autopublicas e Empoderadas”, que  trouxe inúmeros fãs, de escritoras, há pouco desconhecidas, e que hoje fazem sucesso se autopublicando através da Amazon e do kindle.

Imagem: Divulgação/Bienal do Livro (Creditos: Danilo Andrade)

E novos autores tinham a chance de publicarem seu livro, ali mesmo na Bienal, tudo de graça, com ajuda dos funcionários da Kindle.

“É a autonomia do escritor, o escritor como dono e administrador da sua carreira, ela não fica mais nas mãos das oscilações do mercado editorial, nem da avaliação de um editor” afirmou Janice Diniz, autora de “A Falsa Noiva“, segundo romance mais lido entre os autopublicados.

Então se você é antenado com as novidades tecnologicas e quer sempre aprender mais, ou tem um sonho de publicar seu próprio livro, não deixe de passar nos estandes a Kindle e da Microsoft na Bienal do Livro.